Posts by Tag: problemas»

Segurança da Informação

Controles de segurança da informação para a empresa pública

Controles de segurança da informação para a empresa pública

posted by Diogo Guimarães

Segurança da informação para a empresa pública: Qualquer medida de Segurança da Informação, por mais eficaz que seja não será capaz de eliminar totalmente todos os riscos, ameaças ou vulnerabilidades a que um sistema está exposto (ou declarar um sistema como totalmente seguro!).

Carreira

O Plano secreto de um estagiário?

O Plano secreto de um estagiário?

posted by Davambe

Naquela empresa na baixada o maior número de funcionários tinha hábito de andar com uma garrafinha de água. Deixavam-na visível sobre a mesa. Entre um trabalho e outro havia sempre alguém a tomar um golinho de água. Era fácil, demais até, mas isso incomodava José Kixi, recém-contratado, homem cheio de vitalidade e manias. Quando seu chefe sentiu a necessidade de trazê-lo, apertou o interfone e pediu à secretária que providenciasse um auxiliar. Dispensou detalhes, a única condição é que tinha que ser uma personalidade interessada e criativa, de modo que em menos de um mês foi recrutado.

Quando ele ficou sabendo do emprego, seu primeiro, ficou muito feliz. Aproveitou a festa de seu aniversário, que veio a calhar, para falar. Falar? Ele não tinha muita habilidade para tal, entretanto, naquele dia de improviso, como se o dia tivesse sido improvisado: chuva e sol. Viu-se no mesmo dia, aproveitando que a luz estava apagada, e arrematou: “Gente, consegui emprego, finalmente. Gente… Meu primeiro emprego, prometo a vocês que serei gerente naquela empresa, em sete anos, me aguardem…” O silêncio foi total, alguns abandonaram o local, sua mãe, experiente tentou amenizar, entoando “parabéns”.

Carreira

Gestão de Projeto Verde Amarela

Gestão de Projeto Verde Amarela

posted by Davambe

Muito antigamente, lá na terra dos Elefantes, houve um projeto: “Amarela”, dirigido com sucesso pelo Leão que recebera honrarias e ovacionamento pelos Elefantes em reconhecimento. Isso já faz tanto tempo, mas ainda nos dias atuais é comentado, nunca ninguém fez tanto como ele, o gajo era bom mesmo.

“O que ele fez para ser eternizado?” Perguntava o Tigre ao Jacaré.

“Sei lá, só sei que ele era bom, porreta.” Disse o Jacaré, aconselhando o Tigre a procurar alguém como o Cágado que havia participado do projeto.

Naquele mesmo dia o Tigre foi atrás do réptil. O Cágado muito respeitoso e atencioso achou curioso o interesse do seu chefe em um projeto de muitos anos.

“Sabe como é, sempre há lições a aprender, fale-me desse projeto”, ordenou ele.

O projeto “Amarela” aconteceu numa época em que a exploração de ouro estava no auge, era ouro para lá, ouro para cá. A cor amarela simbolizava ouro, prosperidade da época.

“Só por isso?”

O Cágado encolheu as patas e começou a falar sobre o projeto arquitetado pelo Leão, eternizado pelo Elefante Cinzano, seu chefe.

Num dia de pouca inspiração, o Leão vendo que seus projetos e programas estavam a caminhar sem complicações, perdeu encanto de gerenciá-los, andava a rugir, a procurar desafios, como é do seu feitio, foi então que inventou o projeto “Amarela” e o defendeu com unhas e dentes no comitê; conseguindo aprovação.

Carreira

Sobra tempo para bicho de estimação?

Sobra tempo para bicho de estimação?

posted by Davambe

Viva ela que viu as estrelas na floresta, onde a lua parecia passar com muita preguiça, lá próximo à cidade do homem inteligente. Faminta tinha pouca força.

Mercado

Os dilemas enfrentados pelo mercado de distribuição

Os dilemas enfrentados pelo mercado de distribuição

posted by José Bublitz Machado

A Abradisti apontou em sua 2ª Pesquisa do Setor que os investimentos no mercado de tecnologia da informação estão crescendo a média de 10% ao ano.

Carreira

Seres Inteligentes e Rio mais Vinte

Seres Inteligentes e Rio mais Vinte

posted by Davambe

“Coitado, morre uma semana depois da Rio + 20”, estava ele a ler notícias no jornal, sobre a sua morte. Não podia acreditar, afinal esse andava em outras veredas. Mas se lembrava de ter lutado para escapar de algo que o envolvia, tentou, mas não resistiu.

Morreu sufocado por uma sacola plástica que alguém havia deixado na praia. No desembarque dos jornais com notícias de sua morte via em câmera lenta, Sem muito entender, gente a se apossar dos exemplares dos jornais.

“Os inteligentes são assim: invadem as praias de final de semana, deixando para trás tudo quando é nada”, dizia Mariletine Duvier Picá, um cágado que também sucumbira em uma armadilha deixada por aqueles que eles chamavam de inteligentes.

“A quem podemos reclamar?”, perguntou Jarunalette Neto, enquanto seu corpo se decompunha, já tinha aceitado a separação dos elementos físicos, partia sem entusiasmo.

“Eles são culpados? Você é que não viu a sacola.” Dizia o colega de viagem.

“Eh, pode ser. Estava tão apressado a descer a orla para não ser visto…”

Carreira

TI, quem é vaidoso pode continuar a trabalhar?

TI, quem é vaidoso pode continuar a trabalhar?

posted by Davambe

Ele; bonito, jovem, honesto e trabalhador. Orgulho para seus pais, que não se cansavam de elogiá-lo. Também era filho único. Cresceu naquele lar a correr de um lado a outro, até que cumprindo as exigências da natureza, imitou ensinamento dos pais. Construiu sua família, com Anita Makuakua João, menina prendada. Todos comemoraram “Viva Deus! Nosso verdadeiro pai, que nunca se cansa em atender nossas orações. Ele não se detém, prontamente apresenta solução a quem o solicita”. Tocaram os tambores.

Mas o tempo é cruel às vezes, e tem a mania de modificar as atitudes e fisionomias das pessoas. Alguns conhecem posteriormente essas mudanças, outros deixam a natureza se manifestar em suas vidas. Foi o que aconteceu com ele, Joaquim João Makuakua, aos 34 anos começaram a aparecer cabelos brancos em sua cabeleireira.

“Parece que caiu neve sobre a sua cabeça”, disse sua esposa.

“Pois, amor, é a idade!”, comentou ele, que tentava arrancar os fios brancos.

“Vamos pintar!”, ela sugeriu.

“Nem pensar. Pode esquecer”, ele não era muito simpatizante a tingimento de cabelo. Não houve quem o convencesse.

Mas Deus faz a roda girar, o tempo passar e mantém o caminho livre para que todos viagem com folga para o mesmo destino: futuro. Que experimentamos de minuto em minuto, horas em horas, dia após dia, meses e anos. E muito rapidamente alcançamos o amanhã, às vezes, num piscar de olhos, até. Com Joaquim João Makuakua não foi diferente. Os cabelos brancos foram ocupando o lugar dos cabelos pretos, sem pedir licença, também, mesmo que pedissem quem fala a sua língua para escutar e entender?

“Amor, vamos tingir esse cabelo. Já comprei a tinta”, dizia entusiasmada a dona Anita Makuakua João.

“Amor, esqueça isso. Estou bem assim.” Dizia ele, que teimava de qualquer maneira para não pintar o cabelo.

Direito & Tecnologia

Legalização de Software em Empresas Familiares

Legalização de Software em Empresas Familiares

posted by Alexander Pinheiro

Com foco em empresa de médio porte e “familiar”
Com objetivo de mostrar dificuldades encontradas pelo responsável da área de Tecnologia da Informação em realizar e manter os principais softwares utilizados em empresa de médio porte “familiar” legalizados, forte característica ainda em muitas regiões no Brasil vamos tipificar algumas objeções e descrever os principais riscos assumidos.

O fato de possuirmos leis que contemplam direitos autorais e legislação específica em TI muita claras tanto a nível nacional quanto internacional, não significa que todas as empresas possuem conhecimento delas, a falta de informação e a falta de profissionais qualificados de TI, principalmente a nível gerencial impossibilitam que este assunto seja difundido, planejado ou tão pouco discutido internamente nas camadas que decidem nessas organizações.

Veremos abaixo as tipificações dessas dificuldades assim como algumas consequências e riscos assumidos quando o licenciamento ou um controle básico de licenças não é realizado.

Tecnologia

Como a Segurança deixa escapar mensagem criminosa?

Como a Segurança deixa escapar mensagem criminosa?

posted by Davambe

La na Cabrália Dó Xipamanine, ela fora eleita a miss da cidade aos dezenove anos, há aproximadamente 34 anos, era de certa forma admirada por todos, “sabe, essa moça é muito elegante”, dizia o prefeito entre tapas e cutucadas da esposa a dizer “cala essa boca, homem! Tu é casado, tome jeito”. Ele muito obediente, prendia até respiração no seu calar após a ordem da esposa. “O que essa faz para se manter?”, todas elas queriam saber, embora nunca tivessem coragem para perguntar. “Chega a ser engraçado, dizem que ela come de tudo”, dizia uma. “Uma verdadeira formiga”, comentava a outra. “Isso La é verdade, só uma formiga consegue manter o peso“.

Era aquele cochichar das senhoras de Cabrália Dó Xipamanine, sempre que ela passava pelas Ruas da cidade. Mas Maritalinia Pezzalinium, era madrugadora, levantava sempre que ouvia os galos para correr no bosque. Corria como uma gazela foge do Leão, ali, no entanto, o único Leão era o que ela ingeria. Tinha consciência de que era necessário queimar calorias.

Fazia questão de esmagá-las nas corridas matinais. Era uma apaixonada por exercícios físicos. Se isso trazia beneficio, por outro lado afastava os namoradores pretendentes, por medo da rotina. Quem se arriscava a acompanhá-la? “Levantar cedo, vou correr o risco de pegar pneumonia nada. Que é bonita é”. Assim pensavam os pretendentes que cada vez mais se distanciavam por julgarem que levantar cedo fosse condição para se levar um relacionamento sério. Ninguém sabia se alguma vez ela havia pensado em se casar, mas Deus, que é generoso, colocou Zezi Makweru no bosque. Um homem de bom coração, cheio de boas intenções e desesperado para arrumar um par perfeito. E, permitiu Deus, que Zezi Makweru, naquela madrugada, passasse a correr junto com ela. Soubesse que tempo depois estavam casados e constituíram uma bela família, “Que gente de sorte!”, assim eram os comentários. O tempo foi caminhando, a andar junto com a roda, como pêndulo. Desgraçadamente, a Miss Cabrália foi esquecendo de correr no bosque, esse esquecimento resultou em aumento de volume e peso.

Os anos se passaram e os volumes chegando, o peso a dizer “olá, estamos juntos!”, isso acabou criando problemas para dona Cabrália, que recorreu a vários remédios para ter de volta o corpo dos dezenove. Não conseguiu tomando medicamentos sem se exercitar. Parecia que além de remédios tinha mesmo que malhar, mas estava sem pique, sem gosto para exercícios. Começou a ter problemas, a se distanciar cada vez mais com o mundo eletrônico. Sempre que abria a caixa de mensagens, havia email, que lembravam a de seu problema “Saiba o segredo para perder peso”, “Segredo revelado”, “Veja o que a atriz faz para manter o peso”.

Cada dia que passava foi tendo medo de abrir emails, afastava-se dos amigos. Deixava de abrir o correio. Quando decidia abri-lo, lá estava o email, “segredo revelado, perca peso já”. Tentou bloquear o spam, não conseguiu. Voltou a correr no bosque, porém no primeiro dia foi assaltada, os tempos eram outros. A cidade crescera absurdamente em torno do bosque, o problema de segurança também havia crescido. Desistiu, esqueceu o projeto “exercícios”. Não podia mais abrir a caixa postal eletrônica, não podia correr no bosque, entrou em curto: não comia, passava noites em claro. Quando as vizinhas souberam do seu dilema, decidiram fazer uma manifestação de solidariedade, foi um momento de luz, as avessas passadas foram deixadas de lado, o que interessava era o momento, a época que se vivia. Vinte e cinco pessoas uniram-se à Miss Cabrália dó Xipamanine e lideram uma campanha.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.