Desenvolvimento

Ξ Deixe um comentário

Qualidade em TI – O que muda com SOA

publicado por Paul Robert Bergami

Qualidade em TI – O que muda com SOANo  último texto discutimos como manter o foco não apenas na qualidade dos sistemas mas sim orientando a qualidade ao negócio que estes sistemas sustentam. Neste vamos discutir o que muda quando da adoção SOA.

SOA – Service Oriented Architecture, modelo para arquitetura de sistemas orientada a serviços começa a ser mais e mais adotado pelas corporações e, certamente, passa a ser a nova realidade nos centros de desenvolvimento de sistemas.

Com isso, faz-se necessário repensar as ações de qualidade que devem ser seguidas para garantir a qualidade de sistemas desenvolvidos sob esta orientação.

Qualidade sob SOA deve ter estratégia e planos diferenciados do tradicional, porém, deve ainda considerar a mesma política de qualidade, os mesmos processos, as mesmas técnicas e instrumentalização.

Para que a utilização de SOA seja bem sucedida há que se endereçar adequadamente o esforço para testes, testes da segurança, perfil da equipe de testes e estratégia de instrumentalização.

O esforço destinado para testes da camada de serviços certamente será maior em relação ao necessário à camada de sistemas aplicativos, o que implica em diferenciar este nos planos de trabalho e orçamentos.

Os testes de segurança deixam de ser efetivos somente ao final do projeto e passam a ser essenciais durante todo o seu ciclo de vida. Novamente há reflexos nos planos de trabalho e orçamentos.

Testes sob SOA devem contar com farto conhecimento de negócio além do conhecimento técnico da arquitetura, o que altera o perfil da equipe.

A abordagem de testes SOA deve contar com estratégia apropriada de instrumentalização, para dar vazão aos múltiplos testes a serem aplicados as diferentes camadas com diferentes versões de módulos.

As principais premissas para a implementação de SOA também devem ser foco da qualidade.

A documentação do Processo de Negócio é crítica em si, e não apenas na camada Web, por utilizar-se de serviços em qualquer tempo do processamento.

Implementação evolutiva, iniciando por um piloto, para entregar resultados ao negócio incrementando-o, passa a ser determinante na estratégia de desenvolvimento.

A implementação deve, também, ter por base a agregação de serviços, provendo alta flexibilidade e contínua redução de custos como foco de qualidade em contraposição a busca do requisito de baixa manuntenibildade.

Interfaces padrão para os serviços é premissa para a integração e a interoperabilidade com outros serviços.

Estas premissas ressaltam os negócios na orientação dos serviços e os serviços na orientação da tecnologia. Em suma, a agilidade para o negócio é qualidade fundamental.

Sua orientação segue na abordagem “top-down” em relação à definição dos requerimentos do processo de negócio, desenho funcional e técnico em alto nível. E segue na abordagem “bottom-up” de testes (testa funções individuais de um serviço, estas compostas em relação a um “set” de serviços e, finalmente, integrando serviços e funcionalidades que sustentam um negócio).

O modelo para testes sob SOA reflete diferentes visões de testes em diferentes níveis de testes e abrange todo o ciclo de vida de desenvolvimento de sistemas.

O ambiente de testes necessário é complexo, pois requer suportar testes múltiplos e simultâneos onde a automação do controle de versões será fundamental para a qualidade.

Os principais pontos de atenção para qualidade com SOA:

  • Os diferentes testes que devem ser conduzidos dada a adoção do modelo por serviços;
  • O perfil dos profissionais que trabalham com arquitetura e com os testes;
  • A maior dependência em relação a instrumentalização necessária para o controle de versões, controle de mudanças e controle de configuração.

Note-se que qualidade de sistemas voltados a SOA acrescentam processos de verificação e validação aos já usualmente adotados no desenvolvimento e de testes de sistemas tradicionais.

[Crédito da Imagem: SOA – ShutterStock]

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Professor de Qualidade de Software, Auditoria de Sistemas e MBA/TI, Economista pela FEA-USP com pós em Qualidade e Produtividade pela POLI-USP, especialista em qualidade de software para usuários e fornecedores de TI. Mais de 30 anos como Gestor em TI para Bancos, Consultorias, Marketing, Serviços e Governo. Focado em soluções pragmáticas de TI que aliam resultado e satisfação de clientes e acionistas, experiência internacional em London/UK no desenvolvimento de aplicativos bancários mundiais e Nova York/USA em consultoria para conformidade à Sarbanes & Oxley. br.linkedin.com/in/bergamipaul/

Paul Robert Bergami

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes