Carreira

Ξ 2 comentários

Gestão de equipe? Eu posso fazer isso!

publicado por Gleidson Rodrigues

Um funcionário aparentemente indisciplinado pode tornar-se excelente naquilo que faz se obtiver atenção adequada por parte de seus superiores?

Conheci um amigo de escola que era o “terror” dos professores, perturbava a aula e irritava a todos, parecia que tudo de errado que acontecia naquela escola ou era culpa dele ou estava envolvido, a saída escolhida pela direção foi a expulsão.

Esse menino foi matriculado em outra escola e anos mais tarde ao reencontra-lo já adulto qual não foi minha surpresa quando descobri que havia se formado em Engenharia de telecomunicações e era Diretor de tecnologia em uma multinacional.

Relembrando esse fato vejo como na maioria dos casos o problema não está nas crianças ou jovens que são “problemáticos” e sim nos adultos que não tem conhecimento suficiente para explorar suas qualidades e incentivar o desenvolvimento de habilidades incríveis que poderiam ser uma contribuição para a sociedade.

Portanto acredito piamente que “quase” todas pessoas podem ser incentivadas a tornarem-se profissionais de grande valor.

Talvez você tenha talentos ocultos em sua empresa, pessoas com capacidade para desempenhar papéis estratégicos e dar uma nova roupagem em setores que a anos se arrastam sem conseguir atingir metas, que tal dar uma ajudinha para que esses talentos brilhem? Isso se chama gestão de equipe.

Todos nós gostamos de atenção, o funcionário se sente bem quando vê que a empresa o considera importante e fundamental , que ouve o que tem a dizer e considera seu trabalho como parte essencial para o sucesso do grupo.

Reuniões

O diálogo entre  equipe e gestão deve ser constante, reuniões semanais onde todos podem falar e dar sugestões oferecem resultado rápido como parte da integração. Prepare tópicos rápidos e objetivos. É comum os funcionários desejarem reclamar ou colocar questões que  podem gerar discussões, utilize um canal para este fim, um e-mail ou caixinha para críticas, dessa forma você pode tratar isoladamente os fatos sem contaminar outros integrantes.

Seja breve, lembre-se que o ser humano consegue se concentrar aproximadamente por 30 minutos, mais do que isso a mente começa a divagar, sem contar que se torna cansativo e chato, esse não é o objetivo, todos devem sair da reunião com metas e responsabilidades bem claras.

Ouvindo sua equipe

Tire  tempo diariamente para conversar em particular com cada um deles, ouça o que tem a dizer, peça sugestões sobre determinados projetos em que estão envolvidos, defina tarefas específicas para que cada um, peça relatórios de status e progresso, crie um fórum para debates de pontos críticos onde cada um pode colocar as dificuldades encontradas e compartilhar soluções.

Treinamento

Crie um plano de aprendizado continuo para seus funcionários, incentive-os com premiações em cada etapa concluída, escolha assuntos e competências que podem beneficiar determinados projetos em andamento, indique livros sobre relacionamentos profissionais. Pode -se montar uma pequena biblioteca onde exista um ranking de maiores leitores afixados na parede.

O ser humano é competitivo por natureza, explore esta característica para o bem da empresa com espírito saudável e integrado, nunca denegrindo os “últimos colocados” mas incentivando-os a se tornarem os primeiros, mostrando que todos podem contribuir com seus talentos.

Plano de carreira

É importantíssimo que a empresa desenvolva juntamente com o RH um plano de carreira, “quem não sabe onde quer chegar não chega a lugar algum” essa afirmação é bem verdadeira, se você não pode oferecer uma visão de crescimento para seus funcionários não pode esperar comprometimento e entusiasmo, todos querem melhorar seu status social e financeiro. Estabeleça requisitos claros e publique na intranet ou em local onde todos possam ver, divulgue.

Disciplina

Amizade e companheirismo não podem ser confundidos com libertinagem, deixe bem claro as regras quanto a horários, relatórios e atribuições. Quando ocorrerem desvios chame a pessoa envolvida e converse em particular, revisando as regras e obrigações, nunca exponha a pessoa ao ridículo ou humilhação pública, este tipo de atitude tem ação reversa ao objetivo, a pessoa ficará constrangida e alimentara mágoa, gerando descontentamento e fofoca pelos corredores.  Quando perceber algum “burburinho” trate de resolver rapidamente para que não se espalhe e torne-se um problema real.

Cargos

Respeite e incentive a hierarquia corporativa, nunca critique superiores muito menos subordinados a terceiros, mostre que os cargos existem para serem respeitados e processos devem seguir o fluxo de decisões da empresa, dessa forma seu funcionário dará valor ao cargo quando receber uma promoção.

Destaque os níveis de supervisão e coordenação, crie o sistema de cargos júnior, pleno e sênior, assim poderá aumentar a oferta de promoções.

Em resumo

Tenha seu funcionário como um aliado do negócio e não um impedimento para suas metas.

Invista no fator humano, este pode gerar ótimos ganhos em todos os sentidos, fortalecendo sua organização e imagem no mercado.

Sucesso e até a próxima!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Especialista em Gestão de TI - COBIT / PMBOK / BPM / ITIL. Administrador de Redes e Segurança da Informação. Suporte a serviços, gestão e coordenação de equipes, administração de infraestrutura e redes. Microsoft Technical Specialist Business Intelligence and Datacenter. Consultor de convergência e proficiência em Help-Desk. Escritor do blog Gerenciamento Integrado, HotPlug Segurança da Informação. Colaborador dos sites TI Especialistas, Profissionais TI e Administradores. Estratégia em redes sociais e marketing de conteúdo.

Gleidson Rodrigues

Comentários

2 Comments

  • Com certeza, estas palavras refletem na íntegra como podemos melhorar o desempenho de nossas equipes e por consequência a nossa empresa. Eu me pergunto, qual a razão dos fatores humanos cada vez mais ficarem deixados de lado? Afinal, por traz de máquinas, gráficos de desempenhos, análises criticas, estão aqueles que levam o nome da organização e o seu próprio profissionalismo à frente. Parabéns pela publicação!

    • Também pondero sobre isso Ricardo. Talvez a resposta seja que na busca por metas e prazos a gestão não perceba que as soluções mais eficazes muitas vezes sejam as mais simples. Refletir sobre o ambiente da operação e as “engrenagens” envolvidas podem ajudar a identificar estas prioridades. Abraço.

You must be logged in to post a comment.

botão emergência ransomware (1)

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.