Direito & Tecnologia

Ξ 18 comentários

Perito em Computação Forense: mantendo uma conduta profissional

publicado por Roney Médice

Reconstruir o passado, vasculhar indícios, apurar autoria de incidentes cometidos com a ajuda da tecnologia, a carreira de perito em computação forense amadurece a cada ano e com os crimes cometidos cada vez mais utilizando meios eletrônicos, é preciso se aprofundar nas técnicas obscuras utilizadas pelos criminosos digitais e entender como eles agem, mesmo que se seja necessário o contato de informações confidenciais.

O profissional na área forense, apesar de todo o seu conteúdo técnico, experiência, networking qualificado, precisa se preocupar com a sua conduta profissional nos meios da sociedade, pois esta, será determinante para a sua credibilidade. Um investigador forense não pode durante a perícia, ficar contando piada, chacotas, divulgando trabalhos forenses passados, informações estas, protegidas pelo sigilo profissional para as pessoas ao seu redor.

Os investigadores devem mostrar um nível ético incontestável, garantindo a sua integridade e demonstrando a sua capacidade para os trabalhos forenses. Deve-se atentar para sua integridade moral, promovendo a imagem de um profissional forense responsável, dedicado e que espera fazer o melhor possível em cada trabalho a ser desenvolvido.

Em cada caso, é salutar comentar as o caso em concreto com as pessoas ou partes envolvidas no caso, as quais devem ser informadas ou consultadas, para dirimir qualquer dúvida a respeito das informações acolhidas. Não se pode trocar informações por pura curiosidade de pessoas próximas ao investigado, nem divulgar os dados colhidos nos meios de comunicação sem a devida autorização das autoridades competentes, titulares dos casos de perícia.

Assim como um dos pilares da segurança da informação, a confidencialidade do perito forense é uma característica essencial que todo o trabalhador forense deve mostrar. Toda a informação obtida no caso, não pode ser divulgada e nem ter proveito próprio, mantendo o sigilo necessário e dessa forma, solidificando ainda mais a figura do investigador forense, um trabalho que merece respeito e dedicação.

Infelizmente, muitos técnicos de informática fazem cursos rápidos de perícia em computação forense ou somente leem um livro especializado no assunto e acreditam que já são peritos. A consequência dessa mentalidade é visivelmente notada no meio jurídico, onde os magistrados confiam na palavra do especialista , gerando laudos periciais superficiais, sem técnica e que são facilmente contestados por um bom advogado que possua sólidos conhecimentos de computação forense.

Atualmente, muitos incidentes de segurança estão relacionados à web, ou seja, das vulnerabilidades na web. Para tanto, profissionais de computação forense com bagagem em programação, penetration test e banco de dados possuem uma demanda muito grande para serviços de auditoria de log, análise de código fonte, etc. O perito ao fazer o seu trabalho, pode ter acesso à informações do cliente que são dados estratégicos da companhia, que uma vez divulgados na internet, acarretariam enormes consequências, como uma falência, por exemplo.

Contudo, o papel do especialista em computação forense tem se revestido de grande importância a cada dia, tornando-se um grande desafio para órgãos públicos e grandes corporações se cercarem de profissionais experientes e com conhecimento técnico adequado. Porém, devemos nos preocupar em fazer o trabalho de perícia forense respeitando as normas, procedimentos e acima de tudo: a ética profissional.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Graduado em Ciência da Computação, Direito e MBA em Gestão de Segurança da Informação. Coordenador de Segurança da Informação de um Terminal Retroportuário no Porto de Vitória, com mais de 10 anos de experiência na área. Consultor de Segurança da Informação do Grupo Otto Andrade. Perito Digital com certificação CDFI. Membro fundador do CSA – Cloud Security Alliance, membro do Comitê ABNT/CB-21 na área de Segurança da Informação, Presidente da APECOMFES – Associação de Peritos em Computação Forense do Espírito Santo. Presidente da comissão de desenvolvimento do ISSA (Information Systems Security Association) nas regiões Sudeste/Centro-Oeste.

Roney Médice

Comentários

18 Comments

  • Parabéns pelo artigo, continue assim, se possível escreva mais sobre Forense computacional. Obrigado e meus Parabéns novamente.

  • Com certeza irei escrever mais artigos sobre Computação Forense, uma área que levanta muito interesse pelos profissionais de TI e operadores do Direito.

  • Olá

    Roney, tudo bem?

    Rapaz, muito bom seu artigo. Parabéns, excelente material.

    Gostaria de solicitar a você que entre em contato comigo. Meu nome é Fabiano Gomes da Silva, sou o diretor do site EmpregaTI (www.empregati.com.br), gostaria de conversar alguns assuntos interessantes.

    Meu e-mail é fabiano[arrobba]empregati.com.br

    Tenho certeza que será de grande valia.

    Aguardo seu retorno.

    Muito Obrigado.

    Att.
    Fabiano Gomes da Silva
    CEO do EmpregaTI
    http://www.empregati.com.br

  • Não é só o perito forense que deve ter este tipo de comportamento. Qualquer profissional da área de Tecnologia entra em contato com informações privadas de seus usuários, seja senhas de contas bancárias, seja fotos ou músicas, arquivos eletrônicos, declaração de imposto de renda, comprovante de rendimento. O cuidado e o zêlo pelas informações confiadas pela pessoa ao técnico deve ser o mesmo. E isso sem falar nas informações da empresa que temos acesso.

    • Silvio,

      Não tenha dúvida. Com certeza o profissional de TI acaba tendo acesso a determinado tipo de informação classificada como confidencial, pela própria natureza do cargo. Afinal, a tecnologia está enraizada nos diversos setores da economia.

      Espero que os próximos artigos possam continuar a fomentar a discussão sobre o assunto.

      Abraços,

  • Excelente artigo Roney.

    Eu sempre tive interesse pela Computação Forense, por causa dos seriados policiais, como CSI: Miami.
    Mas eu sempre quis saber se todos aqueles aparatos são reais mesmo ou apenas um exagero dos reais.
    E tambêm existe cursos ou algo tipo, especializados em computação forense?

    Att.
    Daniel Jock

  • Olá
    Roney, excelente artigo ?
    Cara tenho um grande interesse nessa área estou no 6º período de Sistemas De Informação
    E gostaria muito desenvolver mina monografia sobre esse assunto mais não sei se terei material para fazê-lo. Cara se puder me ajudar lhe agradeço.
    Att. Luciano

    • Luciano,

      Já existem diversos livros sobre Computação Forense, sites especializados e revistas sobre o assunto. Segue algumas fontes que você poderá começar a desenvolver a sua monografia:

      – “Desvendando a Computação Forense” – Pedro Monteiro da Silva Eleutério e Marcio Pereira Machado
      – COMPUTAÇÃO FORENSE COM SOFTWARE LIVRE- SANDRO MELO
      – INVESTIGAÇÃO E PERÍCIA FORENSE COMPUTACIONAL – 2010 – CLAUDEMIR QUEIROZ; RAFFAEL VARGAS
      – PERÍCIA FORENSE COMPUTACIONAL: COMO INVESTIGAR E ESCLARECER OCORRÊNCIAS NO MUNDO CIBERNÉTICO – DAN FARMER E WITSE VENEMA

    • Muito obrigado pela ajuda.
      Espero contar com sua ajuda em outras vezes sem querer abusar.
      Obrigado.
      Att. Luciano

  • Roney,

    gostei muito das suas publicações. Temos uma solução de assinatura digital biométrica e gostaria de discutir com você alguns aspectos legais da mesma.

    Meu contato é marcio@mmcconsultoria.com

  • Roney, parabéns pela publicação. Há algum tempo eu tenho procurado me informar mais e mais sobre essa areá, to querendo ser perito em computação, estou no 2° periodo de análise de Sistemas .. e gostaria de saber se você pode me dar algumas dicas, ou até mesmo me informar alguma fontes, para que eu possa saber mais sobre essa areá.
    meu contato:erytonlemes@gmail.com

  • Bom, acho que ética profissional deve ser respeitada em qualquer que seja a área de atuação do profissional, é óbvio que se tratando da parte jurídica o cuidado deve ser minucioso. Mais o artigo ficou excelente, para nós alunos acompanhar o TI Especialistas, traz um horizonte amplo, desmitificando e esclarecendo nossas dúvidas. Abraços!

  • Ola grande Roney!

    Muito bom o conteúdo apresentado, estou preparando o meu TCC do curso de Segurança de Informação da Universidade Catolica de Brasilia, e ja pensei em me envolver nesta area por uma Pós graduação em forense, o que aconselha é uma boa ideia, como profissional de computacao forense?

    Jacinto

  • Roney, ótimo artigo !
    Estou terminando o E.M. agora e pretendo me formar em Computação Forense, gostaria de saber alguns cursos que eu poderia fazer antes de ingressar na faculdade. Me indicaria algum no estado do RJ ?

    • Prezado,

      No Rio de Janeiro você pode fazer na Clavis.

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes