Mercado

Ξ 2 comentários

A migração 2.0 – o caso das editoras de livros

publicado por Carlos Nepomuceno

Não se vê muita vantagem, com razão, de ler em um tablet/celular/computador do que no papel. É o mesmo processo digitalizado, mas o que temos pela frente como grande vantagem não é isso! Estamos fazendo mais do mesmo. Ou seja, digitalizando a topologia atual, ao invés de migrar para uma nova topologia.

Saiu no Valor  um artigo sobre a chegada do novo livro digital, que vai nos ajudar a pensar sobre a migração para o mundo 2.0 de maneira geral e, em particular, o caso das editoras.

Roberto Feith, diretor-geral da Objetiva e presidente do conselho da DLD (Distribuidora de Livros Digitais, empresa que representa as editoras Record, Objetiva, Sextante, Rocco, Planeta, LPM, Novo Conceito e da canadense Harlequin) aponta as mudanças no seguinte artigo “Livro digital estimula novos gêneros e outro perfil de leitor“.

Ele acredita que vamos ter agora:

  • – passagem de obras do papel para digitais;
  • – redução do tamanho dos textos: a ideia é publicar obras de até 15 mil palavras.

Note que a relação do modelo texto-leitor continuará igual.  Muitos dirão que gostam do papel, não gostam de ler em telas, que o preço do digital ainda não compensa, etc.

Não se vê muita vantagem, com razão, de ler em um tablet/celular/computador do que no papel. É o mesmo processo digitalizado, mas o que temos pela frente como grande vantagem não é isso! Estamos fazendo mais do mesmo. Ou seja, digitalizando a topologia atual, ao invés de migrar para uma nova topologia.

A Cultura 2.0, que nos traz o grande diferencial, é justamente a criação de uma plataforma que permite uma nova maneira de estabelecer a troca entre o produtor-consumidor, em qualquer área. Não há possibilidade de se beneficiar disso de forma mais relevante, a não ser criando a nova plataforma, como vemos no modelo abaixo:

 

Nesse modelo o autor e o leitor e o leitor e o leitor estão na mesma plataforma, que permite:

O autor:

  • escrever direto na plataforma;
  • atualizar os textos na plataforma, quando achar que deve, espalhando para todos que o recebem;
  • receber comentários, sugestões, críticas;

O leitor:

  • Receber as atualizações feitas pelo autor;
  • Poder compartilhar a leitura com seus amigos, alunos, conhecidos, etc, tanto o livro todo, quanto uma página, um parágrafo, uma frase;
  • Poder traduzir qualquer texto de qualquer língua para qualquer língua;
  • Poder tirar uma dúvida sobre qualquer palavra;
  • e conhecer o histórico de leitura sobre cada texto, obtendo as marcas feitas por quem já leu, a critério do leitor.

Note que tais vantagens nos levam para um novo mundo de leitura de livros, que será uma grande vantagem principalmente nos livros técnicos, didáticos, de conhecimento.

É um salto quântico do que temos hoje e quando tivermos algo assim ninguém mais poderá dizer que prefere o livro de papel, a não ser para casos muito particulares.

Concordas?

Que dizes?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Carlos Nepomuceno é Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Federal Fluminense/IBICT Instituto Brasileiro em Ciência e Tecnologia com a tese “Macro-crises da Informação”. Jornalista e consultor especializado em estratégia no mundo Digital, desde 1995 com foco no apoio à sociedade a lidar melhor com essa passagem cultural, reduzindo riscos e ampliando oportunidades. Atualmente, se dedica a implantação de projetos de “Gestão de Desintermediação”, que é uma metodologia criada integrada para preparar pessoas, metodologias e tecnologias para o mundo das redes sociais digitais corporativas. Professor nos seguintes cursos do Rio: MBA de Gestão de Conhecimento do CRIE/Coppe/UFRJ, Gestão Estratégica de Marketing Digital e/ou Mídias Digitais nos cursos de Pós-graduação da Faculdade Hélio Alonso (IGEC), Mídias Digitais Interativas no Senac/RJ e Marketing Digital na Fundação Getúlio Vargas. Escolhido como um dos 50 Campeões brasileiros de inovação, pela Revista Info, em 2007. É também co-autor junto com Marcos Cavalcanti do primeiro livro sobre Web 2.0 no Brasil: Conhecimento em Rede, da Editora Campus/Elsevier, utilizado em vários concursos públicos, incluindo o do BNDES. Diretor Executivo da Pontonet, primeira empresa de Consultoria da Web Brasileira, fundada em 1995, que reúne em sua carteira mais de 340 projetos de consultoria estratégica em Internet, mais recentemente tem trabalhado na Vale, BNDES, Petrobras, Dataprev, Prodesp, Embrapa e Natura. Site: nepo.com.br

Carlos Nepomuceno

Comentários

2 Comments

  • Carlos -com apreço.
    Bem, sou escritor com obras publicadas na saúde e tenho enveredado também pela literatura de romance e autoajuda, mas meu foco predileto é a dor e sua ação nefasta (20 anos de pesquisa). Se você se interessarem estou a disposição.
    Sucesso.

  • A migração 2.0 – o caso das editoras de livros – TI Especialistas Galera, acessei o site Namoro Espirita e finalmente achei um site para espíritas e simpatizantes a fim de relacionamento sério! Muito Bom! http://www.namoroespirita.com.br Aprovei:)!

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.