Gerência de Projetos

Ξ Deixe um comentário

Reestruturando um projeto

publicado por Uilson Souza

Saudações

Muito falamos aqui sobre projetos e seus vários momentos e fases de implementação, mas como proceder caso seja necessário redesenhar e/ou reestruturar aquilo que foi implementado?

Se é preciso reestruturação em menos de dois anos da pós implementação é porque alguma coisa está errada no processo, uma etapa importante foi queimada influenciando o resultado, e por não ser dos melhores exige revisão.

Se este processo ocorrer entre dois e três anos temos um cenário positivo onde a infraestrutura se adequou ao negócio proporcionando crescimento. O natural é que esta demanda bem-sucedida exija nova implementação para se adequar ao novo quadro.

Existe ainda outra situação de revisão, aquela que mesmo bem planejada e implementada, a pedido do cliente precisa ser mudada e estruturada ao ponto de tornar crítico o processo e impactar o restante do cenário.

Por exemplo, uma infraestrutura de acesso a internet para uma empresa de mídia está desenhada para suportar acessos com um link de 200 MBPS. Imagine que com os crescentes eventos no País a cobertura feita por esta empresa exija que o link chegue a duplicar, ou seja, aumentar para 400 MBPS. Assim sendo, uma reestruturação no ambiente deverá ser feita. Neste caso não se avalia a qualidade do que foi implementado, altera-se praticamente tudo segundo a exigência da demanda.

Independente de qual cenário você esteja encaixado, considere os seguintes aspectos, quais são fundamentais para o sucesso de sua reestruturação:

  1. Entenda bem o que precisa ser alterado e aonde isso tem que chegar
  2. O que se aproveita na estrutura atual e o que deverá ser agregado
  3. Quanto suporta a estrutura atual e como estão os gráficos de desempenho do ambiente
  4. Quanto será necessário suportar no novo ambiente
  5. Quais os benefícios que esta reestruturação irá trazer
  6. Quais os limites a serem observados por quem contrata e administra

Com todos esses itens claramente definidos, analise bem o fluxo do ambiente atual e a forma como essa mudança se dará. Procure gerar o menor impacto possível para os usuários durante a mudança. A continuidade dos negócios é fator importante em qualquer mudança.

Verifique também todos os entregáveis exigidos no âmbito operacional. Qual SLA atual e qual será o novo.

Se o cliente exige relatórios sobre o andamento da estrutura atual, é importante que você mapeie todos os itens reportados e leve em consideração na reestruturação a ser feita.

A pouco menos de 4 meses atrás, participei do planejamento e implementação de uma infra de proxies em um cliente que foi bem conduzida e implementada, porém, um item ficou de fora.

Eram gerados relatórios diários do funcionamento da estrutura antiga e isto não foi considerado. O motivo era o desconhecimento dos responsáveis pela migração deste relatório e a omissão da área operacional no momento em que foi envolvida para levantamento da estrutura antiga.

Por este buraco no processo tivemos que rever alguns pontos e envolver os reponsáveis para entender de que forma poderíamos fazer para automatizar o processo.

Desta forma, procure levantar o máximo de informações possíveis, pois, por mais que isso seja feito no momento do planejamento, alguns novos serviços e tasks são agregados no decorrer da operação.

Um ponto importante é acerca do capacity do ambiente. Deixe bem claro a seu cliente o que foi dimensionado, os limites desse dimensionamento. Faça-o entender que, qualquer mudança na estrutura por motivo A ou B, implicará em nova análise de capacidade, podendo envolver nova reestruturação, SLA´s e até adição ou troca de equipamentos.

O pós implementação corre nos mesmos moldes que já falei aqui em artigos anteriores sobre planejamento e implementação de projetos. Apresentação do novo ambiente, novos métodos de administração e treinamentos que se fazem necessários para a equipe operacional.

Depois de um tempo a ser definido no planejamento, fazer uma apresentação para o cliente com os resultados obtidos e o comportamento da nova infraestrutura depois da reestruturação.

Após esses passos, procure montar uma documentação com o máximo de informações possíveis. Isso é muito útil em futuras migrações e alterações no ambiente.

Espero que este artigo possa ser útil e ajudar aos colegas! Caso tenham colocações ou sugestões, fiquem a vontade para comentar.

Abraços

Uilson

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Formado em Tecnologia em Processamento de Dados pela UNIBAN. Analista de Projetos de TI, atua no design, planejamento e implementação de projetos de tecnologias Microsoft, tais como ISA Server, Forefront TMG, servidores Windows, Windows Clustering e Hyper-V. Também trabalhou como IT Specialist na IBM e como Consultor de TI em empresas como Alcoa, Credicard, Bradesco Seguros, Unilever, Caterpillar e Banco Merril Lynch. Profissional certificado como MCTS em ISA Server, participa do grupo MTAC (Microsoft Technical Audience Contributor), publica artigos técnicos em seu blog no endereço http://uilson76.wordpress.com e também no portal TechNet Wiki (http://social.technet.microsoft.com/wiki) Linkedin: http://www.linkedin.com/in/uilsonsouza Twitter - http://twitter.com/usouzajr

Uilson Souza

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.