Gerência de Projetos

Ξ Deixe um comentário

Sabe resolver problemas ou acha que sabe?

publicado por Camila Seródio

Será que você tem capacidade para pensar e resolver problemas?

Nas organizações, as decisões nunca são tomadas de forma arbitrária, dependem de um contexto, de um encontro de problemas com as quais estão associadas. A tomada de decisões e a qualidade da mesma se revela como um dos aspectos mais importantes do trabalho de um gestor. Mede-se a eficácia de um gestor pela qualidade das decisões que adota.

Ao estudar e realizar o levantamento das características que os gestores possuem no momento de decidir algo nas organizações, consegui listar os elementos essenciais para as resoluções. São elas:

  • Intuição: É agir de determinada maneira sem saber o porquê. Contudo possui alto nível de risco para a organização, mesmo com êxito em determinadas situações.
  • Valores Pessoais: São os valores éticos do indivíduo, que os guiam para solucionar os problemas em questão.
  • Julgamento: O gestor deve possuir bom senso e experiência. Refere-se à situações já vividas para embasamento da opinião.
  • Racionalidade: Capacidade de identificar o problema através de um processo lógico e analítico, no qual analisa os componentes e adota a melhor solução possível.

O conceito de toda decisão que constitui o resultado de um processo dinâmico no qual é afetado por diversas forças. Dolan e Pineda (2008) afirmam que a racionalidade humana se situa em um contexto psicológico e social e, por isso, está circunscrita por fatores e limitações sobre o que se baseia a decisão. Para fugir dessa limitação, o gestor precisa passar a enxergar novas oportunidades de resolução.

De forma simples e objetiva, podemos apontar as sete etapas do processo de tomada de decisão a partir dos problemas:

  1. Definição do Problema: É necessário descobrir e definir o problema, fazer distinção entre os sintomas e as causas, analisar os dados primários e secundários (a diferença entre eles é assunto para um próximo post).
  1. Reunião e análise dos fatos pertinentes: Após identificação do problema, é necessário reunir todos os fatos relacionados. Fato é um fenômeno verdadeiro e opinião é uma ideia ou julgamento qualquer.
  1. A busca de soluções: Levantar todas as soluções possíveis, a partir de reunião denominada brainstorming. Ocorre o alargamento horizontal das possíveis soluções e abrange assim, novos caminhos e possibilidades.
  1. Avaliação das soluções propostas: As inúmeras soluções devem ser avaliadas e qualificadas. Exemplificando-as em cenários reais e indicando possíveis variáveis que a tornem ineficaz para tal problema.
  1. Escolha de uma solução: Determinar qual solução deverá ser colocada em execução, após as comparações. Esta deve demonstrar suas vantagens e desvantagens claramente.
  1. Implantação da solução selecionada: Determinar os responsáveis para aplicação, a partir de uma ordem pré-determinada, evitando retardos e falhas no processo.
  1. Avaliação da decisão: Consiste em classificar periodicamente os resultados, possibilitando possíveis correções no caminho, que foram demonstradas a partir dos indicadores utilizados.

Primeiro de tudo, para cada situação uma estratégia especial de resolução deve ser utilizada. Com isto, o estilo de liderança praticado na empresa altera diretamente a tomada de decisão. O modelo de gestão destas organizações determina o grau de participação da equipe no processo, expondo a flexibilidade necessária da liderança. Devido a isto, podemos concluir que quanto maior a participação da equipe melhor será a aceitação da decisão.

Atualmente estamos inseridos em um contexto repleto de múltiplas variações, um cenário mais volátil, necessitamos ampliar nossa visão e conhecimentos da gestão. Abordá-las de forma coesa, que objetiva um resultado satisfatório proveniente da capacidade de escolha e implantação das tomadas de decisão a partir dos problemas apresentados é de extrema importância para o gestor dentro da organização.

Temos que ter este pensamento: Melhorar este processo de tomada de decisão e saber utilizar as técnicas para isto, é o que torna o gestor um diferencial.

Enfim, foram apresentadas algumas características e um passo a passo do processo de tomada de decisão. Estes dois fatores irão te ajudar a enxergar de forma mais ampla as alternativas de solucionar tais problemas.

Se você leu este post até aqui e sentiu semelhança com o que já coloca em prática atualmente, parabéns! Você está no caminho certo.

Se você ainda não teve oportunidade de colocar em prática estes pontos, não se preocupe. A oportunidade virá ou você mesmo pode criar, porém esta história de criação de oportunidade deixaremos para outro post.

That’s all folks.

  •  
    4
    Shares
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Camila Seródio, Pós-Graduanda no MBA em Gerenciamento de Projetos pela Faculdade ESUDA, Tecnóloga em Processos Gerenciais pela Faculdade de Comunicação, Tecnologia e Turismo de Olinda - FACOTTUR. Com mais de 8 anos de atuação em Tecnologia da Informação, em suas diversas áreas. Possui certificações Six Sigma Yellow Belt Professional pela 6SIGMAstudy e Scrum Fundamentals Certified™ pela SCRUMstudy. Nos últimos 5 anos trabalhou com foco em Negócios na área de TI, em áreas como Governança e Gestão em TI, Gestão da Qualidade, Modelagem e Estruturação de Processos e Gerenciamento de Projetos.

Camila Seródio

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes