Carreira

Ξ 1 comentário

O líder sábio cuida de seus liderados

publicado por Diego Salim De Oliveira

O líder sábio cuida de seus lideradosO comportamento de alguns líderes realmente me impressiona de maneira negativa.

Até hoje, vemos líderes que se mostram muito bem preparados em alguns aspectos, sobretudo operacionais, técnicos, comerciais e/ou  financeiros, mas fraquíssimos em um aspecto importantíssimo, a Liderança.

Liderar é uma responsabilidade muito complexa, que depende, além de muito preparo, de se saber liderar. Não basta se ter um excelente conhecimento e experiência em negócios, finanças e outros temas. Mais importante que isto, é saber liderar, e independentemente da área de atuação, o que lideramos não são números ou máquinas, mas sim, pessoas.

São as pessoas, quando motivadas, bem treinadas e preparadas, e principalmente, bem lideradas, que atuam de forma a levar a empresa a alcançar seus objetivos.

Entretanto, muitos “líderes”, ou profissionais que se encontram em posição de liderança/chefia, se esquecem das pessoas.

Inúmeros temas são importantes, mas sem as pessoas, não se chega a lugar algum.

Por isto, vejo como extremamente despreparados, aqueles que se sentem líderes, mas se esquecem das pessoas, que se esquecem dos liderados.

Despreparados, pois não têm a mínima ciência da importância para o líder em cuidar de seus liderados.

Se não o faz por paixão às pessoas, deveria o líder fazê-lo ao menos por conta dos resultados.

Por razões óbvias, líderes e empresas que tratam seus profissionais como pessoas e não meros ativos substituíveis, tendem a fazer com que seus liderados formem não uma equipe ou um time, mas um verdadeiro exército, onde cada membro ajuda aos demais e ao próprio time, onde todos se sentem parte e principalmente, responsáveis pelo sucesso da empresa, onde, por identificação com a empresa, passam a sentir como se seu dever primário fosse alcançar o sucesso coletivo, não individual.

Mesmo assim, ainda presenciamos inúmeros casos de “líderes”, aliás, chefes que se acham líderes, que querem apenas usar o potencial de seus funcionários ao máximo, pagando o mínimo possível, e, quando atingirem o desgaste físico ou mental imposto pelo stress, simplesmente trocá-los.

Até mesmo diretores e donos de empresas bem sucedidas, sobretudo empresas nacionais, que ainda por cima, quando o desempenho do funcionário cai, ainda culpam o funcionário, dizendo que se acomodou, perdeu o pique, e coisas do gênero.

Isto me deixa impressionado com a falta de intelecto de quem assim pensa.

É claro que existem funcionários, que por mais que a empresa e seu líder sejam exemplares, vão, por alguma razão pessoal, se acomodar, desejar apenas a “boa vida”, mantendo-se no cargo, com mínimo esforço.

Mas, certamente estes casos são uma minúscula minoria.

Geralmente, os funcionários que possuem tal caráter, se mostram logo nos primeiros meses, quando não nas primeiras semanas.

Já os funcionários que se mostram dedicados, comprometidos e com alto desempenho por anos, certamente, quando a queda no desempenho é notada, esta queda é sim um problema da empresa e de liderança.

O líder inteligente sabe que deve rodear-se dos melhores. Não apenas os mais inteligentes, maiores conhecedores do assunto, mas também, os mais fiéis e dedicados.

Os demais, os preguiçosos, que não demonstram comprometimento, estes sim, devemos logo, sem perda de tempo, devolver ao mercado e torcem para que sejam contratados por nossos concorrentes.

Mas é claro, para ter os mais comprometidos e os melhores ao seu lado, a empresa e o líder devem criar condições para isto. Estrutura e condições de trabalho, ambiente corporativo agradável, remuneração atrativa, e principalmente, uma gestão humana. Não uma gestão frouxa, que aceite desculpas, mas uma gestão que saiba entender e diferenciar os indivíduos, dando-lhes o reconhecimento e benefícios que merecem, de acordo com o que fazem por merecer, que cobra e pune quando merecido, mas também, reconhece, aplaude e recompensa quando merecido.

[Crédito da Imagem: Líder Sábio – ShutterStock]

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

• Profissional com 16 anos de experiência em empresas multinacionais e nacionais de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, com conhecimentos e experiência adquiridos nas áreas Comercial, Canais, Parcerias, Produtos e Técnica. • MBA em Gestão Estratégica de Negócios (ESALQ/USP), Master in Information Technology (FIAP) com módulo internacional pela Singularity University, Pós-graduação em Administração (UNIP) e graduação em Tecnologia em Marketing (UNIP). • Sólida experiência na gestão de equipes multidisciplinares. • Liderança técnica e comercial de projetos estratégicos em clientes privados e públicos, incluindo experiência e conhecimento da Lei Federal 8.666/93. • Experiência em Tecnologia da Informação (TI), incluindo Soluções em Big Data Analytics, Nuvem (Cloud), Continuidade de Negócios, Recuperação de Desastres, Virtualização (de Servidores, Desktops, Aplicações e Armazenamento), Bancos de Dados, Redes (SAN, LAN e WAN), Arquivamento, Data Center, Monitoramento e Mascaramento de Dados. • Experiência em Segurança da Informação (SI), incluindo Cyber Intelligence, Anti-DDoS, Segurança Perimetral e de Redes, End Point Security, MDM (Mobile Device Management), DLP (Data Loss Prevention), entre outros temas. • Experiência em Telecomunicações, incluindo Fixas e Móveis. • Experiência em Automação, com foco em M2M (Machine to Machine) e IoT (Internet of Things). • Domínio da Lei Geral de Proteção de Dados e das Resoluções 4658 e 3909 do Banco Central do Brasil. • Conhecimentos em Administração, Contabilidade, Gestão Tributária, Marketing e Direito (com foco em Direito Digital e legislação específica a respeito a respeito de Licitações e Contratos Públicos). LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/DiegoSalimDeOliveira

Diego Salim De Oliveira

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.