Carreira

Ξ 1 comentário

Quantas vezes é preciso “apanhar” para aprender?

publicado por Alexandre Junior

No último dia 18/12/2011, em plena manhã de domingo, tive o desprazer de assistir a um desesperador jogo de futebol entre SANTOS x BARCELONA. Sou Santista desde criança. Não sou daqueles torcedores fanáticos. Até porque sou inteligente e não tenho tempo a perder com brigas e inimizades com colegas e amigos por causa de futebol. Porém, foi muito, mas muito, muito triste ver o desempenho de um time que representava o Brasil atuar da maneira que vimos.

Enfim, sem muito lenga-lenga gostaria de destacar aqui alguns pontos de vista sobre a experiência deste jogo para a vida. Eu, particularmente, sempre acreditei que toda derrota, todo fracasso, toda dor, antes de qualquer lamentação tem que servir de aprendizado (ou lição como alguns gostam de falar) para o nosso dia a dia.

Então, aí vão alguns pontos que quero destacar:

Entre para a disputa com um único foco, “vencer”!: Sinceramente não consigo entender os motivos que levam as pessoas a ter medo de competir e perder. Para mim, quando entramos em uma disputa e não atacamos de igual para igual, dá a sensação do medo de vencer e não de perder. Pois, se você não batalhar para ganhar, para conquistar, para se destacar, como é que você pretende chegar à vitória?

O segundo lugar já é teu antes de iniciar qualquer disputa, então lute pela vitória: Um adversário, por mais superior que seja nunca será imbatível. Não existe adversário perfeito. Não existe adversário sem pontos falhos ou de característica “completa”. Em meus poucos anos de vida já me deparei com várias batalhas profissionais e pessoais, com adversários de porte muito além dos meus e nem por isso abaixei a cabeça e fiquei aguardando que os me atacasse. Nada além da conquista interessa!

A comunicação é o forte aliado de uma equipe: Todo mundo está cansado de saber que “a divisão de tarefas ou o trabalho colaborativo é o principal diferencial para ser competitivo”. Agora eu não consigo entender o motivo que leva as pessoas (ou o grupo de pessoas) a continuar na insistência de serem individualistas, de não conversar, não trocar experiência. Quando vemos um companheiro em dificuldades a primeira reação que a maioria das pessoas tem é simplesmente ficar olhando “o (a) cara se ferrar” e depois que a situação está perdida queremos aconselhá-los e dizer o que fazer. Pior que isto. Após a derrota culpa o colega dizendo que “não vencemos porque o fulano fez errado”.

Invente e não reinvente: Não entendo o que leva as pessoas a ficar refazendo algo que alguém já o criou. Vou um pouco além. Se gloria com algo que já não é diferencial. Aí quando vem a derrota, fica olhando com cara de bocó para as pessoas com o olhar de “não entendi porque não venci, por que não me deram atenção”. Diariamente existem várias e várias pessoas como nós inovando, disponibilizando diferencial, fazendo diferente. Largue a mão do bendito pioneirismo e comece a produzir o que realmente é diferencial, é inovador, é surpreendente. Seja pioneiro e inovador, aí sim, você será o melhor!

Jogue água quente em seus amigos, água fria só os desmotivará: O seu adversário é melhor? O seu adversário tem mais dinheiro? O seu adversário é mais bem estruturado? Excelente, parabéns para ele. Certamente então ele não precisa de elogios. Ele não precisa que fique babando o ovo dele. Ele já tem a autoestima elevada. Então, quando você se deparar com esta situação faça o seguinte: Anime seus companheiros; Unam-se e busque as falhas (pontos fracos) do adversário; Não elogie o adversário, e sim, elogie o teus companheiros; Dê uma injeção de ânimo e vá para cima do adversário. Uma coisa é fato, por melhor que o adversário seja, se você o confrontá-lo ele vai tremer na base. Acredite nisto.

Você não será o melhor se os companheiros não os ajudarem: Dizem que o Neymar Jr. é o melhor da equipe do SANTOS. Isto é verdade! Dizem que o Messi é o melhor do Barcelona. Isto também é uma verdade! Porém, quando o PH. Ganso, o Arouca, o Elano e outros integrantes da equipe do SANTOS não “servem” o Neymar Jr., o cara não faz paçoca nenhuma!!! O cara simplesmente fica pior que atacante de time da várzea. A mesma coisa, e o mesmo fato, acontecem quando o Messi joga pela Seleção da ARGENTINA. Literalmente um lixo de jogador. Então pare de achar que pelo fato de você saber mais que os outros, isto o faz ser exclusivo, único, intocável. Os seus companheiros tem 50% de direito do teu sucesso. Compartilhe com eles na derrota e principalmente na vitória.

É isto aí pessoal. Torço para que não somente o time do SANTOS, mas também todos os outros times e acima de tudo NÓS!, busquemos refletir sobre nossas vidas. Temos que inovar em nosso modo de pensar. Só assim seremos melhor para si e para o mundo.

Faça teus comentários. Contribua, compartilhe, agregue conhecimentos.

Nada além da INOVAÇÃO!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Atuando a 13 anos na área de TI, e para empresas de diversos segmentos, exerci cargos de analista de suporte técnico, de especificação, de implementação, de testes e implantação de software. A penúltima atuação foi como administrador de banco de dados Oracle, realizando administração e projetos de banco de dados para a empresa CPqD. Atualmente trabalho na gerência de negócios da empresa TNT Technology & Educacional, na oferta de soluções de software para gestão educacional, gestão do relacionamento com os clientes, e cursos de pós-graduação. Em Abril/2011 iniciei como articulista do portal TI Especialistas, no qual pretendo apoiar na disseminação de conhecimentos.

Alexandre Junior

Comentários

1 Comment

  • Parabéns pelo artigo. Ficou sensacional o link enter futebolm motivação, trabalho em equipe, futebol, etc. E para mim o primeiro ponto foi o motivo da derrota do Santos: não entraram para vencer.

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.