Carreira

Ξ 3 comentários

Multiplicando lideranças

publicado por Paulo Tajima

Sashimi, muito alem do peixe cru, este prato cada vez encanta e ganha mais adeptos por todo o mundo. Os paladares mais refinados são capazes de distinguir nitidamente as caracteristicas de um peixe de boa qualidade, conservação, textura, aroma, etc. Como atender esse mercado cada vez mais exigente ?

Um pouco de historia:

-Inicialmente os barcos pesqueiros saiam da costa do Japão, pescavam mar adentro e depois de semanas os peixes voltavam congelados em cameras refrigeradas específicas. Saboroso, mas com aquele leve gostinho de congelado.

-Estudos e mais estudos… E se ao inves de congelarmos, colocarmos os peixes em um grande aquário no barco ?  -Muito bom, a maior parte dos peixes chegariam vivos na costa, mesmo após semanas. Muito mais saboroso, mas ainda não o suficiente. Os peixes do aquário, ficavam estáticos por muito tempo, apesar de vivos, a alteração de sabor ainda era perceptivel.

Uma nova solução encontrada, foi colocar um tubarão dentro do aquário, fazendo com que os demais peixes fiquem muito mais atentos e agitados. Pela propria seleção, os mais fracos são  devorados pelo tubarão.

Voltando para a nossa organização, qual o mercado que devemos atender ?

Na maior parte dos casos a resposta será o mercado de nivel mais seletivo e exigente, então precisamos ter os melhores e mais ativos peixes. Tal qual a história, nossa organização precisa estar atenta e com agilidade, sob o risco de sermos devorados.

Ao longo dos anos com gestão de pessoas, percebi que as pessoas de modo geral associam que o tubarão nessa historia toda é o chefe. De fato, um chefe tubarão irá deixar a equipe atenta, agitada, ou melhor dizendo, estressada. Mas nesse ponto é que a organização em alto nivel, necessita ter a visão holística de seus processos, e mais do que nunca ter uma liderança que conduza a equipe a gerar resultados que façam a empresa sobreviver e crescer, diante do tubarão que é o mercado externo. O chefe será sim um tubarão, mas não no sentido de devorar a equipe, e sim um aliado que motive verdadeiramente. Boas lideranças geram novas boas lideranças, não permitindo que lideranças negativas prosperem.

Os tubarões bons e maus, já existem em diversas quantidades, localizações e tamanhos, mas nem todas as organizações conseguem percebe-los em tempo hábil. Colocar mais um tubarão dentro da equipe, nem sempre é a melhor alternativa. Conflitos internos, competitividade entre departamentos, fazem a subtração dos resultados globais.

O foco é o cliente e não os conflitos internos. Neste papel, o líder deve sim fazer com que a equipe tenha o dinamismo necessário, até mesmo para a própria sobrevivência do negócio. A liderança não é única, cada membro da equipe pode e deve assumir uma liderança situacional.

Fazer bem feito o que a organização diz que faz. Parece obvio, mas nem sempre a prática esta alinhada com os objetivos da empresa.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Começou sua carreira como estagiario em Telecomunicações na IBM Brasil, formado na area de exatas com especialização em Eletrônica Digital, complementou seus estudos em Redes, Administração e Gestão Empresarial na Fundação Getulio Vargas. Atuou por 13 anos na IBM como Analista de Sistemas e Especialista em Sistemas e Produtos Assessor, migrando para a Lucent Technologies como Technical Account Manager.  Recebeu inumeros prêmios de reconhecimento por implementações de projetos bem sucedidos no Brasil e Estados Unidos, para redução de custo e melhorias de qualidade, dentre eles (IBM Total Quality Prize, IBM Services Recognition, Excellence in Achievement Award – Avaya Communication) Com ampla bagagem, visão holistica e especialista, continua atuando em multinacionais em todos os segmentos de mercado.

Paulo Tajima

Comentários

3 Comments

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.