Desenvolvimento

Ξ Deixe um comentário

Começando com o pé direito com Python

publicado por Fernando A. Valente

Figura - Começando com o pé direito com PythonSeguindo o artigo anterior, onde eu contei um pouco da história do Python, instalações etc. Vamos começar a olhar código a partir de agora! Como eu havia falado, seguiremos uma sequencia que vai do básico ao avançado da linguagem. Minha intenção é fazer você conhecer, se apaixonar e se divertir com essa linguagem. Vamos nessa?

Todo código apresentado nos tutoriais estarão disponíveis no meu GitHub, mas precisamente nesse link: http://bit.ly/1nLmkNY

Brincando com shell interativo

Vamos começar a brincadeira de adicionar comandos simples no terminal e receber um retorno para nossa alegria. Vamos abrir o terminal e iniciar nossa virtualenv, criada no artigo anterior. Eu mostrei no último artigo como instalar, criar uma virtualenv e o motivo de se ter uma mas, propositalmente, não mostrei como inicia-la e utiliza-la. Mostrarei agora como fazer isso, mas recomendo que você de uma breve lida na documentação oficial (http://bit.ly/1nLnQ2S).

Ativando a virtualenv no Mac Os ou no Linux:

$ source env/bin/activate

Ativando a virtualenv no Windows:

$ \path\to\env\Scripts\activate

Eu estou usando o Mac Os com o iTerm 2 (somente para Mac) instalado, junto com o Oh My ZSH (que pode ser usado também no Linux). Se você estiver em um desses dois sistemas operacionais, recomendo, ajuda bastante.

Após iniciar a virtualenv, o terminal indicará que ela está ativa, mostrando o nome da virtualenv que você criou. Se você criou da mesma forma que mostrei no último tutorial, ficará algo parecido com isso:

terminal
Com a virtualenv ativa, vamos escrever python e dar enter, e agora você verá o seu terminal daseguinte forma:

Terminal interativo

Agora estamos prontos para dar os primeiros passos com Python. Vamos inserir então nossa primeira expressão (expressões são constituídas de valores e operadores):

Operação simples com Python
Simples assim, essa é a nossa primeira expressão, onde o 2 é um valor e o sinal + é um operador. O mesmo acontece se usarmos o * (para multiplicação), / (para divisão) e – (para subtração)(clique aqui para ver a tabela completa de operadores). Até ai nada de novo para quem está acostumado com alguma linguagem de programação, certo? Pois bem, o terminal será seu aliado para sempre! Seja para tirar uma dúvida ou para testar imediatamente um código antes de roda-lo efetivamente.

As ordem das operações em Python são semelhantes a da matemática, vejamos alguns exemplos:

2 + 2 * 4
10
(2 + 2) * 4
16
2 ** 8
256
21 / 3
7.0
21 // 3
7
23 % 7
2

Strings

Sem mistério e sem novidade alguma, as strings são bem parecidas com outras linguagens. Uma string pode ser escrita utilizando aspas simples ou duplas, não havendo diferença alguma em usar uma ou outra. A única coisa que você precisa saber é que, se você começa com aspas duplas você termina com aspas duplas, o mesmo se aplica para aspas simples:

"Fernando"
'Valente'

Variáveis

A utilização de variável é bem simples, você não precisa informar se é um string ou um número, basta atribuir a variável o valor desejado:

Screen Shot 2016-01-25 at 22.56.43

No terminal interativo, não precisamos “printar” o que queremos ver, isso é feito automaticamente, vou apresentar o print() um pouco mais para frente.

Mesmo sem precisar informar se o que será atribuído a variável será uma string ou um número, o Python não tenta adivinhar o que você quer (diferente de algumas linguagens existentes) como isso:

Somando número com string. Erro

É possível somar 2 números e duas strings, mas nunca somar uma string e um número, a não ser que você converta um dos 2, veja alguns exemplos:

Conversão de tipos

Existe uma outra forma elegante de juntar duas variáveis:

Python Format

E a brincadeira segue quase sem limite.

Funções

A definição de função em Python é diferente das demais linguagens apenas em seu início, no lugar de funcion, escrevemos def:

função soma em python

Simples e direto! Esse foi o segundo tutorial de muitos sobre Python. No próximo, vamos conhecer as listas, tuplas e dicionários e tudo mais que podemos fazer com cada uma delas.

Curta, comente e compartilhe! Se tiver alguma dúvida, mande um comentário que prometo responder o mais rápido possível!

Artigos Relacionados

Autor

Atuante na área de desenvolvimento web desde 2007 prestando serviços para corporações da área da saúde, educação, tecnologia e pesquisa, jornalismo e entretenimento. Além de apaixonado pelo que faz, é aficionado por Python e tecnologia. Membro da Python Software Foundation, Python Brasil e Doador do Django Project.

Fernando A. Valente

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Autores

Pesquisar:

Siga-nos!

Patrocínio

Parceria Udemy

Publicidade

Bacen

Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar