Carreira

Ξ 3 comentários

Chega de alinhar TI e negócios – Parte II

publicado por Darlan Amancio Rodrigues

Chega de alinhar TI e negócios - Parte IITem um bom tempo que escuto o discurso enfatizando e cobrando o alinhamento da Tecnologia da Informação as necessidades ou requisitos do negócio. Mas ao longo da minha experiência, muitas vezes vi a TI pagando pelos pecados que vinham de outras áreas ou mesmo pela desorganização geral da empresa, e ai ser cobrada para adotar boas práticas e afins. E ai comecei a pensar: e a contrapartida? Onde fica? Então me lembrei que outras pessoas com mais prestígio que eu já haviam pensado parecido antes (a parte 1 esta no link da frase anterior, leia para entender melhor).

Nunca antes na história a TI agregou tanto valor ao negócio como nos últimos tempos. A colaboração vem de todos os lados, com diversos tipos de ferramentas e iniciativas (BI,cloud computing, BigData, BYOD, mobilidade, etc), e para os mais diversos fins (redução dos custos, mapeamento de processos, compliance, segurança da informação, etc).

TI nas organizações hoje é estratégia, a muito deixou de ser o “rapaz do CPD”. Eu diria que hoje é vital, para qualquer tipo e tamanho de organização. Me arrisco mais: sem TI não há negócio! Quer ver? E nem vou usar o exemplo do tipo ” experimentar desligar seu servidor de e-mais”…

Ano passado no BPM Day em Porto Alegre, assisti a uma palestra sobre automação do processo de gestão de medicina ocupacional em uma grande empresa de planos de saúde, ministrada pela analista de negócios da organização que comandou todo o processo. Advinha para onde ela correu quando foi começar? Para a TI! Não foi para a administração ou qualidade, ela foi para a TI! E não somente para que instalassem o Bizagi, Visio ou Project, não, ela queria uma solução para o problema dela. Quer outro exemplo? Ao me inscrever num curso de Formação de Auditores Internos da ISO 9001, pensei comigo: “vou chegar lá sendo o único que trabalha em TI”. Errado! Em uma turma de dez pessoas, TODOS eram de TI e em torno de 7 seriam os responsáveis pela gestão da qualidade nas organizações. Sem falar da Segurança da Informação, que quando, erroneamente, não é responsabilidade da TI, responde para o gerente deste setor. Ou seja: quando precisa-se de algo em uma empresa a primeira porta em que se bate é a da TI (nem que seja para perguntar ao estagiário se ele não pode trocar uma lâmpada na sala do financeiro ou o garrafão do bebedor de água).

Não estou propondo aqui que esqueçamos tudo que se construiu até agora. Na minha opinião tudo ainda começa pelas necessidades do negócio que irão determinar o que a Tecnologia da Informação precisa entregar. O que proponho é uma valorização dessa contribuição, através de investimentos, adoção de melhores práticas também no negócio e organização da empresa como um todo, criando uma esfera de trabalho mais positiva e colaborativa, mais prazerosa de se trabalhar. Todo mundo sairia ganhando, TI e o negócio.

Um caminho/ferramenta que a Tecnologia da Informação poderia usar para ajudar ainda mais? ROI (Returrn on Investment ou Retorno sobre o investimento). Confesso que é algo muito complicado e desafiador de se fazer e que talvez por isso poucos fazem. Mas pode ser uma saída para o seu diretor parar de dizer que “informática só gera custo”.

Continue levando seus problemas para TI resolver, vamos adorar soluciona-los, mas vamos gostar mais ainda quando você der os parabéns e botar o plano de cargos e salários pra funcionar 🙂

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Nascido na terra do sol, Fortaleza - CE, mas vivente a mais de 20 anos na estância do Rio Grande do Sul, e por isso apaixonado pelo Grêmio e as gaúchas. Estudante dos cursos de Segurança da Informação e Gestão de Tecnologia da Informação na UNISINOS (São Leopoldo - RS), vou me formar este ano. Mais de 10 anos de experiência em TI, infraestrutura, serviços de rede, datacenter, cloud computing e segurança da informação.

Darlan Amancio Rodrigues

Comentários

3 Comments

  • Sua perspectiva sobre este assunto é muito interessante Darlan.
    Há tempos eu digo que 3 profissionais (além dos sócios) são fundamentais para o sucesso de qualquer empresa: O Contador, o Advogado e “o cara da Informática”. Infelizmente a maioria dos empresários brasileiros (principalmente aqui nas terras alencarinas, onde nascestes e onde eu moro) acha que a TI é um “mal necessário”. As empresas contratam Contadores porque são obrigadas, contratam Advogados para não terem maiores prejuízos financeiros e contratam os Profissionais de TI porque “o governo exige que a Nota Fiscal seja emitida pelo computador”. Daí é fácil ver a valorização que é dada a cada um destes profissionais. Ao invés de utilizar a TI como um diferencial competitivo, medem o valor do profissional de acordo com a capacidade dele de trazer lucros para a empresa. E ainda acham que a TI só traz lucro para as empresas de TI.
    Em contraponto a seu artigo, acho que a maioria das empresas brasileiras nem começou a alinhar a TI à suas visões de negócios. Ainda falta muita cultura empresarial sobre isso, tanto que a maioria das empresas não tem orçamento dedicado para investimentos em TI. Vejo que a maioria utiliza uma conta de “despesas diversas” em seus planos de contas…
    Infelizmente este é um problema é cultural que não pode ser resolvido de uma hora pra outra. É como tentar convencer a China a adotar direitos trabalhistas semelhantes aos nossos.
    Enfim, vamos continuar lutando por nosso reconhecimento e parabéns por seu artigo, principalmente o belíssimo parágrafo final!!! rsrsrsrs

    • Obrigado Marco! Sei que a luta por isso é grande, mas espero ser mais teimoso que ela rsrs. Abraço!

  • Excelente artigo, disse tudo e mais um pouco.

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.