Desenvolvimento

Ξ 1 comentário

ERP X APF (Análise por Ponto de Função)

publicado por Walmir Basevic
1 – Objetivo

Este artigo visa apresentar os motivos pelos quais não se utiliza a técnica APF (Análise por Ponto de Função) nos processos e projetos relacionados à implementação, suporte e melhorias de ERPs.

2 – ERP
2.1 – Definição

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (SIGE ou SIG), em inglês Enterprise Resource Planning (ERP), são sistemas de informação que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. A integração pode ser vista sob a perspectiva funcional (sistemas de: finanças, contabilidade, recursos humanos, fabricação, marketing, vendas, compras, etc.) e sob a perspectiva sistêmica (sistema de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio à decisão, etc.). Os ERPs, em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa, possibilitando a automação e armazenamento de todas as informações de negócios.

2.2 – Objetivo

O objetivo do ERP é a gestão integrada dos negócios das Empresas.

2.3 – Tarefas Envolvidas

A seguir descrevemos sucintamente as tarefas envolvidas no ciclo de vida de um ERP numa Empresa.

2.3.1 – Implementação

As tarefas a seguir estão relacionadas com o ciclo de Implementação, ou Instalação, do ERP na Empresa usuária.

2.3.1.1 – Levantamento das Necessidades

Esta tarefa consiste em obter todas as informações necessárias à Implementação correta do ERP na Empresa usuária de forma que o mesmo cubra a maior parte das necessidades de negócio da Empresa que estejam no escopo previsto na contratação do ERP.

Este levantamento é realizado através de entrevistas com os Usuários Chave da Empresa usuária e a definição do escopo detalhado deve ser validada tanto pela fornecedora do ERP, quanto pela Direção da Empresa usuária a fim de alinhar todas as expectativas que envolvem a Implementação do ERP.

Esta tarefa se inicia durante o processo de pré-venda do ERP em um nível superficial e vai, passo a passo, sendo aprofundado durante o processo técnico-comercial e chega a seu ponto de maior profundidade no início do Projeto de Implementação do ERP.

Esta tarefa envolve tanto o conhecimento do negócio por parte dos Usuários Chave da Empresa usuária, quanto o conhecimento das melhores práticas de mercado e das funcionalidades fornecidas pelo ERP por parte dos Consultores do Fornecedor do ERP, para que possam ser definidos, ao final desta tarefa, qual será a abrangência das demais tarefas no Projeto de Implementação, isto é, Parametrização/Configuração, Customização, Capacitação, Testes Unitários e Testes Integrados.

Esta tarefa pode utilizar até 10% (dez por cento) dos esforços envolvidos no Projeto de Implementação.

2.3.1.2 – Parametrização/Configuração

Esta tarefa consiste em Parametrizar/Configurar o ERP para atender às Necessidades de Negócio da Empresa usuária conforme resultado da tarefa Levantamento das Necessidades anteriormente executada.

Parametrizar/Configurar consiste em imputar valores nos parâmetros disponíveis no ERP a fim de que este se comporte da maneira pretendida pelo Fornecedor do ERP e desejada pela Empresa usuária.

Parametrizar/Configurar NÃO envolve qualquer tipo de programação/codificação, uma vez que toda Parametrização/Configuração se restringe às funcionalidades oferecidas como padrão pelo ERP.

Esta tarefa pode utilizar até 50% (cinquenta por cento) dos esforços envolvidos no Projeto de Implementação.

2.3.1.3 – Customização

Esta tarefa consiste em ajustar, através de programação/codificação, as funcionalidades oferecidas como padrão pelo ERP a fim de atender às Necessidades de Negócio da Empresa usuária que não possam ser atendidas através de Parametrização/Customização das funcionalidades oferecidas como padrão pelo ERP conforme resultado da tarefa Levantamento das Necessidades anteriormente executada.

Esta tarefa consiste, ainda, em desenvolver, através de programação/codificação, novas funcionalidades, originalmente não oferecidas como padrão pelo ERP, a fim de atender às Necessidades de Negócio da Empresa usuária que não possam ser atendidas através de Parametrização/Customização das funcionalidades oferecidas como padrão pelo ERP conforme resultado da tarefa Levantamento das Necessidades anteriormente executada.

Esta tarefa pode utilizar até 20% (vinte por cento) dos esforços envolvidos no Projeto de Implementação.

2.3.1.4 – Capacitação

Esta tarefa consiste em capacitar os Usuários, Chave e/ou Finais, da Empresa usuária nas funcionalidades padrão do ERP Parametrizadas/Configuradas, bem como nas funcionalidades padrão do ERP Customizadas e nas funcionalidades Desenvolvidas, para o atendimento às Necessidades de Negócio da Empresa usuária conforme resultado da tarefa Levantamento das Necessidades anteriormente executada.

Esta tarefa pode utilizar até 5% (cinco por cento) dos esforços envolvidos no Projeto de Implementação, e, proporcionalmente, até 1% (um por cento) deste esforço, especificamente para a Capacitação nas Customizações.

2.3.1.5 – Testes Unitários

Esta tarefa consiste em testar, de forma unitária, cada uma das funcionalidades Parametrizadas/Configuradas ou Customizadas nas tarefas anteriores a fim de garantir sua aderência individual em relação ao resultado da tarefa Levantamento das Necessidades anteriormente executada.

Esta tarefa pode utilizar até 10% (dez por cento) dos esforços envolvidos no Projeto de Implementação, e, proporcionalmente, até 2% (dois por cento) deste esforço, especificamente para a Capacitação nas Customizações.

2.3.1.6 – Testes Integrados

Esta tarefa consiste em testar, de forma integrada, todas as funcionalidades Parametrizadas/Configuradas e Customizadas nas tarefas anteriores a fim de garantir sua aderência, como conjunto, em relação ao resultado da tarefa Levantamento das Necessidades anteriormente executada.

Esta tarefa pode utilizar até 20% (vinte por cento) dos esforços envolvidos no Projeto de Implementação, e, proporcionalmente, até 4% (quatro por cento) deste esforço, especificamente para a Capacitação nas Customizações.

2.3.2 – Suporte Pós-Implementação

As tarefas a seguir estão relacionadas com o ciclo de vida que ocorre após a Implementação, ou Instalação, do ERP na Empresa usuária.

2.3.2.1 – Software

As tarefas a seguir estão relacionadas com o ERP propriamente dito enquanto conjunto de programas de computador que oferece uma miríade de funcionalidades que visam atender, de forma padrão, às Necessidades de Negócio das Empresas usuárias.

Estas tarefas são de responsabilidade exclusiva do fornecedor do ERP e são cobertas pelo contrato de Manutenção e Suporte firmado entre o fornecedor do ERP e as Empresas usuárias.

2.3.2.1.1 – Correção

Esta tarefa consiste em corrigir comportamentos diferentes do previsto/definido por algum dos programas que compõe o ERP e consiste em ajustar, através de programação/codificação, a funcionalidade em desalinho.

2.3.2.1.2 – Melhoria

Esta tarefa consiste em ampliar o espectro de abrangência de uma funcionalidade já disponibilizada no ERP, ou incluir uma nova funcionalidade na lista das já oferecidas às Empresas usuárias.

Esta tarefa consiste em ajustar, ou desenvolver, através de programação/codificação, a funcionalidade a ser aprimorada ou incluída.

2.3.2.2 – Parametrização/Configuração

As tarefas a seguir estão relacionadas com o Projeto de Implementação do ERP na Empresa usuária e depende de alterações no cenário em que esta Empresa atua, quer por motivos internos (aumento de vendas, mudanças de processo, etc.), quer por motivos externos (ruptura tecnológica, mudanças em seu mercado de atuação, alterações legais ou fiscais, etc.), ou é consequência de incorretude na execução das tarefas Teste Unitário e Teste Integrado descritas acima.

Parametrizar/Configurar NÃO envolve qualquer tipo de programação/codificação, uma vez que toda Parametrização/Configuração se restringe às funcionalidades oferecidas como padrão pelo ERP.

2.3.2.2.1 – Correção

Esta tarefa consiste em corrigir comportamentos diferentes do previsto/definido por alguma das parametrizações/configurações das funcionalidades padrão do ERP e consiste em ajustar, através de configuração/parametrização a funcionalidade em desalinho.

2.3.2.2.2 – Melhoria

Esta tarefa consiste em ajustar às novas necessidades de negócio da Empresa usuária os comportamentos diferentes dos atualmente necessários, por alguma alteração no cenário em que esta Empresa atua, as parametrizações/configurações das funcionalidades padrão do ERP em desalinho.

2.3.3 – Customização

As tarefas a seguir estão relacionadas com o Projeto de Implementação do ERP na Empresa usuária e depende de alterações no cenário em que esta Empresa atua, quer por motivos internos (aumento de vendas, mudanças de processo, etc.), quer por motivos externos (ruptura tecnológica, mudanças em seu mercado de atuação, alterações legais ou fiscais, etc.), ou é consequência de incorretude na execução das tarefas Teste Unitário e Teste Integrado descritas acima.

2.3.3.1.1 – Correção

Esta tarefa consiste em corrigir comportamentos diferentes do previsto/definido por alguma das customizações e consiste em ajustar, através de programação/codificação, a funcionalidade em desalinho.

2.3.3.1.2 – Melhoria

Esta tarefa consiste em ajustar às novas necessidades de negócio da Empresa usuária os comportamentos diferentes dos atualmente necessários, por alguma alteração no cenário em que esta Empresa atua, as customizações e consiste em ajustar, através de programação/codificação, a funcionalidade em desalinho.

2.3.4 – Elucidação de Dúvidas de Usuários

Esta tarefa consiste em elucidar dúvidas dos Usuários, Chave ou Finais, da Empresa usuária em relação ao pleno uso das funcionalidades do ERP implementadas nesta Empresa, quer através de Parametrização/Configuração, quer através de Customização, bem como elucidar dúvidas destes Usuários quanto à possibilidade de incremento destas funcionalidades a fim de efetivar todo o potencial que é oferecido pelo ERP.

Esta tarefa NÃO envolve qualquer tipo de Programação/Codificação ou Parametrização/Configuração. 

3 – APF (Análise por Ponto de Função)
3.1 – Definição

Método Padrão para medir Software do ponto de vista do Usuário através da quantificação da funcionalidade fornecida e prevê que estas medidas são “afinadas” pela repetição de projetos equivalentes.

3.2 – Objetivo

Medir o desenvolvimento e melhoria/manutenção de SOFTWARE de forma independente da tecnologia utilizada para sua implementação.

3.3 – Resultados

A APF é uma técnica eficaz na geração de indicadores para a gerência de projetos de software.

4 – Conclusão

Em função da APF (Análise por Ponto de Função) ser um Método cujo objetivo é a medição prévia e a gestão de Projetos de Software, e os Projetos de Implementação e Pós-Implementação de ERP não poderem ser caracterizados como Projetos de Software uma vez que não são intrinsecamente ligados à codificação/programação, os Projetos de Implementação e de Pós-Implementação não podem ser metrificados e/ou gerenciados pela APF.

No limite, apenas 27% (vinte e sete por cento) de um Projeto de Implementação de ERP estão intrinsecamente ligados à codificação/programação, conforme lista de tarefas a seguir:

  • Customização
  • Capacitação (no que tange às Customizações)
  • Testes Unitários (no que tange às Customizações)
  • Testes Integrados (no que tange às Customizações)

Este percentual não é suficientemente relevante para que todo o Projeto de Implementação de ERP seja metrificado e/ou gerenciado pela APF.

Os Projetos de Implementação de ERP não possuem repetição em relação aos itens de Customização, uma vez que se estes itens passarem a se repetir a funcionalidade inerente a estes deve passar a ser fornecida de maneira padrão pelo ERP e deixará de ser Customização, passando a se tratar de uma Parametrização/Configuração e, novamente, não podendo ser metrificada e/ou gerenciada pela APF.

Em se tratando de Projetos de Pós-Implementação, das seguintes tarefas, apenas as duas últimas estão relacionadas com as Empresas usuárias do ERP, e são de volume estatisticamente pouco representativo, cerca de 25% (vinte e cinco por cento), o que não as torna suficientemente relevante para que todo o Projeto de Pós-Implementação de ERP seja metrificado e/ou gerenciado pela APF.

  • Correções de Software (de responsabilidade e visibilidade restritas ao fornecedor do ERP)
  • Melhorias de Software (de responsabilidade e visibilidade restritas ao fornecedor do ERP)
  • Correções de Customizações
  • Melhorias de Customizações

Assim, pelas razões expostas acima, o APF não se aplica a Projetos de Implementação e Pós-Implementação de ERPs.

Projetos de Software são projetos que tem como entregável principal um ou mais produtos de software (programas de computador). Portanto estes projetos se caracterizam por tarefas intrinsecamente ligadas à codificação/programação.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Profissional que trabalha desde 1989 na área de TI e desde 1998 no mercado de Ferramentas Informatizadas de Gestão (ERP, CRM, BI, etc.), tanto para grandes, quanto médias e pequenas empresas. Iniciou sua carreira como programador e se direcionou para a gestão de relacionamento, passando pela gestão de projetos e de produtos. Cursou Bacharelado em Ciência da Computação e Bacharelado em Biblioteconomia na Universidade de São Paulo.

Walmir Basevic

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes