Posts by Tag: Futuro»

Tecnologia

Tecnologia e diversão, o caminho para a Disney

Tecnologia e diversão, o caminho para a Disney

posted by Francisco J S Fernandes

Quem vai a um parque de diversões procura, obviamente, diversão. Para pessoas como eu, que cresceram indo ao Tivoli no Rio ou ao Play Center em São Paulo.

Tecnologia

Sobre futuro e inovação

Sobre futuro e inovação

posted by Cezar Taurion

Constantemente apresento palestras sobre inovação e uma das perguntas que sempre ouço é “como a IBM planeja o futuro?”. Uma boa pergunta e vamos compartilhar um pouco destas ações de planejamento aqui neste post. Quando a IBM completou 100 anos, em meados do ano passado, a revista Economist publicou um artigo muito interessante chamado “The test of time: Which of today’s technology giants might still be standing tall a century after their founding?”. Este outro artigo, “1100100 and counting”, complementa o primeiro. A leitura dos dois textos nos dá uma visão bem interessante de como uma empresa sobrevive 100 anos se mantendo no topo de um setor extremamente competitivo como o de TI. O segredo é não depender de um produto, mas atuar em torno de uma ideia, que para IBM é empacotar tecnologias para gerar soluções para os clientes.

No cerne da ideia está a inovação. É absolutamente essencial ter uma visão da direção dos avanços tecnológicos e da demanda do mercado, de modo a se antecipar aos movimentos deste. Para isso, a IBM desenvolve e incentiva diversas ações focadas nas transformações da tecnologia, sociedade e cenários de negócio.

Em tecnologia a IBM desenvolve anualmente o GTO (Global Technology Outlook), envolvendo onze laboratórios em nove países. O objetivo do GTO é identificar tendências e tecnologias disruptivas de alto impacto na sociedade e nas empresas em um horizonte de três a dez anos. É um processo que leva cerca de um ano e envolve profissionais das áreas de negócio, que estão envolvidos diretamente com as verticais de indústria e seus principais clientes, a própria área de pesquisas, além da academia e parceiros de negócios. Claro que um dos principais inputs vem da área de pesquisa, a IBM Research. Um resumo do GTO para 2012 está aqui.

Outra fonte de insights é o GIO ou Global Innovation Outlook, que gera uma visão mais abrangente das mudanças que tem o potencial de afetar a sociedade e as empresas de forma bem ampla. O GIO pode ser acessado aqui. O último e bem interessante relatório produzido pelo GIO aborda a questão da segurança e privacidade no mundo digital. Vale a pena a leitura.

Outra fonte de ideias e direcionamentos é a IBM Academy of Technoloy que atua no desenvolvimento da comunidade técnica da empresa, engajando clientes neste contexto.

O processo de inovação colaborativa é amplamente incentivado e uma das mais conhecidas iniciativas da IBM foi o Innovation Jam em 2006. Desde então diversos jams ou brain-storms virtuais foram desenvolvidos. Para conhecer melhor a mecânica dos jams sugiro acessar a página Collaboration Jam.

Tecnologia

Sacolinha plástica e TI

Sacolinha plástica e TI

posted by Davambe

Na última realização do evento sobre a ecologia na cidade do Rio de Janeiro, Crisinia Nhangamuni andou a torcer pela humanidade, da qual tanto se falou naquele congresso, embora lá não estivesse, fez figa para o bem comum.

“Na escola a professora só fala da Rio +20”, comentou ela entusiasmada.

“Eh, filha, é a comunhão universal da necessidade de salvação”.

“Quem precisa de salvação, mãe?”

“O Mundo.”

“É o Leão ou é o Elefante que vai acabar com o mundo?”

A mãe então regressou ao passado para explicar novamente quem estava salvando quem. A Crisinia ficou tão sensibilizada que a partir daquele dia começou a separar as embalagens para reciclagem. Para salvar o mundo.

Mas sua mãe mantinha o hábito de uso de sacolinhas para coletar lixo, armazenar alimentos, entre outras utilidades, era fã. Quando era fornecida gratuitamente em supermercados fazia questão de levar muito mais do que necessário para acomodar as compras. Não tardiamente os estabelecidos deixaram de fornecê-las, criando um mal estar entre pessoas como a mãe de Crisinia.

“Os Supermercados deviam de reduzir o preço do pãozinho por que não estão a fornecer mais a sacolinha”, resmungava Magodane, seu pai, que esperava a participação de todos na campanha de “Sacolinha plástica sem utilidade”.

“Eles davam a sacolinha de graça”, concluiu ela.

“De graça…”

A sacolinha plástica passou a ocupar uma parte da conversa daquela família. Alegavam que devia regressar, que alguém estava se aproveitando ou a levar vantagem. A única pessoa que realmente não estava interessada na conversa era Crisinia, que fazia questão de separar e levar as caixas para reciclagem.

Marketing & Tecnologia

Tornar a empresa móvel é obrigação

Tornar a empresa móvel é obrigação

posted by Thiago Assis

Agilidade, enriquecer a comunicação e prover o acesso a dados e informações relevantes são requisitos cada vez mais imprescindíveis para as empresas possam.

Mercado

“O que do amanhã já se pode saber hoje”

“O que do amanhã já se pode saber hoje”

posted by Fábio Gandour

Desvendar o futuro é um desafio que afronta e instiga o homem desde sempre ! Tanto que já foram criadas várias formas de se tentar adivinhar o que acontecerá amanhã. A mais antiga que se tem notícia é a pitonisa de Delfos, que manteve um promissor e respeitável negócio até cerca de 400 D.C. Como mostra a ilustração do pintor John Collier, de 1891, “dona” Pítia ficava sentadinha em um banco, inalando os vapores que saiam de uma fenda no solo, em Delfos, na Grécia. E aí, depois que a mocinha já tinha entrando numa “viagem” daquelas, começava a falar coisas sobre o futuro. E a galera levava as profecias da moça muito a sério ! Hoje, sabe-se que os vapores de metano e etileno que saiam do buraco era o que deixava a moça ligadona e “inspirada” a falar sobre o futuro. E olha que muita gente boa, tipo Platão e Aristóteles, acreditava no que ela dizia !

Dona Pítia gozava de prestígio político e religioso na sociedade da época e tinha o status de sacerdotisa.

De lá para cá, algumas coisas mudaram mas outras continuam bem iguais. Como e evolução da ciência mostrou que inalar estes vapores químicos pode não ser lá muito bom para os pulmões, eles foram substituidos por bolas de cristal, jogos de búzios e carta de tarô. Mas a previsão do futuro continua instigando o homem.

Gerência de Projetos

Gerenciamento Jiboia e negócio à vista

Gerenciamento Jiboia e negócio à vista

posted by Davambe

“Nunca vi um gajo ordeiro como aquele”, dizia Albertino, coelho observador e madrugador, chegava cedo ao escritório, disputando assiduidade com o seu chefe.

Mobile

Esta não é mais uma obra de ficção!

Esta não é mais uma obra de ficção!

posted by Roberto Queiróz

Imagine as possibilidades:

…O medidor de água da sua casa/apto, com dispositivo de GSM (isto mesmo, um chip GSM!) e, mensalmente o extrato e conta de seu consumo de água sendo enviado para o seu endereço de e-mail, sem a necessidade da visita do “conferente”.

…O medidor de consumo de energia da sua casa/apto, também com dispositivo GSM e, mensalmente, o extrato e conta de seu consumo sendo enviado também para o seu endereço de e-mail, também sem a visita do “conferente”.

Sem contar que, você poderá ter uma prévia dos consumos e valores a pagar, através da web, no momento em que quiser!

Esta não é uma obra de ficção e nem mais um capítulos dos Jetson´s !

É um projeto piloto que está sendo desenvolvido pelo ministério das águas e energias dos Estados Unidos, em algumas cidades pilotos, no Estado de Illinois (EUA).

Com esta ideia, o governo dos EUA pretende favorecer os moradores a entrarem na “onda verde”, facilitando os controles dos consumos.

Um dado interessante é que, com esse dispositivo, o consumidor poderá pagar as suas contas de acordo com a disponibilidade financeira mensal, ou seja, pagando aos poucos, através de prévias que poderão ser consultadas via web.

Cloud Computing

Na Suécia, o futuro já chegou. Viva o passado!

Na Suécia, o futuro já chegou. Viva o passado!

posted by L.Midas

Estou ficando velho. Lembro-me da época em que a internet chegou ao Brasil e pipocaram as chamadas “Provedoras de Internet”. A gente usava o (caríssimo) modem de 9600, tinha até uma trilha sonora ao fundo (tchííí, tchóóó, tzúúú e tudo ficava silencioso e a gente estava então, na tal internet). De lá prá cá, as operadoras, que naquela época ficavam a ver navios (pera aí, quer dizer que as tais provedoras de internet, em si, já naquela época eram as OTT “over the top players” de hoje em dia???) tomaram as rédeas desse negócio e passaram a controlar o acesso do usuário à internet. De quebra, ainda inventaram o triple/quadruple play. Uma única conta e toma-lhe o acesso à internet, telefonia fixa e móvel e TV.

No meio tempo, as empresas de TV a cabo e satélite também colocaram suas manguinhas de fora e estenderam sua tecnologia de forma a também poderem prover o tal do triple/quadruple play. Com uma significante diferença: Enquanto as operadoras de telecomunicações geralmente têm a obrigação legal de prover acesso para empresas competidoras (O chamado LLU – Local Loop Unbundling), no caso das empresas de TV à cabo ( por serem “locais” e não terem monopólio) o mesmo não ocorre na maioria dos casos.

De qualquer forma, o ponto da história é que as operadoras, sejam elas originalmente TV ou telefonia, lograram cooptar o usuário provendo-o dos quatro serviços ao mesmo tempo em que se esforçaram ao máximo para tentar evitar que concorrentes tivessem acesso à infraestrutura (de uma maneira ou de outra, porque mesmo no caso das próprias telcos a lei geralmente não aplica à serviços que não a telefonia propriamente dita). Em conclusão, meu apartamento aqui na Suécia tinha TV a cabo da empresa ComHem (via cabo coaxial). Era impossível eu assinar a concorrente Boxer ou a Canal Digital simplesmente porque meu prédio era servido pela ComHem e ponto final. Quisesse assinar Boxer eu teria de me mudar para outro prédio em uma outra área servida pela Boxer e assim por diante….

Carreira

Há profissões de futuro?

Há profissões de futuro?

posted by Sidnei Oliveira

Será possível definir qual é a profissão do futuro? Aquela que irá trazer maiores benefícios e satisfação?

Recentemente fui questionado sobre quais seriam as melhores profissões para se apostar. Quando observo esse tipo de questionamento, é inevitável um incômodo, pois parece um convite a pensar na carreira como quem “aposta” em uma corrida de cavalos e acho que não é assim.

Algumas vezes, tentamos imaginar o futuro com profissões novas – daquelas que nunca existiram – como coordenador de identidade virtual, gestor de ecorrelacionamentos ou analista de diversidade. Claro que sempre iremos assistir manifestações inovadoras e inusitadas, mas isso não quer dizer que as profissões do futuro serão completamente dissociadas do presente. Na verdade, o futuro está muito mais ligado às oportunidades que surgirão para as carreiras existentes no presente.

Uma coisa interessante de se analisar são as oportunidades que surgem a partir de uma nova perspectiva. Observe as novas tecnologias de interface com os computadores. Basta imaginar softwares de reconhecimento de voz, tradução simultânea e revisão automática, que estão em desenvolvimento atualmente, que veremos intensas oportunidades para fonoaudiólogos, tradutores, linguistas e revisores.

Outro exemplo tem conexão com o aumento na expectativa de vida das pessoas. Certamente isso demandará cada vez mais profissionais ligados à saúde, mas também profissionais de organização de eventos, engenharia de alimentos e de meio-ambiente, afinal, será cada vez mais importante harmonizar o convívio das pessoas e o estilo de vida.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes