Tecnologia

Ξ Deixe um comentário

Planilhas, textos, dados, sons e imagens (Uma história sem fim)

publicado por Carlos Roberto Miranda

Planilha, originalmente denominada worksheet, folha de trabalho ou ainda folha de cálculo, é uma matriz matemática formada por um número determinado de colunas e linhas para incersão, armazenamento (lançamento) e análise de dados contábeis.

Historicamente planilhas manuais são conhecidas e utilizadas há muito tempo para organizar e controlar dados sobre as análises de negócios que são realizados e etimologicamente a sua denominação vem do termo “spread” significando uma grande folha de papel.

O conceito de planilha eletrônica começou a surgir em 1961 com a linguagem LAMPAR (Language for Programming Arrays at Random ou Linguagem de Programação para Matrizes Randômicas) desenvolvida para a Bells, AT&T e GM, numa co-invenção de Rene Pardo e Remy Landau.

Coube ao Professor e Economista de Negócios Richard Victor Álvaro Mattesshich e seus dois assistentes, Tom C. Schneider e Paul A. Zitlau, o pioneirismo no uso de uma planilha eletrônica entre 1961 a 1964 utilizando um computador mainframe com linguagem FORTRAN (em inglês).

Porém, a primeira planilha eletrônica para microcomputadores foi a VisiCalc de Dan Bricklin em 1978 ao apresentar um primeiro protótipo que possibilitava a entrada e manipulação de 5 colunas e 20 linhas em um relatório na Harward Business Scholl que depois, a seu pedido, Bob Frankston do MIT (Massachusetts Institute of Technology) introduziu as melhorias necessárias, expandindo ao fornecer-lhe mais velocidade e uma aritmética em 20kb de memória, tornando-se assim o co-criador deste software. Em maio de 1979 a empresa Personal Software, que em 1982 seria renomeada para VisiCorp, passou a comercializar a planilha VisiCalc na revista Byte Magazine de Daniel Fylstra, que também se juntou a Bricklim fornecendo um nome abreviado de “Calculadora Visível” ou seja VisiCalc (em inglês). Pode-se encontrar o e-mail referente ao nome VisiCalc, em inglês.

Imagem do Museu HP: http://www.hpmuseum.net/exhibit.php?swimg=81

Imagem do Museu HP: http://www.hpmuseum.net/exhibit.php?swimg=81

O sucesso da planilha VisiCalc foi tanto, que hoje os programadores poderiam denominá-la como uma verdadeira Killer App (aplicação matadora) da época para os computadores AppleII, talvez a primeira Killer App da história, pois até aquele momento ninguém imaginava um uso pessoal para os computadores eletrônicos que só assim se tornou possível a popularização dos mesmos, atraindo outras empresas à concorrência do mercado de planilhas eletrônicas para microcomputares que a partir daí foram surgindo, inclusive abrindo caminho à popularização de outros softwares como processadores de textos para geração de documentos profissionais.

Importante não confundir aplicativos processadores de textos com os editores de textos puros que já existiam anteriormente em evolução aos cartões perfurados que inicialmente foram a forma de entrada de dados porém, os editores de textos eram e são utilizados até hoje com finalidades específicas de desenvolvimento dos códigos das linguagens de programação ou de outros softwares e com características de recursos para localização e substituição de palavras e/ou frases, cortar, copiar e colar trechos de textos selecionados, desfazer ou refazer ações, quebras de linhas automáticas, dentre outras especificações às criações de programas de computadores a exemplo do editor Vi (abreviatura de visual) criado em 1976 por Bill Joy para o BDS (Barkeley Software Distribution), um Sistema Operacional do Unix e relançado em 1991 como Vim (Vi Improved ou Vi Melhorado) dentre outros editores mais atuais como Dreamwevear e FrontPage com recursos exclusivos para identificar e realçar códigos de comandos e funções de linguages, mas sem oferecer quaisquer recursos avançados para formatações de fontes, parágrafos, alinhamentos, estílos de documentos, etc., como nos permitem operar os processadores de textos.

Com isto, na sequênca, o VisiCalc pode ter sido o responsável pelo aperfeiçoamento dos editores gráficos, de desenhos e de apresentações de imagens, de bancos de dados e muitos outros softwares que vieram e hoje compõem o que conhecemos por suites de escritórios ou os famosos pacotes offices, aplicativos domésticos, inclusive os atuais apps (de applications ou aplicativos), dentre outros.

Em 1983 apareceu a primeira versão do Lotus 1-2-3 planejado para o sistema de vídeo IBM-PC da época que operava em processadores da família Intel 8086/88 com uma folha de cálculo que incorporava, além das três principais características físicas de toda planilha que são as colunas, as linhas e as células endereçáveis para as entradas e leituras de dados, que no caso do 1-2-3 da lotus haviam 256 colunas e 2048 linhas totalizando 524.288 endereços de células apesar de que, com este volume de dados impossível era não ocorrer alguns travamentos, mas que apesar disto tornou-se o padrão dos equipamentos IBM-PC do mesmo modo que o VisiCalc representou o padrão da Apple.

O 1-2-3 da empresa Lotus Development Corporation recebeu este nome devido a incorporação de três características lógicas que também determinam uma planilha eletrônica que são, a planilha propriamente dita, a possibilidade de geração de gráficos e uma ferramenta de base de dados para o tratamento eletrônico integrados ao mesmo tempo em um único conjunto de software, conforme apresentada nesta página uma publicação reproduzida da revista Byte de 12/1982 sobre as três características do 1-2-3 citadas acima, incluindo o seu poder computacional, a engenharia humana envolvida, as vantagens de velocidade e integração, as suas respectivas ressalvas, notas da Lotus e assinado pelo então Editor Senior da revista Byte, Gregg Williams, pode ser encontrado na página digital (em inglês).

lotus123

http://www.guidebookgallery.org/splashes/1-2-3

Ilustração 2: http://www.guidebookgallery.org/splashes/1-2-3

Em 1995 a Lotus foi adquirida pela IBM Corporation por US$ 3,5 bilhões em função do Lotus Notes até ser descontinuada encerrando o suporte a este produto que marcou época na computação pessoal ao completar 31 anos de existência em 2013.

Lá atrás ainda no tempo, os anos 80 assistiram ao lançamento de outras três planilhas eletrônicas de sucesso: Supercalc lançada em 1981 pela Sorcim para rodar nos Sistemas Operacionais (SOs) DOS e CP/M incorporando a capacidade de resolver referências circulares que era distribuído com o computador pessoal Osborne 1 que incluía um pacote com o editor de textos WordStar, a Multiplan, escrita por Douglas Kunder sob direção de Charles Simonyi da Microsoft e lançada em 1982 para operar em 8 a 16 bits dos sistemas CP/M, MS-DOS e Apple II porém, segundo muitos comentários observavam que era lenta demais em comparação a VisiCalc, mas nem por isto pode ser descrita como fracasso tendo visto que em 09/1985 a Microsoft anunciou ter vendido 1.000.000 de cópias, outra planilha da década de 80 foi a Quattro-pró escrita em Assembler (linguagem de máquina) e Turbo-C e lançada em 1988 pela Borland, hoje pertencente à Corel Corporation ainda hoje distribuído no Pacote WordPerfect, incluindo o Banco de Dados Paradox e o próprio software WordPerfec anteriormente pertencente a Novell e originalmente produzido pela Satellite Software Internacional .

O Excel da Microsoft, também escrito por Douglas Klunder, surgiu em 1985 nos computadores Mac com 256 colunas e 65.536 linhas, o que fornecia 16.777.216 células endereçáveis para armazenamento em cada uma das 3 planilhas que formam uma pasta de trabalho (arquivo) padrão, que conforme o sistema utilizado poder-se-ia acrescentar até outras 256 novas planilhas totalizando 4.294.967.296 células num único arquivo possíveis de armazenar 32.767 caracteres em cada célula com aproximadamente 9.223.090.561.878.070.000 bytes de armazenamento.

Foi somente a partir da versao 2.0, em 1987, que o Windows conheceu o Excel devido a demora de a Lotus atender este ambiente operacional da Microsoft com o 1-2-3 e assim, o Excel passou a liderar o mercado de planilhas eletrônicas e em 1989 para a plataforma OS/2, a partir de 1990 ao disponibilizar a versão 3.0 do Excel, em 1992 a versão 4.0 estava no mercado, em 1993 a versão 5.0, em 1995 a versão 7.0 para o Office 95, em 1997 a versão 8.0 para o Office 97, em 1999 a versão 9.0 para o Office 2000, a versão 10 para o Office XP, a versão 11 para o Office 2003, a versão 12 para o Office 2007 e atualmente a versão 365 do Office e Office Mobile na nuvem para Iphone e Android totalmente gratuítos bastando baixar e instalar os aplicativos, conta com interessantes modelos pre-definidos, possibilidades de compartilhar como links e anexos, anotações, apesar de algumas limitações apresentadas tanto no Word como no Power Point para a plataforma mobile. Porém, de todos o Excel é o mais avançado contando com um guia para inserir fórmulas e criar gráficos, realizar diversas formatações de células, possibilidade de compartilhamento de arquivos no Outlook, Bluetooh, Gmail, OneDrive, Whats App e ainda a conversão de arquivos em formato .PDF dentre outros recursos apresentados nesta versão mobile.

http://royal.pingdom.com/2009/06/17/first-version-of-todays-most-popular-applications-a-visual-tour/

http://royal.pingdom.com/2009/06/17/first-version-of-todays-most-popular-applications-a-visual-tour/

Atualmente o domínio que a planilha eletrônica Excel exerce sobre o mercado é o que eu costumo chamar de fidelizada e tradicional em função das suas indiscutíveis potencialidades apesar de nunca ter deixado de acompanhar os interesses do seu público pois, com as ofertas de diversificações entre as inúmeras Suites de escritórios (Suite Offices) proprietárias existentes, licenças Open Source (arquitetura aberta) conquistando mais confiança a cada dia que passa e as atuais plataformas cloud computing (computação na nuvem) as distribuições de planilhas eletrônicas em conjunto com outros serviços de softwares SaaS (Software as a Service ou Software como Serviço) e suas garantias de estabilidades e seguranças beirando os 100%, os usuários de softwares, inegavelmente se veem diante de uma gama imensa de ofertas e tentações em recursos de planilhas.

Microsoft Office

Microsoft Office Mobile

O atual Projeto OpenOffice.org pertencente à Apache Software Foundation oferece a planilha eletrônica Calc com uma série de funções exclusivas dentro do seu pacote de softwares com incrível similaridade com o Excel, incluindo o processador de textos Writer, o banco de dados Base, o editor de apresentação Impress, o editor de fórmulas matemáticas Math, a ferramenta para criação e edição de desenhos, fluxograma, cartazes, logotipos o Draw. Este pacote, anteriormente denominado StarOffice e pertencente a alemã Star Division, foi adquirida em 1999 pela Sun Microsystems, que atualmente é uma subsidiária da Oracle Corporation desde 2009 com sede na Califórnia, Vale do Silício, foi lançado para SO Windows, Unix, Solaris, Linux e Mac OS/X, com as denominações StarWrite, StarImpress, StarDraw, StarBase, além da planilha eletrônica StarCalc utilizando o conjunto de formato ODF (OpenDocument) homologado pelo ISO/IEC NBR e compatível com os formatos Office da Microsoft, inclusive com suporte ao Lotus 1-2-3, Sylk e antigas versões da Microsoft. No Brasil foi lançado como BrOffice.

OpenOffice.org

OpenOffice.org

NeoOffice é uma suite de escritório que usa Java integrado com OpenOffice, equivalente ao OpenOffice para Mac OS/X lançado em janeiro de 1996 pela Planamesa Software com Licença GNU GPL, conta com um programa editor de texto, planilha ou folha de cálculo (em Portugal), apresentação e um programa gráfico. Site oficial www.neooffice.org, em inglês.

NeoOffice

O Calligra é resultado da divisão da comunidade Koffice (que vigorou até 2011), lançado em 2010 pela KDE com licença CPL, LGPL para plataformas desktops Linux, FreeBSD, OSX e Windows inclusive podendo importar formatos do pacote Office da Microsoft, a partir de 2014 em smartphones e tablets. Inclui os softwares Words (processador de texto), Stage (apresentação de slides) anteriormente conhecido como KPresenter, Kexi (gestor de banco de dados), Flow (flowchart) anteriormente conhecido como Kivio, um editor de imagens vetoriais denominado Karbon, o Krita que é um software com recursos de edição de imagens digitais anteriormente denominado Krayon e Kimageshop, o Author que é um software de autoração de e-book com recurso de exportação para EPUB a partir da versão 2.6, além da planilha eletrônica Sheets conhecida anteriormente como Kspread e Calligra Tables. Site oficial, em inglês.

Calligra

Calligra

Já o Iwork é um pacote oferecido pela Apple para plataforma Intel, PowerPC, ARM desenvolvida em Objective-C para o SO Mac OS iOS, lançado em 11 de janeiro de 2005 com Licença proprietária composta pelo processador de texto Page, o editor de apresentação Keynote e a planilha Numbers com a opção cloud. Site oficial www.aplle.com.

IWork

IWork

Assim, como se pode ver, a história das planilhas e demais softwares de aplicação ou apps se extende pelo tempo e a sociedade digital, atualmente conhecedora dos seus direitos ou esclarecidas sobre as tecnologias faz com que as empresas foquem seus esforços de desenvolvimentos voltadas às disponibilidades de acesso convergente aos dispositivos móveis, ao mesmo tempo que exige mais praticidade, economia de investimento por maior espaço de armazenamento para quem depende ou simplesmente deseja fazer da mobilidade a sua prática (praia) digital no dia a dia. Por estes motivos a chamada tecnologia cloud computing ou computação na nuvem deixou de ser uma tendência como eu já citei em outro artigo de agosto de 2013 no portal TI Especialistas para agora estar em alta e a empresa Google, que desde 2005 também se preparou para este momento e hoje dispõe o GoogleDocs grátis até 1GB de espaço e acima disto com pagamento de U$ 5,/ano até 20 GB e totalmente na nuvem, sem qualquer necessidade de instalação de software no seu equipamento pessoal, disponível em mais de 50 idiomas bastando para isto uma conta no G-Mail ou algum serviço Google. A nuvem é composta por um processador de documento, uma planilha eletrônica, um editor de apresentação, um editor de formulário, baseado na linguagem AJAX (Asynchronous Javascript And XML) e compatíveis com os programas da MicrosoftOffice, OpenOffice e Calligra, ela oferece ainda recursos de acesso a documentos por grupos de pessoas e discussões em tempo real e sugestões de mudanças no documento, possibilidade de publicar diretamente em blogs ou sites e a conversão dos documentos criados para arquivos com extensão .pdf. (site oficial).

Google Docs

Google Docs

Portanto, seja você um (a) empresário (a), funcionário (a), um (a) profissional liberal ou autônomo (a), um (a) estudante ou uma pessoa que precisa ou simplesmente deseja utilizar de qualquer dispositivo digital estando em trânsito e a qualquer momento, hoje você não precisa mais se preocupar com quaisquer recursos de instalação e configuração no seu dispositivo, para isso basta estar conectado em alguma das muitas nuvens da Internet para acessar e usar seus recursos digitais sem fim.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Consultor de TI e atualmente divulgando as lógicas de estrutura e dinâmicas da EH (Essência Humana), de autoria própria. http://www.crmtreinamento.blogspot.com.br crm@crmtreinamento@yahoo.com.br

Carlos Roberto Miranda

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.