Redes & Telecom

Ξ 2 comentários

Compreendendo os requisitos de um Datacenter

publicado por Abian Laginestra

Figura - Compreendendo os requisitos de um DatacenterNivelamento de conceitos:

Vamos começar com o entendimento dos conceitos de Sala Cofre e Data Center comumente usados no País, principalmente em termos de referência para licitações:

Sala Cofre é um ambiente estanque e controlado que protege o Data Center contra ameaças físicas incluindo fogo, calor, umidade, água, fumaça, arma de fogo e acesso indevido.
Data Center é o ambiente interior da sala cofre e normalmente deve ser projetado de forma escalável.

Infraestrutura dedicada para o datacenter:

Normas internacionais existentes fornecem os requisitos e orientações para projetos e instalação dos datacenters de modo que as equipes multidisciplinares envolvidas nestas atividades atendam os diversos códigos elétricos, códigos de segurança, códigos de incêndio, códigos de aterramento, códigos de geração de emergência e standby, códigos de telecomunicações e códigos térmicos para datacenters.

As normas mais utilizadas atualmente para esta finalidade são a ANSI/TIA-942 e as recomendações do The Uptime Institute, particularmente o White paper “Industry Standards Tier Classifications Define Site Infrastructure Performance”.

Esta normalização, no que se refere infraestrutura elétrica e de ar condicionado, recomenda o uso e instalação de sistemas de infraestrutura elétrica e de ar condicionado dedicados exclusivamente para o datacenter nos casos em que seja especificado que a criticidade do datacenter deve atender às exigências dos Tiers II, III ou IV.

Características dos sistemas de infraestrutura elétrica e de ar condicionado:

Os principais sistemas de infraestrutura elétrica e de ar condicionado utilizados no projeto e instalação de datacenters são os sistemas de geração de emergência e standby (normalmente grupos diesel geradores), sistemas de fornecimento ininterrupto de energia (equipamentos UPS/No-break e respectivas baterias) e sistemas de climatização (normalmente sistemas de ar condicionado de precisão).

Grupos diesel geradores: Para aplicação em datacenters os grupos diesel geradores devem ser especificados para alimentar cargas eletrônicas. Os grupos diesel geradores com esta capacidade são chamados de “Computer Grade Gensets”. As principais características destes grupos diesel geradores são:

  1. Capacidade de alimentar cargas não lineares sem comprometer termicamente os enrolamentos,
  2. Capacidade de partidas rápidas (pré-aquecimento),
  3. Alta disponibilidade (filtros redundantes, baterias redundantes),
  4. Capacidade de monitoração e comunicação (interfaces de comunicação),
  5. Possuem sistemas eletrônicos embarcados para controle de tensão, velocidade e paralelismo.

Ou seja, geradores tradicionais, não são aplicáveis as cargas de um datacenter.

  • Sistemas UPS/No-break: Para aplicação em datacenters os sistemas ininterruptos de energia devem ser especificados para alimentar cargas eletrônicas sensíveis. Os equipamentos UPS utilizados para esta finalidade são do tipo true on-line de dupla conversão, com chave estática, by-pass, filtros de harmônicas e bancos de baterias para um determinado tempo de backup.
  • Sistemas de climatização: Para aplicação em datacenters os sistemas de climatização devem ser especificados para climatizar cargas térmicas de calor sensível. Os equipamentos de ar condicionado utilizados em datacenters são chamados de “equipamentos de ar condicionado de precisão” ou CRAC – Computer Room Air Conditioning. As principais características dos equipamentos de ar condicionado de precisão são: adequados a uso contínuo 24 x 7 x 365, precisão no controle de temperatura e de umidade (possuem reaquecimento e umidificação), alta capacidade de remoção de calor sensível, alta vazão de ar, baixo ruído, baixo consumo, pequeno footprint, capacidade de monitoração e comunicação (interface de comunicação) e capacidade de trabalho em grupo.

Os fabricantes de sistemas UPS e de HVAC salientam que para projetar e manter os componentes de climatização e Energia devem haver especialistas em DataCenter, caso os mesmos não sejam exclusivos para TI, em função da especificidade dos cenários envolvidos.

É indicado que a TI fique com a missão de prever riscos e mitigá-los. Incluindo a gestão da energia, manutenções preventivas e emergenciais, já que ela conhece os requisitos do negócio e sistemas que mantém, incluindo a ciência da criticidade dos mesmos, quais podem ter downtime ou não.

Citando a ISO 27002:

Cap. 9 – Segurança física e do ambiente

9.2.4 – Manutenção dos Equipamentos (manutenção correta para prover disponibilidade e integridade)

Cap. 10 – Procedimentos e responsabilidades operacionais

(operação segura e correta dos recursos de processamento da informação)

10.1.1 – Documentação dos procedimentos de operação

(procedimento para reinício e recuperação em caso de falha no sistema)

10.1.2 – Gestão de Mudanças

(modificações nos recursos de processamento sejam controladas, ou seja envio de relatórios constantes da manutenção para a TI)

Cap. 14 – Gestão da Continuidade do Negócio

14.1 – Aspectos da Gestão da continuidade do negócio.

Figura - Aspectos da Gestão da continuidade do negócio.

Figura – Aspectos da Gestão da continuidade do negócio.

Adicionalmente o ITIL também corrobora essa visão:

Figura - O ITIL preconiza que a TI deve ser capaz de executar tudo

Figura – O ITIL preconiza que a TI deve ser capaz de executar tudo

O grande problema é que o ar condicionado de conforto, aquele usado comumente em milhares de “CPD´s” pelo País, não conseguem tratar o calor e umidade adequadamente.

Outros graves problemas são os circuitos de alimentação, aterramento, UPS e geradores.

Na literatura sobre o tema, quando analisamos CPD´s e Datacenters temos 5 causas principais de ineficiências nos mesmos:

Figura - temos 5 causas principais de ineficiências nos Datacenters

Figura – temos 5 causas principais de ineficiências nos Datacenters

  1. Ineficiencia de energia e alimentação;
  2. Ineficiência de refrigeração;
  3. Sistema de iluminação e sistemas acessórios;
  4. Super dimensionamento dos sistemas, por não serem os adequados;
  5. Ineficiências de configuração e escalonamento.

Finalizando, como visto acima é fundamental que o TI absorva entendimento acerca das utilidades envolvidas que tradicionalmente ela não detém conhecimento, Energia e HVAC, a fim de que consiga projetar e manter áreas seguras para os ativos, tendo inclusive respaldo e responsabilidades nas diversas normatizações existem as quais deve se submeter por compliance e governança.

[Crédito da Imagem: Datacenter – ShutterStock]

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Profissional com 20 anos de experiência nas áreas de tecnologia, compliance e administrativa de empresas, com forte preocupação em segurança da informação e aderência regulatória. Possui larga experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Sistemas de Informação. MBA em Gestão da Segurança da Informação pelo INFNET, e graduado pela EBAPE - Fundação Getúlio Vargas.

Abian Laginestra

Comentários

2 Comments

  • Excelente publicação, seguindo todas as recomendações. Atuo na Klabin SA e devido a construção de fábrica de celulose no valor aproximado de 6 bilhões, estamos contratando a construção de um datacenter com essas normativas.

  • Sérgio e Rafael,
    Obrigado.

    Em breve vou trazer requisitos Green IT para essa questão.
    Abços

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.