Carreira

Ξ 1 comentário

Retenção de talentos na empresa…Tem idade para isso?

publicado por Luiz Eduardo Improta

Realmente esse tema é uma polêmica, ainda mais quando tratamos de TI. O que fazer quando um funcionário tem seus 50 anos, sempre deu seu “sangue” em seu trabalho  e sempre se destacou nas avaliações mas agora está começando a “custar caro” a empresa. Caro, por que ? Primeiro temos que esclarecer o que custa caro e o que custa barato. O caro, seria apenas o salário ou o custo benefício? Bem, vamos analisar a seguinte situação: um funcionário que tem 50 anos, muito experiente, com excelentes avaliações internas e pelo cliente, mas pelo ponto de vista do financeiro tem um salário alto.

Então a alta Direção diz a palavra mágica para o gestor “demite” e contrataremos um mais barato. Então o gestor mesmo a contragosto o faz. E na maioria das vezes, traz um jovem mais barato, sem muita experiência e o mesmo começa a cometer erros que antes não aconteciam, quebrando “SLAs” de cliente e trazendo multas altíssimas. Então ele é retirado do cliente e o colocado com alguém mais “sênior” para treiná-lo. Então é feito. Só que este profissional “sênior” agora está mais atribulado, fica mais cansado, tem de fazer mais horas extras, perde motivação, pois agora tem mais um cliente, etc. Quanto tempo isso pode durar? Ninguém é insubstituível, não é mesmo. Concordo, mas as coisas podem ser melhores. Lembro que conheci um senhor japonês na década de 90, chamado “Yutaka Yashimizu” e ele me contou que em seu país, as pessoas mais experientes, quando se aposentavam ou por algum motivo perdiam rendimento, mas eram excelentes profissionais, eram convidados a treinar os mais novos. Assim a empresa não perderia a sua identidade e os jovens ficavam cada vez mais preparados para assumir as funções com segurança.

No Brasil, está cultura ainda engatinha, mas algumas empresas já acordaram para esta realidade e o resultado é que a satisfação do cliente se mantém quase que intocada. Logo podemos afirmar que a retenção de talentos, não deve possuir idade, quando o profissional adquiriu uma identidade na empresa, ela deve ser preservada. Grandes empresas premiam os funcionários quando atingem um determinado tempo de casa, mostrando que estão atentos e que reconhecem seu valor, afinal ficar um bom tempo de empresa ( digo mais de 7 anos )  em nossos dias é fato raro. O maior patrimônio de uma empresa não são os processos e tecnologias, mas as pessoas as quais devem ser tratadas com dignidade e respeito social e profissional. Isso baixa a rotatividade da empresa. O funcionário deixa ser um número de matrícula para ser chamado pelo nome pela alta direção. Isso motiva também os mais novos.

Retenção de talentos, é um “dilema” no Brasil. Alguns estudos mostram que no Brasil, os profissionais com mais de 50 anos são os mais propensos a serem demitidos. Concordo, que se a empresa for querer aproveitar todos os desta faixa etária, será outro problema. Mas quando levamos em conta que o percentual de empregados com mais de 50 anos e que possuem mais de 7 anos de empresa, é bem mais baixo e que podem ser aproveitados, não só para instruir mas também em outras funções carentes de experiência. Resumindo: reter talento não deve ter idade e sim compremetimento com seu trabalho.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Sou profissional com mais de 22 anos de experiência desenvolvida em empresas do setor "outsourcing" em TI e Segurança da Informação. Com 2 Pós graduações e 1 MBA na área de TI e diversas Certificações em Segurança e Tecnologia da Informação, dentre elas: COBIT 4.1, ITIL v2 e v3, ISO27002 e CCSA/CCSE. Meu link no "linkedIn": http://br.linkedin.com/in/limprota007

Luiz Eduardo Improta

Comentários

1 Comment

  • Boa tarde Luiz Eduardo,

    Excelente texto e visão de um “problema” que aflige muitos profissionais hoje em dia. A visão de quase todas as empresas de “reter talentos” se faz apenas para novos profissionais que se destacam rapidamente. A vontade da empresa em manter esses profissionais que podem dar a ela mais 30 anos de trabalho, dedicação e $$$ (LUCRO) é enorme, porém quando o mesmo profissional já cumpriu essa tarefa, estando então com seus 50 anos ou mais, a vontade da empresa é bem diferente. Felizmente isso realmente tem mudado, felizes são as empresas que já perceberam isso e tem criado meios de passagem de conhecimento e experiência para seus “novos futuros talentos”. Empresas com essa visão tem enorme vantagem contra as demais e mantém um clima organizacional excelente. Em média um bom profissional fica apenas 6 anos em uma empresa, a rotatividade em busca de novos desafios e em maiores ganhos financeiros é muito grande, mas com o passar dos anos, com a estabilidade financeira adquirida e com a experiência que só a vida profissional pode trazer, o mesmo bom profissional muda seu foco e passa a buscar uma melhor qualidade na relação com a empresa e com seus colegas de trabalho passando a realmente considerar seu local de trabalho como seu segundo lar.

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.