Gerência de Projetos

Ξ 3 comentários

Eu vos declaro: time

publicado por Marcelo Leite Barros
Image courtesy of Salvatore Vuono, via FreeDigitalPhotos.net

Image courtesy of Salvatore Vuono, via FreeDigitalPhotos.net

Li certa vez que a qualidade de um casamento está diretamente ligada à qualidade da comunicação com a pessoa com quem se casou. O casamento é a união de duas pessoas que não se limita apenas à cerimônia, ao “sim”, a comer o bolo, lua de mel e todos os outros momentos bacanas. A convivência, o dia-a-dia traz uma série de desafios que precisam ser enfrentados com uso de uma boa comunicação.

E o que é comunicação? É um enviar e receber de informações. Se em uma casa tivermos duas pessoas que só enviam informações, teremos um conflito! Comunicação é uma troca de sentimentos, é uma administração de egos. Logo, concluímos que um casamento de sucesso deve ser uma grande e constante troca, certo?

Calma! O caro leitor não está lendo o blog errado! Mas aonde diabos eu quero chegar com essa história de casamento? Bem… na minha percepção, um time é um casamento… só que com mais envolvidos! E pra que esse casamento arranjado dê certo, é fundamental que haja troca de informações, de sentimentos. Que haja uma boa, efetiva e clara comunicação.

Dizem que devemos nos casar com quem gostamos de conversar. Da mesma forma, devemos gostar de conversar com quem trabalhamos. Afinal de contas, passamos uma boa parte do nosso tempo com nosso time. Devemos criar uma afinidade tamanha que todos se sintam à vontade para se expressar.

Vejo times em que seus membros têm medo de se expressar. Ou por que não tem suas ideias aceitas ou por que não acham que suas ideias são suficientemente boas para serem levadas à discussão. As duas situações são bastante preocupantes e precisam de atenção especial do líder. O líder deve permitir que seja criado um ambiente em que todas as ideias sejam debatidas. E também deve ser capaz de identificar quando existem membros que ficam com nó na garganta, como se quisessem falar algo e não conseguem. Às vezes o líder deve ter habilidade para desenvolver a auto estima dos membros do time.

Pessoas inseguras por muitas vezes acabam se tornando dogmáticas e inflexíveis. Elas não aceitam que os outros discordem delas e não aceitam estar erradas. Este é o tipo de pessoa que mais vai requerer atenção do time e do líder, pois ela não vai admitir ser contrariada. Neste caso, não há recebimento de informação; só envio.

A forma como nos comunicamos é decisiva. Comunicação nasce da confiança. Você confia que as informações dos seus colegas são para o bem do time? Você se sente ridicularizado ou diminuído quando se expressa? Todos devem se comunicar de forma honesta, de forma que nasça a confiança. Assim como no casamento, a confiança nos membros do time não acontece de uma hora pra outra. Certamente para o time é muito mais complicado confiar um no outro.

Mas, se você perguntar a qualquer casal qual o maior matador da comunicação é provável que a resposta seja a mesma: o silêncio. É como se um não se importasse mais com o outro e com o casamento. No nosso exemplo, é como se o time, o projeto, não importassem mais. Este é o pior dos mundos para o time.

Querer que todos concordem sempre conosco é anular o outro emocional e intelectualmente. Devemos nos comunicar com empatia. Temos que nos perguntar constantemente o quanto estamos enviando e recebendo informações dos outros e se estamos bloqueando este fluxo de alguma forma. Devemos ouvir e ser ouvidos, respeitar e ser respeitados na mesma medida, para que o nosso casamento seja um sucesso e para que o nosso projeto tenha êxito.

[Crédito da Imagem: Time – ShutterStock]

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Sou um cara criativo, curioso e detalhista, que, cada dia mais se vê interessado em desvendar os mistérios desse “bicho gente”! Acredito que pessoas motivadas trabalham com maior produtividade e qualidade; que a chave para o comprometimento é fazer com que as pessoas se sintam parte do negócio; e que compartilhar o que se chamava de “poder” é algo mais poderoso do que qualquer metodologia. Trabalho como coach e mentor de práticas ágeis, dreamer, thinker e maker na Adaptworks. Sou criador do Agile Momentum (http://agilemomentum.wordpress.com/), onde falo sobre agilidade, com personalidade e um toque de criatividade.

Marcelo Leite Barros

Comentários

3 Comments

  • Muito bom Marcelo!

    O artigo está muito bem fundamentado. E adorei a analogia sobre o casamento.

    Recomendo essa leitura a todos os profissionais!! Trabalhar em equipe não é nada fácil,a final são tantas coisas que influenciam, mas vale muito a pena, os resultados são fantásticos. Sou suspeita para falar sobre isso, mas defendo essa bandeira!

    Concordo que a comunicação nasce da confiança. Quantas vezes nos deparamos com a cena de tentar falar algo e não conseguir?

    Abraços,

    Priscila

    • Obrigado, Priscila! Desenvolver times e pessoas é meu dia-a-dia e sei bem o quanto isso é complicadíssimo! Mas é gratificante!

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.