Mercado

Ξ Deixe um comentário

Mercado de tecnologia da informação no Brasil

publicado por Victor Murad Filho

Mercado de tecnologia da informação no BrasilO segmento de tecnologia da informação está conseguindo apresentar bons resultados, mesmo num momento de baixo crescimento econômico no País. De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), o setor de TI deve faturar neste ano US$ 132 bilhões no Brasil.

Isso representa um crescimento de 7,3% em relação a 2012, quando o setor faturou US$ 123 bilhões. A Brasscom estima que as vendas de hardware cheguem a US$ 35,3 bilhões. As vendas de software podem alcançar US$ 9,5 bilhões e as de serviços, US$ 21,2 bilhões.

A tendência é que esse resultado seja mais expressivo nos próximos anos. No Brasil, o setor de TI responde por cerca de 5% do Produto Interno Bruto (PIB). Em países com a economia mais desenvolvida, esse número chega ao patamar de 8%.

Outro aspecto que reforça essa tendência de fortalecimento do setor de TI no País é a demanda por serviços de gestão de grandes volumes de dados (Big Data), que está começando a ser visto pelas empresas nacionais como grande aliado para o sucesso dos negócios.

Também é necessário destacar o potencial de expansão no Brasil da computação em nuvem (tecnologia para o armazenamento de dados de computadores e servidores compartilhados e interligados por meio da Internet). Um estudo realizado pela Frost & Sullivan mostra que 50% das empresas brasileiras usuárias de TI pretendem aumentar em mais de 10% os investimentos nesse tipo de tecnologia.

Outra prova do potencial do Brasil no mercado de TI é que, segundo a Abes Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes), o Brasil ultrapassou a China em 2012 e se tornou o sétimo maior mercado doméstico do mundo na venda de softwares e serviços de tecnologia da informação. Com um mercado total de US$ 24,9 bilhões, o país subiu três posições de 2011 para o ano passado e superou, além dos chineses, australianos e italianos.

Em relação a 2011, o crescimento registrado foi de 28%. A expansão ocorreu devido ao crescimento de 53,5% nas vendas de software, que atingiram US$ 9,48 bilhões. Já o setor de serviços de tecnologia da informação (desenvolvimento de sistemas feito a pedido de uma empresa) avançou 16%, e chegou a US$ 15,44 bilhões.

Sem dúvida, o setor público pode contribuir para o crescimento da TI no País com investimentos e ações que visem utilizar a tecnologia para aperfeiçoar os serviços governamentais. Além disso, a troca de experiências e a interação com o setor privado são importantes para a administração pública avançar tecnologicamente.

Com esse objetivo, o Prodest está envolvido na organização do 41º Seminário Nacional de TIC para a Gestão Pública (Secop) que será de 11 a 13 de setembro, no Centro de Convenções de Vitória.

O evento é o mais importante do setor público de TI na América Latina e abordará ações que mostram como a tecnologia pode contribuir para melhorar os serviços públicos prestados à população.

Os debates buscarão integrar conceitos e experiências em assuntos relacionados a gerenciamento de conteúdo eletrônico, gestão de processos de negócios, processos administrativos digitais, certificação digital, gestão do relacionamento com o cidadão e a oferta de serviços on-line.

  •  
    4
    Shares
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Victor Murad Filho já atuou como diretor de Tecnologia da Informação do Tribunal de Justiça e ocupou o cargo de vice-presidente da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação (Abep). No Poder Judiciário, participou de dois grandes projetos: Sistema de Cálculo e Arrecadação de Custas da Corregedoria Geral de Justiça e do Processo Eletrônico. No segundo, o Espírito Santo foi escolhido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) como o Estado piloto para comandar a evolução do sistema digital de acompanhamento e andamento processual. Esse projeto foi vencedor do Prêmio Innovare (maior prêmio governamental do Poder Judiciário no País) e conquistou prêmios nacionais e internacionais, tais como o TI&Governo e o Oracle Open World. Outra ação foi estabelecer parcerias com as Secretarias de Estado de Saúde e de Educação, fazendo com que o Prodest passasse a administrar sistemas e a hospedar equipamentos desses órgãos. Isso possibilitou a efetivação dos sistemas de Educação Digital e de Saúde Digital. Murad também foi agraciado com o prêmio nacional “Notabile” como a personalidade mais inovadora no âmbito governamental. Além disso, foi conselheiro para Governo Eletrônico da Câmara E-net no projeto Mercosul Digital (ação que busca estabelecer condições para que exista um fluxo no comércio eletrônico entre os países do Mercosul e da União Europeia). Murad foi consultor no projeto Pacote Legislativo do Setor das TICs, em que ajudou o governo de Angola a normatizar as políticas publicas de tecnologia da informação e comunicação. Murad foi o principal gestor do Prodest de abril de 2008 a setembro de 2009. Na primeira passagem pelo órgão, foi o autor do projeto do Data Center do Estado, sediado na autarquia e considerado uma referência nacional na área de TIC.

Victor Murad Filho

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.