Desenvolvimento

Ξ Deixe um comentário

Sete maneiras em que a internet das coisas muda o nosso trabalho

publicado por Fabio dos Anjos

A internet das coisas está influenciando aspectos tão diferentes quanto o gerenciamento de dados, a criação de novos modelos de negócios e o acesso à conexão em locais remotos.

As empresas estão no meio de uma transformação em direção a um modelo cada vez mais inteligente, onde a produtividade prevalece, mas também o respeito pelo meio ambiente e pela cultura empresarial. Agora, o instrumento básico é um computador com acesso à Internet, mas, pouco a pouco, outros objetos conectados à rede são introduzidos, o que ajuda a aumentar a produtividade das empresas. A internet das coisas é o ponto de virada que está influenciando aspectos tão diversos quanto o gerenciamento de dados, a criação de novos modelos de negócios e o acesso à conexão em locais remotos. Especialistas lembram que “é importante entender que a conectividade não tem mais a ver apenas com computadores e impressoras, mas com um ecossistema complexo capaz de transformar objetos em serviços inteligentes”. Analisamos sete maneiras pelas quais a Internet das coisas muda de negócios.

Conectar máquinas

A característica básica que define a internet das coisas é que ela conecta os objetos à internet e isso possibilita que eles se comuniquem uns com os outros. Seu objetivo é conectar e comunicar milhares de dispositivos para aproveitar ao máximo seus aplicativos. A internet das coisas permite uma gestão eficiente da comunicação, tanto entre máquinas como entre pessoas, o que acarreta uma grande redução de custos para as empresas. Metade das empresas consultadas no Barômetro Vodafone IoT que já está usando essa tecnologia viu seus custos reduzidos em 20%. E esta tendência apenas começou. Nos próximos três anos, segundo o consultoria de tecnologia Gartner, teremos cerca de 21 bilhões de aparelhos conectados à Internet, e as empresas estão dispostas a investir cerca de 250 bilhões de dólares por ano nessa tecnologia, segundo o Boston Consulting Group. “O resultado é uma mudança radical na forma de trabalhar, otimizando as operações e atingindo uma nova etapa de eficiência”, explica Alberto Martínez, diretor geral da Lantek.

Melhor / mais dados

Essa hiperconexão resulta em um grande tráfego de dados. As informações compartilhadas pelas máquinas devem ser armazenadas , processadas e analisadas com programas poderosos que poderão executar ações de forma automatizada ou simplesmente ajudar os profissionais a tomar decisões importantes para seus negócios. “As empresas terão acesso a uma enorme quantidade de informações que todos esses dispositivos conectados irão gerar”, explica HBR Mary J. Cronin, professora do Boston College. “Essas informações devem ser analisadas para entender melhor as tendências e o comportamento dos clientes, e as empresas devem usar os dados da IoT como parte de seu planejamento para se manterem competitivas e oferecerem novos serviços e produtos inovadores”.

Melhora a produtividade da empresa (graças, mais uma vez, aos dados)

As informações coletadas por dispositivos inteligentes permitem, entre outras coisas, obter melhores resultados em menos tempo. A empresa pode acompanhar todos os elementos conectados à internet. Quando cada ferramenta e dispositivo é conectado a um sistema centralizado, é muito mais fácil de gerenciar. Isso facilita a coleta de informações e a subsequente identificação de padrões na atividade, erros e formas de corrigi-los. Permite, por exemplo, a manutenção preventiva das máquinas. Os sensores conectados à rede podem monitorar o desempenho do equipamento e prever falhas antes que ocorram, economizando tempo, dinheiro e possíveis danos. À medida que mais dispositivos são conectados, a coleta manual de dados permanecerá nos trilhos, dando aos humanos mais tempo para se concentrarem em outras maneiras de serem produtivos.

Facilita conexões em lugares de difícil acesso

Um aplicativo recente para essa tecnologia é a conexão à Internet entre dispositivos que estão em áreas de cobertura precária, no subsolo ou em locais de difícil acesso. Esta estreita faixa de internet das coisas – NarrowBand-IoT – foi lançada pela Vodafone em colaboração com a Huawei e seu uso é específico para empresas. É indicado para setores como a distribuição de água, eletricidade, gás ou agricultura.

O plano é que antes de 31 de março, a Vodafone tenha mais de 1.000 estações de rede atualizadas com a tecnologia NB-IoT. Cada estação pode conectar mais de 100.000 dispositivos à internet. Como a empresa resume, “é o primeiro passo para o 5G realmente”.

Tecnologia mais barata e mais ecológica

Um dos principais objetivos dos escritórios do futuro é aumentar a eficiência dos edifícios devido ao respeito pelo meio ambiente, mas, acima de tudo, porque supõe uma economia nas faturas no final do mês. Graças à internet das coisas, as empresas podem economizar energia controlando o ambiente de trabalho no escritório. Isto é, domotizando-o. Essas ferramentas já estão no mercado ou em desenvolvimento e servem, por exemplo, para que os edifícios mudem para um modo noturno fora do horário comercial. Isso é possível tornando o sistema de controle de iluminação e aquecimento inteligente e conectando-o à internet para que ele possa compartilhar informações. Isso reduz custos e maximiza o uso de energia.

Melhore a segurança dos funcionários

Soluções inteligentes podem aumentar a segurança física de um edifício. Por exemplo, esses sistemas identificam áreas de passagem comuns que exigem atenção especial para a segurança dos funcionários, para que possam planejar estrategicamente rotas para evitar acidentes. Plataformas de iluminação inteligentes podem reduzir o roubo ao acender as luzes quando os sensores detectam movimento e realizam testes de sistema tediosos e demorados para os humanos, caso precisem fazê-lo regularmente. A internet das coisas, combinada com serviços na nuvem , pode melhorar a segurança: um dos pontos fortes dos provedores de computação em nuvemé o grau de proteção com o qual eles mantêm a informação. Eles investem grandes quantias de dinheiro e oferecem níveis de segurança muito mais altos do que aqueles normalmente disponíveis para uma empresa por conta própria.

Mas esta moeda tem outro rosto. Tudo conectado à internet é suscetível a ser atacado por hackers . Portanto, é necessário dedicar esforços proativamente para proteger objetos conectados. Uma fórmula para fazer isso é combinar a tecnologia de segurança apropriada com o treinamento dos funcionários e garantir que as empresas estejam cientes da importância de proteger as infraestruturas essenciais e as informações privadas.

Permite criar novos modelos de negócio

A adoção de redes de internet está dando lugar a grandes empresas para transformar sua maneira de fazer negócios. As comunicações da IoT permitem que as empresas obtenham o máximo dos grandes dados , um exemplo claro de seguro baseado no comportamento do motorista e novos modelos de veículos compartilhados.

Ele permite que as organizações adicionem novos recursos a produtos rapidamente, registrem patentes e ganhem força na marca. Mais especificamente, na indústria, as empresas de manufatura podem tomar decisões para melhorar a linha de suprimento, por meio de operações de manutenção preventiva . Além disso, ajuda a reduzir a produção e o tempo de inatividade com defeito na cadeia de fabricação.

A evolução do modelo de negócios no varejo também faz a diferença. A internet das coisas melhora a experiência do cliente e ajuda na construção de novos canais de vendas. Facilita a conexão do mundo físico com o mundo virtual, permitindo a interação com os consumidores tanto no estabelecimento quanto no mundo online. Por exemplo, esta tecnologia mudou o negócio das máquinas de café Quality Espresso. Com suas máquinas de café conectadas à nuvem, obtêm dados sobre o consumo de café em estabelecimentos e avarias. Isso permite maximizar a receita e controlar os custos de manutenção.

Publicação original: https://retina.elpais.com/retina/2018/01/22/talento/1516639374_582456.html
  •  
    1
    Share
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Quase 10 anos de experiencia no mercado de T.I. Tecnólogo em redes de computadores e MBA em Gestão estratégica de negócios pelo Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada (IBTA). Premiado HPE Aruba Brasil Networking Partner of the Year 2016 pela IT2B - Tecnologia e Inovação. Certificados: CCNA R&S/ CCNA Wireless/ Aruba Certified Mobility Professional v4/ HP ASE (Accredited Systems Enginner)/ Huawei Certified Pre-sales Specialist-IP Network (Shenzhen - China).

Fabio dos Anjos

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.