TI Corporativa

Ξ Deixe um comentário

Sopa de letrinhas

publicado por Roberto Queiróz

Com o mercado cada vez mais exigente e competitivo, com muitos desafios a cada dia para serem vencidos, metas para cumprir, negócios que necessitam de estratégias mirabolantes para baixar custos e somando-se a tudo isso a falta de profissionais qualificados, as empresas conceituadas estão vivendo uma realidade impar dos últimos 10 anos.

Principalmente com a “sopa de letrinhas”. Senão vejamos algumas delas : API, BPEL, BPM, BPMI, BPMN, BPO, SOA, ESB, CORBA, ERP, UDDI, XML..e por ai vai…

Especificamente quero comentar sobre o SOA e BPM :

Sob o efeito da globalização, as empresas estão encontrando desafios singulares para as suas sobrevivências. É a concorrência, a globalização, clientes incorporando novas empresas, novos negócios, e junto vem as exigências que os negócios necessitam para se manterem na “vitrine”, como é o caso da indústria automobilística que vive momentos tão especiais com modelos de veículos sendo lançados a cada trimestre, por exemplo. A isto o mercado de TI chama de “Menor tempo de vida dos produtos e serviços”.

E cria-se, então, um ciclo entre Clientes/Fornecedores/Parceiros/Legislações/Qualidade/Inspeções/Integrações/Custos até chegar ao consumidor, que é a razão de todas essas mudanças que estão acontecendo dia após dia no mercado e em nossas vidas pois influenciam diretamente noa nossa rotina, como é o caso já exemplificado da indústria automobilística.

E onde entra o SOA e BPM neste ciclo?

Na necessidade para atender o que o mercado está exigindo, as empresas estão propondo novos desafios e apresentando-os às respectivas áreas de TI situações para que criem mecanismos de sustentações.
E as áreas de TI estão se esforçando ao máximo para buscar a perfeição em processos que facilitem ou clareiem os entendimentos das áreas envolvidas (financeira/marketing/vendas/compras/logística, etc…)

A indústria automobilística é o exemplo mais claro que temos hoje em dia, pois senão vejamos: Com os lançamentos de novos produtos, vem o aumento da demanda na fabricação, com isto os prazos encurtam mais e mais devido a vários fatores, principalmente o da concorrência e marketing, porém estas empresas não podem esquecer a qualidade dos produtos/serviços, a disponibilidade destes, a integração com novas tecnologias e de olhos atentos nos custos financeiros, tanto na fabricação quanto nas vendas para o consumidor final.

E existe uma mágica para equalizar todos estes fatores?

Está aberta então uma nova proposta, chamada Arquitetura de TI!

Esta foi criada visando melhorar os resultados produzidos pela TI e andar ao lado, de “mãos dadas”, com o negócio da empresa. Daí, surge então o que conhecemos por SOA , que , traduzindo literalmente descobrimos as palavras mágicas “ Arquitetura Orientada a Serviço”.

A arquitetura SOA é a soma dos esforços de grandes empresas como: Oracle, IBM, Microsoft, SAP e HP que visa estabelecer padrões e tecnologias que facilitam e materializem as possibilidades do reuso das aplicações sem se importar com as plataformas de hardwares e softwares e independe também de linguagens.

Daí surge também o BPM, que podemos chama-lo de “Gestão de Processos de Negócio”, que possibilita a visualização, a automação e a melhoria no que há de mais interessante nos processos de “business” da companhia.

O SOA já está muito presente no dia a dia das empresas. Segundo o Instituto Gartner, em mais de 50% das empresas hoje em dia, o conceito se faz presente mesmo que de forma parcial nas novas aplicações criticas e processos.

Vamos à um exemplo prático da utilização do SOA/BPM.

Uma montadora resolve lançar um modelo novo de automóvel e coloca sua loja um modelo. Alguém que se interesse pelo novo veículo e queira financiá-lo deverá preencher uma série de documentos, entrega-lo ao vendedor e este então despachará os documentos preenchidos para o departamento de cadastro, o departamento de cadastro buscará as informações financeiras sobre o possível cliente, se a ficha cadastral for aprovada pela instituição financeira, segue o fluxo de confecção de contrato até a assinatura. Isto deve demorar pelo menos 10/15 dias, até o possível cliente saber se ele foi aprovado ou não pelas diretrizes da financeira.

Se a concessionária estiver com um departamento de TI “em dia”, com arquitetura SOA e o BPM funcionando e em sincronia com as aplicações, este tempo de resposta poderá ser encurtado para questão de horas, no mesmo dia, isto porque o próprio vendedor poderá fazer as inserções dos dados do candidato, que uma vez estando no ERP da concessionária, estas informações seguem o fluxo com o BPM e coleta as informações sobre a “saúde financeira” do candidato e após, seguindo metodologia própria, aprova ou não a ficha cadastral. E o cliente poderá sair, feliz, com um carro novo no mesmo dia. Simples assim!!!

Este assunto é um pouco mais amplo, porém muito envolvente e o que é mais interessante, não temos como fugir deste cenário SOA/BPM daqui em diante. Assim são também com as companhias aéreas, a indústria alimentícia, a de Telecom, construtoras, etc…

Discutiremos este assunto pormenorizando em outro post para que não fique uma leitura cansativa mas vale a dica : Seja você um gestor de TI, um gerente ou um articulador de negócios que ainda não teve o tempo necessário para ler e “girar na órbita” SOA/BPM, corra e se informe. Com certeza esta dupla irá facilitar muito o seu trabalho dando-lhe visibilidade, facilidade, organização e vida longa na área.

Até o próximo artigo!!!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

É formado em Ciência da Computação pela Faculdade SPEI – PR com Pós-Graduação em Administração de Banco de Dados e MBA em Gestão Estratégica de Negócios, pela FIA-SP. Com certificações Oracle (OCP), Oracle Exadata 11g Certified Implementation Specialist, Oracle 11g Service Oriented Architecture 11g Sales Specialist Assessment e Oracle 11g Service Oriented Architecture Specialist 11g Support Specialist Assessment. Como consultor de banco de dados Oracle, tem trabalhos desenvolvidos em grandes empresas, entre elas: Ágora Investimentos, Carrefour Brasil, Deutsche Bank, Embratel, Exxon Mobil (Texas), Fly Emirates (Dubai, EAU), Gol Linhas Inteligentes, GVT Telecom, HSBC GLT, Interchange, Oi Telecom, Petrobras, Oracle do Brasil, Rede Globo, TAM, Vivo - SP e Vodafone (Alemanha).

Roberto Queiróz

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes