Carreira

Ξ 2 comentários

Recolocação profissional: não basta ter um bom currículo é necessário ter uma imagem vendedora

publicado por Nara Lyon

Figura - A boa imagem na recolocação profissionalA crise tem acirrado a disputa por uma vaga no mercado e exigido dos candidatos muito mais que uma boa formação

Seja por causa da crise ou não, chega um momento na vida de muitos profissionais que é necessário a busca por uma recolocação profissional. Neste momento crucial, é preciso deixar o excesso de orgulho de lado e encarar a realidade de que não basta ter boas formações e um histórico profissional muito bom, é necessário saber convencer que, de fato, tudo isso poderá fazer diferença em uma nova empresa.

O desemprego ou o simples desejo de uma mudança na carreira, para muitas pessoas, pode vir junto com sentimentos confusos como insegurança, medo, solidão, desespero, ansiedade, fracasso, entre diversos outros, que, se não forem controlados, poderão ser os vilões que impedirão o sucesso desejado na nova empreitada. Pois, se não forem tradados e enfrentados interiormente estarão estampados nas expressões faciais e corporais, demonstrando que são maiores do que a capacidade e o desejo de vencer e superar desafios.

O pior é que a pressão da situação também pode levar muitas pessoas a esquecerem da própria imagem. De nada adianta um currículo high tech ou recheado de atividades, adjetivos e qualidades, se o dono deste histórico brilhante não tem uma imagem vencedora. Suas roupas são ultrapassadas e fora de moda, sem nenhum estilo, e suas vestimentas completamente inadequadas para os novos desafios que podem surgir.

É importante ficar alerta, pois a concorrência é grande e alguém com um currículo menor pode se destacar mais que uma pessoa bem formada, simplesmente por saber valorizar-se melhor. Por isso, atenção, na busca por uma ascensão na área profissional é necessário investir na aparência. As companhias querem promover ou contratar profissionais que representem a sua imagem ou filosofia, pessoas que realmente tenham um perfil que se associe a uma marca.

Essas empresas estão tão preocupadas com isso, que constantemente investem em treinamento e workshopsque instruam um comportamento assertivo de seus funcionários quanto à aparência. Mesmo assim, na hora de contratar novos profissionais, eles optarão por aqueles que estejam o mais próximo possível daquilo que consideram ideal: histórico que se enquadre a vaga, comportamento e imagem que represente a marca.

O bom profissional não perde tempo, se atualiza, aprende, busca consultoria e cursos que ensinem a imagem ideal para ser bem sucedido na carreira. É necessário esforço e coragem para sair do casulo e alçar vôos mais altos. Não basta ser, é necessário parecer.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Nara Lyon Especialista e Consultora de Imagem para Desenvolvimento de Carreira pela USA Membership (Association of Imagem Consultants International).Image Consulting e Fashion Designer pelo Fashion Institutte of Technology (New York).

Nara Lyon

Comentários

2 Comments

  • Achei bem fraco o texto, entao um profissional bem vestido seria melhor que um profissional com boa experiencia? isso nao faz sentindo nenhum para uma organização séria.

    Uma organização séria não vê aparências, vê profissionalismo, experiencia e projetos .

    A não ser que a vaga seja para vendedor externo ou atendente de loja a aparência nao é tao importante, ainda mais na area de TI.

  • Olá Nara.

    Muito bom a sua análise, inclusive nos faz refletir em como estamos com valores invertidos.

    A máxima em ver o medo nos faz parar.. e isto é péssimo para quem precisa caminhar o mais rápido possível.

    Algo que aprendi e gostaria de compartilhar é que é preciso criar conexões com o entrevistador. A melhor comunicação é a que acontece quando estamos na mesma página. Sendo importante advertir sobre o cuidado em utilizar o seu poder de persuasão através dos gatilhos mentais ou conexões que somos capazes de identificar.

    Para atingir os objetivos, é preciso agir com ética e sempre entregando o que foi prometido. Vender o peixe não é mentir.

    Quando mentimos e utilizamos os gatilhos mentais apenas para benefício próprio, estamos manipulando as pessoas, não persuadindo.

    Pode funcionar por um tempo, mas a mentira sempre se volta contra nós. Inclusive no meio digital, onde muitos acham que é “terra de ninguém”. Mas se você mentir o maior prejudicado será você próprio e em questão de segundos.

    Mas ha possibilidades em se conseguir um bom retorno em meio a crise, veja a página .
    http://www.tiespecialistas.com.br/2015/06/entrevistadeemprego/

    Acredito que a troca de experiencias é o que nos faz crescer. Adoraria saber o seu comentário.

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.