Tecnologia Social

Ξ Deixe um comentário

Vigiar e Punir : Seus filhos nas Redes sociais

publicado por Lígia Marques

Vigiar e Punir.

Vigiar e punir é um clássico livro do filósofo frances Michel Foucault, publicado em 1975, uma obra que alterou significativamente o modo de pensar a política social no mundo ocidental.

Apesar de ter surgido há mais de 20 anos,mostra-se ainda atual em seus conceitos quando pensamos num paralelo com nossa presença no mundo digital.

Foucault,nessa obra,trabalha em cima dos mecanismos sociais e teóricos que se produziram nos sistemas penais ocidentais durante a era moderna.

Segundo ele a disciplina se constrói no indivíduo, sem que para isso se imponha uma força excessiva, apenas pelo fato do transgressor saber estar sendo observado,sem poder,no entanto, se certificar em quais momentos realmente se dá essa vigilância.

Ele exemplifica esta situação de vigilancia constante para se conseguir disciplina através do uso do design de um modelo prisional feito por Jeremy Bentham,conhecida como Panóptico.
O Panóptico era uma construção onde os detentos ficavam em celas dispostas ao redor de uma torre e eram assim vigiados de forma que não podiam ver seu vigia. Uma observação constante caracterizada pela “vista desigual”.O recluso não poderia nunca saber quando (e se) realmente era observado. Esta estratégia faria com que os detentos interiorizassem a necessidade de não transgredirem as normas estabelecidas por temerem uma punição . Assim ele mostra que se é menos induzido a transgredir regras se se acredita estar sendo observado, mesmo quando a vigilância não é (momentaneamente) praticada. Quer um exemplo atual? Pense nas inúmeras cameras de monitoramento espalhadas pelas cidades com a intenção de coibir crimes.Funcionam.

Lembrei desta teoria ao ler sobre a pesquisa que mostra ser comum pais espionarem os perfis de seus filhos no Facebook,com a intenção de protegê-los. Seria esta a melhor forma de garantir-lhes uma segurança no mundo virtual?

O ambiente digital no qual marcamos presença hoje apresenta alguns pontos em comum com o modelo do panóptico: estamos nos tornando visíveis a muitos sem que possamos saber quem e quando nos olham.

A insegurança percebida pelos detentos de Foucault é também percebida pelos pais que,numa ânsia de diminuí-la, sentem-se livres para espionarem os perfis de seus filhos,tal como faria qualquer desconhecido, sem maiores questionamentos a respeito da ética que permeia este comportamento.

Confirmei esta situação através de uma enquete nas minhas redes sociais e realmente a maioria dos pais sente-se no direito de zelar pela segurança de seus pimpolhos agindo desta forma.

Em questão de educação de filhos,o que podemos fazer é comparar experiências e resultados. Não creio que ninguém seja dono da verdade,mesmo porque as infuências culturais,tradições,experiências individuais positivas e negativas, são bastante importantes e diferentes dentro de cada familia.

No caso em questão,porém,creio que vale um paralelo ainda com Foucault:
Como no caso do panóptico, a disciplina virá naturalmente se nossos filhos souberem que existe a possibilidade real de a qualquer momento darmos uma espiada em seus perfis. Eles saberão,no entanto e de antemão, que podem contar com nossa ajuda,mas que não vamos fazer nada escondido deles, sorrateiramente,pois nossa preocupação é legítima e não há por que escondê-la.

Devemos explicar-lhes os riscos de uma presença on line em detalhes,e creio que tenhamos mais resultados se criarmos um ambiente de confiança mútua e não de espionagem em relação às suas páginas nas redes sociais.

No mundo de hoje temos que estar atentos,sim,aos perigos que podem atingí-los via redes sociais, mas antes de tudo temos que deixar claro a eles, para que levem por toda a vida, que mesmo sendo menores (nem vou comentar sobre a “ilegalidade” de menores estarem no Facebook,pois seria muita ingenuidade e perda de tempo) tem direito a serem tratados com transparência e honestidade,pois estes são os princíos que permeiam a vida de seus pais sob quaisquer circunstâncias e aqueles que nós gostaríamos de ver arraigados em suas almas.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Ligia Marques tem uma formação eclética dentro da Universidade de São Paulo (USP) onde se diplomou em Ciências Sociais/Antropologia e Medicina Veterinária. Aliando a prática acadêmica à sua vivência pessoal e familiar bastante exigente percebeu a demanda e criou o primeiro curso de Etiqueta para Crianças e Adolescentes com metodologia própria à idade alcançando grande sucesso. A partir daí desenvolveu treinamentos para adultos e empresas sendo hoje uma referência na área de Etiqueta Corporativa e Marketing Pessoal em todo Brasil. Ampliou sua área de atuação e conhecimentos freqüentando cursos de extensão universitária na ESPM-SP e PUC-SP ministrados por grandes referências na área de Midias Sociais. Hoje aborda com distinção os temas que envolvem a Etiqueta e Comportamento Online. Autora dos livros: Sem Noção (Ed.Matrix -2008). Os Sete Pecados do Mundo Corporativo (Ed. Vozes - 2011) e Etiqueta 3.0 – Atitudes e Comportamento Online e Offline (Ed.Generale 2011). Palestrante em inúmeras empresas por todo o Brasil, na área de Etiqueta Corporativa ,Marketing Pessoal e Gestão em Mídias Sociais. Contatos: Twitter: @ligiamarqs Facebook: www.facebook.com/ligiamarquesetiqueta www.etiqueta3ponto0 Linkedin: http://br.linkedin.com/in/ligiamarquesetiqueta

Lígia Marques

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.