Gerência de Projetos

Ξ 1 comentário

Gerentes de Projetos de TI: 2017 pode ser um bom ano para vocês

publicado por Wagner Borba

Figura - Gerentes de Projetos de TI: 2017 pode ser um bom ano para vocêsVocê que é um profissional em gerenciamento de projetos, do fim do ano passado pra cá, quantas vezes você já ouviu a ‘profecia’: “2017 será péssimo para nossa profissão”? Eu mesmo ouço, pelo menos, dia sim, dia não. Porém a minha visão da crise atual é um pouco diferente do que a maioria das pessoas ligadas a área acham. Obviamente, não quero dizer que 2017 será ótimo para quem trabalha com gerenciamento de projetos, claro que não, eu sou um otimista mas não sou maluco. O ano vai ser difícil sim. Mas se eu te disser que, já agora no mês de Janeiro, há muitas empresas buscando profissionais como você, acreditaria em mim? Provavelmente não, porém tenho lido matérias, visitado sites de empregos, conversado com especialistas na área de TI e recrutamento e as notícias para 2017 são levemente animadoras.

Em momentos de crise fica até meio repetitivo e óbvio dizer que os profissionais que permanecem no mercado são aqueles que conseguem se reinventar, que entendem e aplicam a política do “mais com menos” e costumam ser mais flexíveis em relação à mudanças. Por mais que seja óbvio é uma pena ver que muitos profissionais em gestão de projetos seguem ainda antigos rituais e não têm procurado se adequar a esse contexto imposto pela crise. Não se arriscam a sair da zona de conforto, são avessos à inovação e tem verdadeiro pavor por mudanças. Para não perder seu tempo, se você se enquadra nesse perfil comodista, não precisa continuar lendo este artigo, ele não é pra você.

Falando agora para os que estão se adequando ou já se adequaram à situação atual, posso dizer que este ano tende a ser bom, não ótimo, mas bom. As organizações têm procurado profissionais que consigam atingir seus os objetivos estratégicos trabalhando de forma multidisciplinar, com uma visão holística do negócio e flexibilidade com relação às constantes mudanças que são produzidas pela manutenção da competitividade. E que profissional consegue atender melhor todas essas expectativas do que um Gerente de Projetos? Um GP é um integrador por natureza, alguém que detém a capacidade de entender e estruturar requisitos, que trabalha com recursos de áreas distintas, com habilidades e expectativas distintas. Alguém que negocia diariamente pontos de vista sem abalar seu bom relacionamento interpessoal com todos os envolvidos. E principalmente, alguém que conhece processos e se antecipa aos possíveis gargalos que, por ventura, venham a emperrá-los.

A área de TI ainda continua sendo o carro-chefe em relação a demanda por profissionais em gerenciamento de projetos. Uma reportagem da revista Época Negócios em Outubro/2016, intitulada “As áreas que estarão em alta no mercado de trabalho em 2017” trouxe as carreiras mais cobiçadas para este ano em várias áreas. Na área de tecnologia, a de Gerente de Projetos aparece entre as indicadas. Porém os GPs especializados em outras áreas não precisam ficar desanimados. Visitando alguns sites de empregos, verifiquei que há um grande número de vagas em gerenciamento de projetos para os mais variados ramos e indústrias. No site da Catho, por exemplo, há mais de 260 vagas abertas para área de gestão de projetos em todo Brasil. Isso sem contar nas vagas que não são colocadas no site (que não são poucas). Na plataforma LinkedIn as vagas também têm aparecido. Porém é bom deixarmos claro que não basta apenas ter as qualificações básicas, inerentes ao perfil, e sim um equilíbrio real entre as competências técnicas e habilidades humanas.

Em uma outra reportagem, agora da revista PM Network (publicação do PMI Global), uma análise sobre o mercado de gerenciamento de projetos nos principais países desenvolvidos e mercados emergentes trouxe dados mais ou menos alinhados com a realidade brasileira [clique aqui para ver a matéria]. No entanto, em todos os países analisados, a área de TI é ainda a que mais deve contratar Gerentes de Projetos em 2017.

Para concluir, quero mais uma vez enfatizar a necessidade do profissional em gerenciamento de projetos se reinventar. A palavra de ordem agora é “flexibilidade”, buscar fazer mais com menos e inovar. Velhos hábitos precisam ser revistos e novas tecnologias devem ser agregadas ao seu arcabouço profissional.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Gerente de Projetos, graduado em Gestão da Tecnologia da Informação pela FG/Laureate International Universities de Pernambuco e MBA em Gestão de Projetos pela Universidade Estácio de Sá. Possui certificação Project Management Professional (PMP®) pelo PMI, Certified ScrumMaster (CSM®) pela Scrum Alliance, Certificado ITIL® Foundation e Lean Six Sigma Yellow Belt (SSYB). Possui 10 anos de experiência em projetos nas áreas de Telecomunicações e Tecnologia da Informação em empresas multinacionais como Alcatel-Lucent, Isolux Corsan e Huawei Technologies, atuando em projetos de infraestrutura para redes de alta capacidade das maiores operadoras de telefonia do país. É o atual Diretor de Administração e Finanças do PMI-PE.

Wagner Borba

Comentários

You must be logged in to post a comment.

botão emergência ransomware (1)

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.