Gerência de Projetos

Ξ Deixe um comentário

Use sua inteligência emocional e tenha ótimos resultados

publicado por Carlos Marquezin

Somos entusiastas da tecnologia e, a cada momento, percebemos que os métodos tradicionais de relacionamento estão sendo colocados à parte, seja pela quantidade de informação que assimilamos diariamente ou pela conveniência dos sistemas que acabam pensando e agindo por nós. Mas, como sabemos, é impossível transmitir a emoção em relacionamentos automatizados, um simples e-mail pode produzir dezenas de interpretações e sentimentos.

Você tem idéia de como é perigoso não estar em contato com suas emoções? Até pouco tempo atrás o sucesso de uma pessoa era avaliado pelo raciocínio lógico e habilidades matemáticas e espaciais (QI). Mas o psicólogo Daniel Goleman, PhD, retoma uma nova discussão sobre o assunto. Ele traz o conceito da inteligência emocional como maior responsável pelo sucesso ou insucesso das pessoas. A maioria das situações de trabalho é envolvida por relacionamentos entre as pessoas. Desta forma, pessoas com qualidades de relacionamento humano, como afabilidade, compreensão, gentileza têm mais chances de obter o sucesso, e conseqüentemente, maior assertividade.

A Inteligência Emocional está relacionada a algumas habilidades sociais, tais como: motivar a si mesmo e persistir mediante frustrações; controlar impulsos, canalizando emoções para situações apropriadas; praticar gratificação prorrogada; motivar pessoas, ajudando-as a liberarem seus melhores talentos e conseguir seu engajamento em objetivos de interesses comuns.

Benefícios da Inteligência Emocional:
a) Desenvolver bons relacionamentos com os “stakeholders” que estão apoiando o projeto;
b) Antecipar e evitar esgotamentos;
c) Lidar com membros difíceis da equipe e gerenciar conflitos;
d) Incrementar as informações emocionais para tomar decisões melhores;
e) Comunicar-se de modo mais eficaz;
f) Criar um ambiente de trabalho positivo e um alto moral na equipe;
g) Criar uma visualização de cenário para objetivos compartilhados no projeto, com o intuito de atrair, inspirar e motivar a equipe, entre outros…

O psicólogo Howard Gardner da Universidade de Harward, nos Estados Unidos, propõe “uma visão pluralista da mente” ampliando o conceito de inteligência única para o de um feixe de capacidades. Para ele, inteligência é a capacidade de resolver problemas ou elaborar produtos valorizados em um ambiente cultural ou comunitário. Assim, ele propõe uma nova visão da inteligência, dividindo-a em sete diferentes competências que se interpenetram, pois sempre envolvemos mais de uma habilidade na solução de problemas.

Embora existam predominâncias, as inteligências se integram:
• Inteligência Verbal ou Lingüística: habilidade para lidar criativamente com as palavras.
• Inteligência Lógico-Matemática: capacidade para solucionar problemas envolvendo números e demais elementos matemáticos; habilidades para raciocínio dedutivo.
• Inteligência Cinestésica Corporal: capacidade de usar o próprio corpo de maneiras diferentes e hábeis.
• Inteligência Espacial: noção de espaço e direção.
• Inteligência Musical: capacidade de organizar sons de maneira criativa.
• Inteligência Interpessoal: habilidade de compreender os outros; a maneira de como aceitar e conviver com o outro.
• Inteligência Intrapessoal: capacidade de relacionamento consigo mesmo, autoconhecimento.
• Habilidade de administrar seus sentimentos e emoções a favor de seus projetos. É a inteligência da auto-estima.

Segundo Gardner, todos nascem com o potencial das várias inteligências. A partir das relações com o ambiente, aspectos culturais, algumas são mais desenvolvidas ao passo que deixamos de aprimorar outras.

Nos anos 90, Daniel Goleman, também psicólogo da Universidade de Harward, afirma que ninguém tem menos que nove inteligências. Além das sete citadas por Gardner, Goleman acrescenta mais duas:
• Inteligência Pictográfica: habilidade que a pessoa tem de transmitir uma mensagem pelo desenho que faz.
• Inteligência Naturalista: capacidade de uma pessoa em sentir-se um componente natural.

Sem dúvida, foram essas afirmações que se transformaram em manchete e fizeram a IE ser tão notada.

Até hoje, lamentavelmente, existem muitas controvérsias entre os pesquisadores sobre o que são exatamente as emoções. Uma possível definição de emoção é: “Um estado mental que surge espontaneamente e não por meio de esforço consciente.

Normalmente, é acompanhado de alterações fisiológicas. É, portanto, “um sentimento como são as emoções de alegria, de tristeza, da reverência, do ódio e do amor.” David E. Carlson, no seu livro Counseling and Self-Esteem (algo como Recomendações e Autoestima), usa seis palavras – sad, angry, scared, happy, excited e tender (triste, irado, amedrontado, feliz, animado e carinhoso), que ele resumiu no acrônimo SASHET – para poder entender uma ampla gama de emoções. (ver Figura 1)

Certamente, seria conveniente se a Inteligência Emocional fosse fácil de medir, assim como a altura ou o peso de uma pessoa. Infelizmente isso não acontece!

A boa notícia sobre Inteligência Emocional é que, não importa como você está agora, a maioria dos especialistas concordam que os conhecimentos podem ser aperfeiçoados e melhorados ao longo de toda sua vida.

Uma pequena avaliação segue abaixo:
1. Você acredita que deveria ficar mais animado do que fica normalmente com certo evento?
2. Você não chora em circunstâncias nas quais acredita que outras pessoas chorariam?
3. Você se orgulha de nunca ficar irritado?
4. Você fica surpreendido quando descobre que suas expectativas sobre outras pessoas não coincidem com o que de fato acontece?
5. Alguém já lhe disse que você é grosso, insensível ou negligente?
6. Você acha que os problemas que as pessoas têm são, em grande parte, culpa delas?
7. Você acha difícil trabalhar com pessoas da sua equipe cujo nível educacional é diferente do seu?
8. Você fica chateado ou incapaz de se concentrar quando um familiar ou um integrante da sua equipe está com um problema sério?
9. Você se irrita com seu cônjuge, seus filhos ou integrantes de sua equipe de projeto por comentários inofensivos, porém humorísticos sobre seu desempenho?
10. Seus amigos mais próximos ou seu cônjuge comentam que você não sabe lidar bem com suas emoções?
11. Você freqüentemente faz piadas ou usa do sarcasmo com os seus colaboradores ou seus amigos?
12. Você costuma “sair batendo o pé” das reuniões, batendo portas ou enviando e-mails raivosos, tudo porque as suas colocações não foram aceitas?
13. Seus relacionamentos com sua equipe de projeto, seus colaboradores, gerentes e patrocinadores são superficiais e limitados à tarefa do momento?
14. Seus conflitos com determinados indivíduos são constantes?
15. Você se sente uma vítima dos outros ou acha que diz “sim” quando, na verdade, quer dizer “não”?
16. As pessoas costumam sair da equipe de projeto quando ficam sabendo que você é o líder?
17. Para você, comunicar-se com os outros é algo muito difícil?
18. Fica surpreso quando a sua equipe não entende os objetivos do projeto que está sendo proposto?
19. Em seus projetos, você vivencia conflitos que parecem nunca se resolverem?
20. Você quer ser melhor no que se refere a estabelecer um carisma ou sua presença como líder?

Para se auto-avaliar, conte o seu número total de respostas “não”. Quanto menor for este número, maiores e mais significativas são as oportunidades para melhorar a sua inteligência emocional, porém se o número estiver entre 17 e 20, você é quase um gênio emocional que faz parte de uma minoria de profissionais que sabe lidar com muita eficiência com as suas emoções e as dos outros.

Agora, imaginem a complexidade de um sistema com essa capacidade de interpretação!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Possuo mais de 15 anos de experiência em sistemas de engenharia de manutenção e manufatura. Atualmente realizo projetos de implantação do ERP SAP na área de negócio SCM > Supply Chain Management > Planning and Service Management, especializado nos módulos: PM - Plant Maintenance; PP - Production Planner; PS - Project System e suas integrações.

Carlos Marquezin

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.