Governança

Ξ 8 comentários

Sustentabilidade da Empresa através do Social Business

publicado por Rafael Kiso

O Social Business é um conceito que se resume em como uma empresa pode ser sustentável nos próximos 5 anos em quatro perspectivas corporativas baseada no Balanced Scorecard: Financeiro, Clientes, Processos Internos, Aprendizado & Crescimento, através do Átomo Social Digital.

Focusnetworks Social Business DNA

Focusnetworks Social Business DNA

O pensamento original por trás do Balanced Socrecard foi para ele ser focado na relação entre as informações e a implementação de uma estratégia, e talvez ao longo do tempo houve uma série de quebras de paradigmas entre a forma tradicional de se fazer planejamento estratégico e a forma  de desenhar o Balanced Scorecard. Isso ilustra bem os quatro passos requeridos para desenhar um Balanced Scorecard de acordo com o Kaplan & Norton no final dos anos 90:

  1. Traduzir a visão em metas operacionais;
  2. Comunicar a visão e linká-la a performance individual;
  3. Plano de Negócio
  4. Obter feedback e aprender, e ajustar a estratégia conforme esse aprendizado

Nos dias de hoje e para pelo menos os próximos 5 anos, eu acredito que esses passos vão além de identificar métricas financeiras, não financeiras, e definir indicadores de performance. Eu acredito que o Balanced Scorecard deve ser  integrado com a nova forma de se criar valor internamente e externamente à empresa. Estou falando de incluir as redes sociais e seu efeito no processo de comunicação e performance, incluir o conhecimento disponibilizado pelas mídias sociais – leia-se consumidores, funcionários, parceiros, fornecedores e pessoas do trade -na gestão de conhecimento para obter feedback e aprender constantemente em tempo real, incluir essa mesma cadeia no processo colaborativo e co-criar novos produtos, serviços, e até modelos de negócios. Ou seja, integrar o Átomo Social Digital no negócio para ajudar a empresa na gestão estratégica e consequentemente atingir sua visão, tornando-se assim uma empresa social (Social Business DNA).

Ao implementar um  planejamento estratégico digital, considere levantar os impactos financeiros e não financeiros relacionados ao resultados das ações na Web Social. Podemos considerá-los como ROI (Return on Investment) e ROE (Return on Engajament). Portanto, é preciso entender que há dois tipos de resultados, sendo que o ROI está ligado diretamente com métricas financeiras  – vendas, transações, número de clientes – e o ROE está ligado diretamente com métricas de engajamento – seguidores no Twitter, fãs no Facebook, visualizações no YouTube, entre outros. Veja uma lista com mais de 100 maneiras de medir engajamento em ações nas mídias sociais.

Relação do ROI e ROI nas Mídias Sociais

Relação do ROI e ROI nas Mídias Sociais

As empresas sabem que as redes sociais e as mídias sociais são importantes para seus negócios, mas não sabem o quê e como fazer. Eu espero que este post sirva de norte para você entender que estar nas mídias sociais vai muito além de presença on-line e fortalecimento de marca, é necessário pensar estrategicamente como negócio e se relacionar com toda a cadeia de valor, principalmente o consumidor.

Veja abaixo minha entrevista no programa Conta Corrente especial sobre os 15 anos da Internet e como os negócios mudaram em função das redes sociais. Fui o convidado especial. Programa exibido em 04-06-2010.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Diretor de Novos Negócios da Focusnetworks, agência de Social Business, e consultor de planejamento estratégico interativo na FIESP. Responsável por projetos de e-business inovadores de alto retorno para médias e grandes empresas nacionais e internacionais. Professor da JumpEducation e palestrante em eventos como Intercon, HSM Management, EDTED, Inovadores Digitais da ESPM, SUCESU-SP, ente outros. Articulista da Webinsider, e já foi fonte em entrevistas para Globonews, JovemPan, UOL, Revista Proxxima, Meio & Mensagem, Época, Info, Exame, Consumidor Moderno, Cliente SA, Propaganda e Marketing, Folha de São Paulo, O Globo, Estadão, Carta Capital, Decision Report, TI Inside, Isto É Dinheiro. http://www.twitter.com/rkiso http://br.linkedin.com/in/rafaelkiso

Rafael Kiso

Comentários

8 Comments

  • Caro Rafael,

    Me desculpe, mas você deveria ter lido o meu artigo: “Colocamos grotescamente “social” na frente do que fazemos”. Você está, neste seu artigo, cometendo o mesmo abuso do termo social. Além de que, o que é pior ainda, mostrando um total desconhecimento sobre o conceito “social business”. Fazendo assim uma incoerente relação com ‘Balanced Scorecard’ (espero que Kaplan nunca leia este artigo, já que é só ele que desenvolve este conceito nos dias de hoje).

    Deveria, como profissional e consultor, procurar está mais informado sobre o conceito de “social business” para poder fazer uma inteligente co-relação com o modelo de Kaplan & Norton. Precisamos de profissionais, no Brasil, que saibam do que estão falando e que possam trazer a este site uma discussão que façam outros profissionais a refletirem sobre como melhor poderíamos ajudar uns aos outros a sermos ainda melhores do que fazemos.

    Tenha uma boa semana!

  • Olá José Luiz, nós tratamos de assuntos diferentes, portanto, eu vejo que há um mal entendido aqui.

    Eu li seu post e você trata sobre o “social” no que tange problemas da sociedade e como as empresas podem trabalhar esse assunto. Responsabilidade social, sustentabilidade socioambiental, são exemplos.

    Eu trato o “social” como uma vertente de Redes Sociais Online, Mídia Social, ou seja, assunto diretamente ligado a marketing digital e planejamento estratégico interativo.

    Você pode ver que o termo “Social Business” é comum no meio de marketing digital. Veja um exemplo: http://www.zdnet.com/blog/feeds

    Esse artigo foi visto e revisado pela Symnetics, consultoria no qual paga royalties ao Kaplan e Norton, para implantar o BSC aqui no Brasil. Eles submeteram o mesmo para os EUA. Houve aprovação sobre o conceito e nos pediram para desenvolver um artigo mais detalhado com algum case implantado para publicar na Harvard Business Review.

    Outro exemplo no qual vai ao encontro do conceito abordado em meu post, é o relatório do Augie Ray da Forrester Reaseach, no qual faz uma associação do BSC às ações de mídia social. Veja: http://blogs.forrester.com/augie_ray/10-07-19-roi_social_media_marketing_more_dollars_and_cents

    A Ana Paula Franca, aqui no portal TI Especialista, teve a oportunidade de me ver presencialmente explicando o Social Business. Seria interessante nos encontrarmos um dia para conversarmos sobre.

  • Vídeo: Entrevista do Rafael Kiso, do @tiespecialistas, para a Globo News. Sustentabilidade através do Social Business. http://bit.ly/9wKwF1

  • RT @tiespecialistas: Vídeo: Entrevista do Rafael Kiso, do @tiespecialistas, para a Globo News. Sustentabilidade através do Social Business. http://bit.ly/9wKwF1

  • Olá Rafael,
    Excelente artigo!
    Futuramente vou escrever sobre a sustentabilidade “errada”, que algumas empresas entram por ser moda, e é bem interessante ver o contraponto no seu texto, que exemplifica um modo factível de implementação do conceito, e seus resultados.

  • Vejo aqui uma pequena confusão…

    A mesma palavra pode ter diversos significados e aplicações definidos de acordo com o contexto em que estáo inseridos. Os textos do José Luiz, como já mencionado pelo Rafael, tratam, e muito bem, a esfera social como sinônimo de responsabilidade sócio-ambiental. Por outro lado, o Rafael utiliza o mesmo termo para se referir às mídias sociais e às novas formas de interação entre empresa e sociedade, no âmbito do marketing e da co-criação. Nessa esfera inclusive, Rafael tem vasta experiência e muito a contribuir ao grupo que aqui busca conhecimento.

    Rafael, mais uma vez, parabéns pelo artigo. Estamos na expectativa pelos próximos!

    José Luiz, apesar de diferentes, acredito que os dois conceitos podem ser integrados de forma a maximizar os resultados de sua aplicação. Em breve darei um testemunho aqui no portal sobre essa união. Espero que goste do artigo.

  • Caros,

    O termo “social business” (“negócio social” na minha livre tradução) foi introduzido pelo Prof. e vencedor do prêmio Nobel da Paz Muhammad Yunus. Depois de 30 anos atuando em Bangladesh com micro-crédito e criação de negócios sociais que visam acabar com a pobreza no mundo. Isto ele vem fazendo com apoio de grandes empresas como Danone, Basf, Intel, Veolia e agora a Adidas – http://www.thedailystar.net/newDesign/news-details.php?nid=130925. Essas são estratégias de negócios que nada tem haver com meio ambiente ou responsabilidade social. São novas formas de negócios (new business) tendo como beneficiados a camada mais carente da nossa sociedade. Os quais os modelos antigos de capitalismo os deixaram fora da participação da economia mundial.

    No entanto vocês estão completamente equivocados e “leram” os meus artigos como referentes “a esfera social como sinônimo de responsabilidade sócio-ambiental”.

    O “social business” da maneira que abordo é um termo atualmente mundialmente discutido pelos maiores pensadores e pesquisadores mundiais das grandes Universidades. Esse termo está também é ligado a “New kind of capitalism” e “Base of Pyramid”. Termos usados também por Tony Blair, Bil Gates, Barack Obama, The Economist, e World Economic Forum (discussão nos dois últimos anos em Davos, Genebra).

    Rafael, como profissional temos o dever de primeiro definir em que contexto usamos certos termos. O termo usado por você se enquadra sòmente, com bem se definiu no site que mencionaste: “About Social Business…news on social media tools and trends and deep dives into business strategies.” Não acredito que HBR publicaria um artigo sem definição apropriada de um termo. No entanto, o meu conselho, este é de graça, é que definas primeiro em que contexto a sua discussão sobre: “Social Business” “BSC” e “social media tools and trends and deep dives into business strategies”. E ainda como se coloca em relação a sustentabilidade.

    Boa sorte!

  • Rafael,

    Tenho acompanhado o conceito de Social Business e atuo em empresas de internet que são totalmente voltadas para Social Networking…

    Neste caso específico, concordo com o José Luiz: O termo utilizado no artigo está totalmente fora de contexto. “Social Business” é um termo já definido e mundialmente utilizado (http://en.wikipedia.org/wiki/Social_business) para descrever o movimento iniciado há por Muhammad Yunus.

You must be logged in to post a comment.

botão emergência ransomware (1)

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.