Cloud Computing

Ξ 1 comentário

Nas Nuvens Nórdicas…

publicado por L.Midas

Ultimamente, passo a maior parte do meu tempo nas nuvens.  Literalmente falando, uma vez que minha região de atuação prioritária chama-se Europa Central, do Leste e Nórdica, tenho dispendido boa parte do meu tempo dentro de aviões – e pior ainda, na classe Econômica! Descobri, por conta dessas últimas andanças, que Estocolmo, que até então no meu ingênuo entender era bem servida de conexões internacionais, é um péssimo hub para voos destinados ao leste Europeu. E dá-lhe viagens de relativamente curtas distâncias que levam 7, 10 horas contadas de porta a porta até que eu chegue ao meu destino, onde irei participar, geralmente no dia seguinte, de uma palestra de no máximo 4-5 horas.

Hora do meu show, geralmente estou de jeans e blazer se a audiência é alguém menos que um CEO.  É um despojamento calculado. Atualmente, desconfio de qualquer palestrante que esteja por demais arrumadinho, impecável.  Toda vez que vejo um sujeito desses, me vem à mente aquele conceito de vendedor.  De alguém que, na realidade, não domina o assunto em profundidade. Foi treinado, orientado e agora está repetindo. Às vezes, é apenas um preconceito meu. Será?

Volto, novamente para as nuvens. Cloud Computing.  O assunto do momento. Como Analista de Negócios trabalhando quase que exclusivamente com o conceito de Cloud Computing junto às operadoras, ou melhor, CSPs – Provedoras de Serviços de Comunicação – vejo os olhinhos do CEO, CMO, CFO, dos gerentes de produtos  brilharem de satisfação. Leio-lhes a mente: “Finalmente, vamos galgar degraus, subir na cadeia de valores”.  Pergunto-lhes: “Vocês tem algum plano na área de Cloud Computing?”. A resposta geralmente é vaga, mas invariavelmente: “Queremos entrar na área de Software as a Service”.  Não vou aqui descrever IaaS, PaaS ou SaaS. Para isso existe a Wikipedia.

O ponto é que já vi esse brilho antes. Meus 10+ anos de experiência na área de Telecom, sempre trabalhando aqui na Suécia junto às empresas de telecomunicações em áreas de vanguarda, me trouxeram relativamente poucas alegrias profissionais e muita frustração. As línguas ferinas certamente dirão: “Ah, então foi por isso que ele resolveu escrever seu livro pornô travestido de romance moderno.”  Pode ser que estejam certos, afinal, é muito desgosto para uma pessoa só. Veja bem:  Tudo começou em 1997 quando fiz parte da equipe que construiu o primeiro smartphone do mundo, o R380s. Na época, maravilhei-me com o conceito de um sistema operacional no telefone. Imagine: Isso significava que, como um computador, eu podia trocar o aplicativo de fazer as ligações por outro qualquer, não precisava ficar preso ao criado pelo fabricante. Ou mesmo, adicionar novos aplicativos ao telefone!  Um dia, talvez daqui a 2 ou 3 anos,  dezenas de milhares de aplicativos baseados no Sistema Operacional Symbian estariam disponíveis para download através dos portais das operadoras. Como eu acreditava e esperava por esse dia! Bem, todos sabem o que aconteceu. Foram necessários exatos 10 anos, para que uma empresa sem nenhum histórico na área de telefonia “revolucionasse” o setor com exatamente o mesmo conceito. Notem que até no discurso do finado Steve Jobs,  ele apresenta o telefone de forma semelhante ao da propaganda do R380s.

Novamente, conforme já fiz com tantas outras magníficas oportunidades de negócios, mostro-lhes as estimativas do tamanho do mercado de Cloud Computing para os próximos 3, 5, 10 anos.  Os olhos voltam a brilhar. Em breve sentir-me-ei como quem tira doce da boca de uma criança.

O espaço acabou. Prazer em conhecê-los.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

L.MIDAS é analista de negócios de uma das maiores multinacionais do setor de telecomunicações e orador frequente em conferências sobre novas tecnologias, novos negócios e seu impacto no cotidiano das pessoas. O autor, natural de Belo Horizonte (MG) reside há mais de 10 anos em Estocolmo, Suécia, com sua esposa e três filhos. Seu primeiro romance, "Redes Sensuais", foi definido pela escritora Chirlei Wandekoken como “Uma trama inteligente, moderna e altamente sensual que retrata os impactos das Redes Sociais nos relacionamentos de forma cosmopolita e abrangente”. http://www.facebook.com/LMidas.Homepage http://www.facebook.com/RedesSensuais Michael Dahlén, autor de Nextopia (www.nextopia.info) e cinco outros livros, considerado um dos mais influentes pesquisadores do mundo na área de comportamento de consumidores, criatividade e marketing assina o prefácio da obra e afirma: “Um romance provocante que expõe os efeitos colaterais da internet” NOVIDADE: AMOSTRA GRÁTIS DE REDES SENSUAIS - Link para download de um "test-read" das primeiras 150 páginas da obra. http://ge.tt/78mDJLP Comentários, fotos, fórum de leitores na página: www.facebook.com/RedesSensuais

L.Midas

Comentários

1 Comment

  • L.Midas,
    Simples e Sensacional seu artigo.

    Skål

    Em tempos de Nuvens:

    How’s The Weather????
    CLOUDY !!!!!

    Abraços
    Rapanelli

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes