Direito & Tecnologia

Ξ Deixe um comentário

Antipirataria Microsoft

publicado por Gustavo de Castro Rafael

Antipirataria MicrosoftNo final de 2012 e início de 2013 a Microsoft vem ampliando os canais e parceiros para combater a pirataria dos softwares Microsoft. Empresas de médio e até pequeno porte no Brasil todo, seja capital ou interior estão recebendo constantemente e-mails e telefonemas de parceiros Microsoft informando que receberam uma denúncia de utilização dos softwares Microsoft de forma irregular pela empresa. Esta abordagem quase sempre ocorre através de um e-mail @microsoft.com e com a assinatura no e-mail de “Área de Conformidade e Licenciamento; Anti Piracy; Tele Licensing Compliance”, ou através do telefone solicitando que o responsável pela área de TI ou software atenda as solicitações.

A maioria dos e-mails enviados por estas equipes possuem um tom ameaçador e intimidador, informando que se não tiverem um retorno até a data estipulada será acionado a área jurídica da Microsoft. Estas equipes ou canais na maioria das vezes são revendas Microsoft. No e-mail é solicitado um levantamento de todas as licenças Microsoft no ambiente, desde estações até servidores e o envio de uma planilha chamada PUA com estas informações, ou em alguns casos eles solicitam instalar um software no servidor e distribuir via GPO para todas as estações para coletar de forma automática este levantamento, mas cuidado, este software não é da Microsoft e sim de um parceiro que desenvolveu, portanto não recomendo a instalação deste software.

Não vou entrar na esfera jurídica, se a empresa é obrigada ou não a enviar estas informações, o que pode ocorrer em alguns casos se a empresa não retornar e colaborar com esta análise no ambiente, é um fiscal da Microsoft em conjunto com um oficial de justiça ir pessoalmente na empresa realizar este trabalho, mas neste caso possivelmente a Microsoft não será tão flexível em relação a regularização.

Eu recomendo as empresas que receberem este contato, realizarem os procedimentos solicitados, enviando a PUA, visto que se existir irregularidade o intuito destes parceiros não é entrar com uma ação judicial e sim apoiar/ vender as licenças em déficit.

Após o envio das informações PUA para a Microsoft, eles irão realizar um confronto das licenças cadastradas na Microsoft (Open Volume) com as que você informou na planilha e caso exista algum GAP, eles irão solicitar notas fiscais para comprovar a legalidade do software.

Maquinas compradas através da Dell, HP, IBM, entre outros, que venham com o Windows, Office instalados não são de conhecimento da Microsoft, por isso é fundamental guardar todas as notas fiscais relacionadas a Software, visto que este é o único meio de comprovar. Observação: Mesmo que já tenha passado 5 anos e não exista mais a necessidade fiscal de guardar a nota, para a Microsoft eles não entendem desta forma, pontando, atenção.

A seguir, algumas dicas sobre licenciamento, e como realizar o levantamento das licenças Microsoft no ambiente.

  • Licenciamento Office: Se a empresa possui solução Citrix, Terminal Server, entre outros, ou seja, uma estrutura no qual as estações se conectam no servidor para realizar as operações, é comum achar que somente uma licença do Office seja o suficiente, visto que está instalado somente em um servidor, porém o licenciamento Microsoft em relação ao Office é por usuário, desta forma se 50 usuários conectam no servidor e utilizam o aplicativo Office são necessárias 50 licenças Office para o ambiente.
  • Licenciamento de Call de acesso: É necessário uma call de acesso Windows para cada usuário ou dispositivo que estiver acessando algum recurso no servidor Windows, desta forma, se existir 10 servidores Windows 2008 r2 no ambiente e 50 usuários, são necessárias 50 call de acesso Windows 2008 r2, ou seja, indiferente da quantidade de servidores é necessário somente uma licença vinculada ao usuário ou dispositivo, mas, se a empresa resolver instalar um Windows 2012 no ambiente para ser o Active Directory secundário, por exemplo, será necessário adquirir 50 novas call de acesso para Windows 2012.
  • Licença Windows 2012: Nesta versão a Microsoft mudou as opções de licenciamento possuindo somente a versão Standard e Datacenter. Com as Standard é possível subir 2 maquinas virtuais no ambiente e utilizar o host físico para aplicações, enquanto a Datacenter é ilimitado a quantidade de maquinas virtuais naquele servidor (host físico).

Observação: Apresentei de forma simples algumas questões de licenciamento, visto que dependendo da combinação do ambiente, e recursos Windows utilizados, pode ser necessário uma consultoria especializada para apoiar nestas questões.

Em relação ao preenchimento da PUA (planilha Microsoft) se o ambiente for simples, pode realizar manualmente a checagem nas maquinas e servidores e preencher a quantidade de Windows XP, 7, 8 no ambiente, quantidade de Office, Exchange, SQL Server, entre outras informações solicitadas, mas se o ambiente for grande e complexo recomendo procurar o apoio de algum parceiro partner ou especialista em licenciamento e soluções Microsoft para apoiar na realização do inventário e preenchimento da planilha.

Para maiores informações a Microsoft possui um site explicando a antipirataria, e outro site chamado SAM (Software Asset Management) que pode apoiar com informações para realizar inventário no ambiente em relação a Software Microsoft.

Para finalizar o artigo e não ficar muito extenso, recomendo sempre o preenchimento correto da planilha, ou seja, não omitir informações, e em caso de dúvidas, ou se a empresa não possuir expertise neste tipo de trabalho entrar em contato com um parceiro que terá conhecimento e experiência para realizar.

[Crédito da imagem: Copyright – ShutterStock]

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Fundador da PDCA TI - Consultoria & Treinamentos. Site: https://www.pdcati.com.br Atuação em clientes de diversos segmentos e porte, visando a análise e evolução do nível de maturidade dos processos das áreas de Tecnologia da Informação (Governança de TI, Gestão de TI e Infraestrutura) e Segurança da Informação. Palestrante em diversos fóruns, empresas e universidades. Mais informações, acesse o site https://www.pdcati.com.br. CV: Graduado em Sistemas de Informação; Pós-graduado em Governança de TI; MBA em Gestão da Segurança da Informação. Certificações: ITIL v3; COBIT; ISO 20K; ISO 27K1; DPO Contato: gustavo.castro@pdcati.com.br

Gustavo de Castro Rafael

Comentários

You must be logged in to post a comment.

botão emergência ransomware (1)

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.