Cloud Computing

Ξ Deixe um comentário

Mitos e verdades sobre ERPs em nuvem

publicado por Grasiela Scheid Tesser

Figura - Mitos e verdades sobre ERPs em nuvemAinda que Cloud Computing esteja se popularizando e sendo cada vez mais natural nas operações das empresas, muitas companhias ainda relutam em utilizar sistemas de gestão – os ERPs – na nuvem. Como de costume, a inovação cria alguns mitos, e estes mitos refletem para em um cenário que leva as organizações a hospedarem aplicações e processos correlatos em ambiente cloud, mas manter sistemas e dados estratégicos “dentro de casa”.

Um cenário que precisa ser mudado, afinal, mitos são, como o próprio nome diz… Mitos! Ou seja, precisam ser derrubados, e a cloud computing tem resposta para todos eles. Vamos ao esclarecimento:

MITO: a nuvem é insegura.

VERDADE: não é, não. A virtualização possibilita o uso compartilhado de uma rede robusta de servidores, com infraestrutura sólida, suporte, manutenção e apoio técnico. Desta forma, hospedar um ERP em nuvem é uma opção segura, desde que se escolha um fornecedor que ofereça recursos avançados de segurança da informação, backups periódicos, ferramentas de controle do ambiente e políticas de disaster recovery, acercando-se de cuidados para evitar que qualquer contratempo, acidente ou mesmo desastre natural cause a parada do sistema ou a perda de dados. Tais recursos são vastos na nuvem, ao contrário de muitas plataformas de armazenamento “internas”.

MITO: é mais caro.

VERDADE: em escala, a economia é relevante. Primeiro, porque o modelo em nuvem desobriga a empresa de adquirir infraestrutura de armazenamento, ou seja: nada de comprar equipamentos caros, como servidores e switches. Além disso, também é cortado o gasto com manutenção e controle destes equipamentos, o que reduz custos operacionais.

Na nuvem, suporte e gerenciamento do parque de servidores são obrigações do fornecedor, e o cliente paga por mês para receber um serviço completo: sistemas armazenados, apoio operacional pró-ativo e reativo, recursos de segurança e contingência – este último, aquele que garante que, em caso de parada de um equipamento, prontamente outra máquina assuma a rodagem dos sistemas, para que não haja prejuízo ao negócio.

Tudo isso sem que o cliente precise envolver sua equipe na gestão de hospedagem do ERP. Assim, também há ganho de produtividade, já que o time de TI fica livre para dar conta das demandas estratégicas do negócio, desonerando-se da manutenção da infraestrutura de TI.

MITO: os dados são perdidos quando o contrato é finalizado

VERDADE: o backup das informações é realizado periodicamente, garantindo que nenhum dado armazenado na nuvem seja perdido. Além disso, sempre há a possibilidade de armazenar o conteúdo também em servidores tradicionais, aumentando a garantia de disponibiliade.

Logicamente que, quando o contrato com o fornecedor de nuvem estiver próximo do fim, uma migração dos dados deverá ser feita para o novo local de armazenamento escolhido. Desta forma, o cliente estará garantido quanto ao acesso ininterrupto a suas informações.

MITO: sistemas de gestão em nuvem não possuem as mesmas funcionalidades que ERPs tradicionais.

VERDADE: possuem, e até algumas a mais. O mercado acirrado, a conjuntura nacional de instabilidade econômica, a exigência de cada vez mais produtividade com cada vez menos dispêndio de recursos humanos, operacionais e financeiros, fazem da tecnologia um grande aliado das empresas que buscam manterem-se competitivas. E um dos campos em que a TI mais pode ajudar é na ampliação das possibilidades de trabalho – leia-se “flexibilidade”. Com o armazenamento em nuvem, é possível disponibilizar sistemas de gestão para acesso a qualquer hora, a partir de qualquer lugar.

Afinal, o sistema não estará restrito a um ambiente físico: ele estará na nuvem, disponível via Internet para que o empresário trabalhe nele, faça suas consultas, agende seus processos, realize suas operações e tome suas decisões sempre que precisar, independentemente de onde se encontre.

É por isso que a flexibilidade é tida pelo Gartner, uma das maiores consultorias de mercado globais, como um dos principais fatores de aumento da produtividade dos negócios de qualquer setor.

Os sistemas ERP se tornaram a base para as operações das organizações. Gerir uma empresa com base em um software desta natureza é garantia de organização de processos, acuracidade de dados, amplitude de visão, capacidade de análise, assertividade na tomada de decisões.

Em nuvem, os ERPs trazem todos estes benefícios para um ecossistema favorável à inovação e 100% disponível anytime, anywhere. É produtividade e competitividade resumidas em uma plataforma de gestão online. É contar com um software entregue como serviço, sem o ônus dos gastos com infraestrutura e licenciamento, que responde aos principais requisitos de confiabilidade e agilidade do mercado. É elevar os ganhos do negócio às nuvens, literalmente.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Grasiela Scheid Tesser , Executiva com dez anos de mercado na área de Tecnologia da Informação. CEO da CAKE ERP, startup fabricante de software de gestão em formato cloud computing para micro e pequenas empresas, e diretora de Marketing e Comercial da NL Informática, empresa especializada em sistemas de gestão para empresas de todos os portes. Conselheira da Câmara de Indústria e Comércio de Caxias do Sul-RS (CIC-Caxias). Formada em Direito pela Universidade de Caxias do Sul (2001 – 2006), Grasiela é pós-graduada com MBA Executivo Internacional pela FIA - Fundação Instituto de Administração (2011 – 2012).

Grasiela Scheid Tesser

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes