Posts by Tag: gerencia de projetos»

Carreira

Análise Transacional

Análise Transacional

posted by Rodrigo Lodeiro

[LÍDER DE TESTES] – A área de Desenvolvimento entregou o módulo que meu time deve testar até sexta-feira, mas a equipe de Banco de Dados ainda não liberou acesso à base de homologação. Precisamos iniciar os testes ainda hoje, sob risco de atrasarmos a entrega ou liberar o produto sem ter sido completamente testado.

[GERENTE DE PROJETOS] – Este módulo atenderá um processo crítico do cliente. Nem considere a hipótese de deixar algum teste de lado. Qualidade é principal restrição. Eu havia alertado por telefone o Gerente de TI sobre a falta de reporte do pessoal de Banco de Dados e pelo visto ele não tomou a ação prometida. Vou pessoalmente conversar com ele.

Segurança da Informação

Controles de segurança da informação para a empresa pública

Controles de segurança da informação para a empresa pública

posted by Diogo Guimarães

Segurança da informação para a empresa pública: Qualquer medida de Segurança da Informação, por mais eficaz que seja não será capaz de eliminar totalmente todos os riscos, ameaças ou vulnerabilidades a que um sistema está exposto (ou declarar um sistema como totalmente seguro!).

Gerência de Projetos

Gestão de Projetos – Uma visão Simplificada

Gestão de Projetos – Uma visão Simplificada

posted by Nathan Leandro Luppi Pinotti

“Gerenciamento de Projetos”! Ultimamente muito se ouve muito sobre esse termo, há quem diga que não passa de mais uma moda da adminstração moderna, outros dizem ser administração disfarçada, e há os fanáticos e apaixonados pela disciplina. Para muitos, a grande dificuldade é realmente entender o que é e para que serve o do Gerenciamento de Projetos. Tentaremos, portanto, descrever de forma simples e objetiva o que é um Projeto e seu Gerenciamento, assim como os principais termos inerentes ao tema. Sera utilizada como base a visão PMI (Project Management Institute).

Gerência de Projetos

Novidades do Guia PMBOK 5ª Geração – “Exposure Draft”

Novidades do Guia PMBOK 5ª Geração – “Exposure Draft”

posted by Vinicius Passos Silva

Como muitos sabem, o Guia PMBOK® é um padrão reconhecido para a profissão de Gerente de Projetos. Ele descreve normas, métodos, processos e práticas estabelecidas. O PMBOK contém um conjunto de processos que além de amplamente reconhecidos, são considerados como boas práticas no gerenciamento de projetos.

O Project Management Institute (PMI) publicou em 17 de fevereiro de 2012 o PMBOK® Guide 5th Edition Exposure Draft, que pode ser baixado pelos filiados em http://ed.pmi.org/Pages/EDView.aspx?DocumentId=19.
Trata-se do “rascunho”, apenas no idioma inglês, da mais nova edição de lançamento do famoso e reconhecido Guia de Conhecimento de Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK®) do mundo.

Gerência de Projetos

Barreiras culturais para a implantação de metodologia de projeto nas empresas

Barreiras culturais para a implantação de metodologia de projeto nas empresas

posted by Rodrigo Lodeiro

“Bom dia, Sr. Almeida. Eu sou o Vice-Presidente da XPTO Ltda. Seja bem-vindo à nossa companhia. Como já lhe foi explicado na entrevista, o senhor tem a nobre missão de implantar o PMBoK na empresa. Eu sou o patrocinador e maior entusiasta desta ideia junto ao CEO, eu o convenci de que devemos seguir a tendência mundial. Se as maiores empresas do mundo adotam esta metodologia, certamente será bom para nós. Depositamos toda a confiança no senhor, e qualquer dificuldade, pode me procurar.”

Esta situação hipotética, por mais que pareça caricata, ocorre frequentemente em empresas de todos os portes no Brasil (eu trabalhei em mais de uma empresa em que a motivação para a minha contratação foi exatamente esta). A implantação de metodologia de projetos, seja PMI ou qualquer outra, em tese agrega otimizações em custo, prazo, qualidade, nivelamento de recursos, mapeamento e gerenciamento de riscos, sem contar com satisfação do cliente, motivação da equipe, e assim vai. Eu disse “em tese”!

Gerência de Projetos

Se o cronograma é apertado, como recuperar os atrasos?

Se o cronograma é apertado, como recuperar os atrasos?

posted by Alberto Parada

– Só compro se você garantir que em três meses está instalado.

– Três meses, impossível. Tecnicamente não dá para implantar com menos de seis meses.

– Então não compro!

O resultado desta conversa você conhece. De maneira pejorativa apelidamos de “me engana que eu gosto”.

Para bater as metas de venda e atender os anseios de um cliente desesperado ou mal informado, as empresas prometem aquilo que sabidamente é impossivel cumprir.

Utilizam-se todos os artifícios para elaborar um cronograma que o cliente aprove, sinergias, horas extras e alocação dos profissionais aos sábados, domingos e feriados, do início ao final do projeto. Ninguém pensa em risco e esquecem do santo padroeiro dos projetos, também conhecido como Murphy.

Aprovações obtidas, champanhe estourada, todo mundo feliz. Vamos para a esperada reunião de início de projetos (Kick-off). Os times reunidos em um lindo e suntuoso auditório, o Gerente de Projetos fazendo a apresentação dos times, da estratégia e da metodologia de como será conduzido e entregue o projeto. Quando começa a apresentar o cronograma, o infeliz de um colaborador do cliente, que por azar da humanidade já participou de implantações semelhantes, levanta o braço e pergunta:

– Vocês tem alguma referência de uma implantação deste tamanho, com esta complexidade, neste tempo?

Carreira

Gestão de Projeto Verde Amarela

Gestão de Projeto Verde Amarela

posted by Davambe

Muito antigamente, lá na terra dos Elefantes, houve um projeto: “Amarela”, dirigido com sucesso pelo Leão que recebera honrarias e ovacionamento pelos Elefantes em reconhecimento. Isso já faz tanto tempo, mas ainda nos dias atuais é comentado, nunca ninguém fez tanto como ele, o gajo era bom mesmo.

“O que ele fez para ser eternizado?” Perguntava o Tigre ao Jacaré.

“Sei lá, só sei que ele era bom, porreta.” Disse o Jacaré, aconselhando o Tigre a procurar alguém como o Cágado que havia participado do projeto.

Naquele mesmo dia o Tigre foi atrás do réptil. O Cágado muito respeitoso e atencioso achou curioso o interesse do seu chefe em um projeto de muitos anos.

“Sabe como é, sempre há lições a aprender, fale-me desse projeto”, ordenou ele.

O projeto “Amarela” aconteceu numa época em que a exploração de ouro estava no auge, era ouro para lá, ouro para cá. A cor amarela simbolizava ouro, prosperidade da época.

“Só por isso?”

O Cágado encolheu as patas e começou a falar sobre o projeto arquitetado pelo Leão, eternizado pelo Elefante Cinzano, seu chefe.

Num dia de pouca inspiração, o Leão vendo que seus projetos e programas estavam a caminhar sem complicações, perdeu encanto de gerenciá-los, andava a rugir, a procurar desafios, como é do seu feitio, foi então que inventou o projeto “Amarela” e o defendeu com unhas e dentes no comitê; conseguindo aprovação.

Carreira

O que ganharei ajudando a equipe?

O que ganharei ajudando a equipe?

posted by Davambe

Ele vinha tão rápido como uma Gazela fugindo de um Leão faminto. Triste e abatido, o coração a bater acelerado. Desde a época que ficou a saber que pertencia a uma geração, talvez a terceira de uma espécie que vivia a fugir de ser linchada.

Eminindiano La Catana, era o nome do Coelho que morava próximo ao deserto do Calahari. Aqueles que o conhecem costumavam se urinar de rir da desgraça dele, ao se lembrarem que seu avô, nascido próximo ao deserto do Sahara, precisou sair de lá ameaçado, por se opor à atitude das Gazelas, que se achavam soberanas e deveriam comandar a espécie para evitar que o Leão zangado se alimentasse dos seus filhotes.

“Quem manda aqui só eu!”, rugia a deixar a floresta a tremer. Foi nessas tremedeiras que o velho coelho desconfiado arrumou as malas, passou a viver na graça de Deus, à margem do rio Zambeze. Mas na margem a disputa por alimento era muito mais feroz, havia Tigre que descobriu uma tecnologia que permitia a produção de soja três fez ao ano na mesma área do cultivo. Com isso, passou a cobrar muito mais das áreas de quem pedia emprestada sua tecnologia.

“Aquele Tigre é um explorador!”, disse a galinha, “Vamos acabar com ele!”. Os animais se reuniram contra o dito explorador e deflagraram um combate que acabou sem vencedor. Mas que houve um no górdio para se reduzir as exigências do Tigre.

“Que mundo é esse? Foi preciso lutar para que ele reduzisse esses absurdos”, dizia um descontente de olhar soslaio.

A opção pela guerra, para que o bem estar coletivo fosse restabelecido passou a ser prática comum. Todos fechavam os olhos à margem da lei. E, prevalecia a guerra, guerrear era a opção mais rápida para ver a reivindicação atendida. O Coelho desconfiado abandonou o lugar, saiu das margens do Zambeze para viver às margens do Limpopo. Quando parecia haver encontrado paz no sul, foi obrigado a se juntar a um grupo para brigar contra a Hiena que achava prazeroso fazer churrasco de Passarinhos todo final de semana.

“Lutar a favor de Passarinho. Só me faltava essa! O que vou ganhar?”, perguntou o Coelho enquanto era aliciado.

“Ensinaremos o seu filho a cantar, falar… Sabe como é! O cantar de Passarinho é maravilhoso, todos apreciam”. E, foi o Coelho a defender os passarinhos na pior guerra que já conheceu. Sem chance de fugir, carregou em seu colo canhões, que o deixaram com cicatrizes, no corpo inteiro.

A guerra terminou. Os Passarinhos deixaram de fazer parte do churrasco das Hienas. Conforme acordado deviam ensinar a todos a cantar e falar. As comunidades à margem do Limpopo foram buscar os cantos. Alistaram-se para aprender. Sentavam-se ora no chão ora trepados em galhos de árvores. Não havia mais espaço, foi então que o Esquilo que assessorava os Pássaros, teve a ideia de uma pré seleção.

“É muito candidato, vamos selecionar”, foi aquele alvoroço.

“Não foi isso que ficou combinado, nós livramos vocês da Hiena em troca desse benefício”.

“Eh, isso é para todos”, completou outro.

Carreira

Cuidado com o poço, pode ser perigoso?

Cuidado com o poço, pode ser perigoso?

posted by Davambe

“Nossa, que chefe esquisito!” Disse a gazela, “mal olha para nós”.

“Deixa disso, ele nem viu a gente”, comentou o Cágado, “mas sempre que ele pode, conversa sim”.

“Pra que serve o chefe?”

“Eu, eh…”

Os dois continuavam a conversar despreocupadamente na beira do poço quando inexplicavelmente a gazela tropeçou, caiu nas profundezas do poço.

“Maninha, que foi? Socorro!” Gritou o Cágado a procurar ajuda.

O Tigre chefe foi chamado, olhou e exclamou “O que vocês estavam fazendo na beirada?”

“Chefe, deixa os questionamentos para depois, vamos ajudar a Coitada.” Implorou a formiga.

Várias tentativas e nada. A gazela quase estufada. Apareceu o Elefante para dispersar a multidão.

“O que acontece, ninguém mais trabalha por aqui?”

“A gazela, a gazela….”

“O Leão comeu? Aquele vosso chefe me paga.”

“Não, não foi o Leão, a gazela caiu no poço.”

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.