Carreira

Ξ Deixe um comentário

Quando a amizade rompe a barreira da corporação

publicado por Alberto Parada

Quando a amizade rompe a barreira da corporaçãoA vida nas empresas provoca nas pessoas um estado contínuo de stress. A realidade de não poder confiar em ninguém é colocada à prova sempre, todas as técnicas de negociação e controle emocional aprendidas por anos são testadas diariamente.

O duelo periódico com o cliente para, de um lado aumentar o escopo e diminuir os custos e, do outro, para garantir a lucratividade e as facilidades para entregar o projeto, coloca frente a frente dois grandes adversários. As reuniões são duríssimas, as discussões, muitas vezes, beiram o limite do rompimento. Depois de horas de negociações, pressões e algumas ameaças, de todos os lados, o equilíbrio e a sensatez acabam vencendo.

Mais do que um bom negócio para as empresas, o resultado da reunião é uma verdadeira aula de como se pode chegar ao limite de uma discussão dura, porém justa. O aprendizado não fica limitado a arte de negociar. O mais importante é o conhecimento adquirido dos seres humanos envolvidos.

Quanto mais se participa de situações estressantes, seja com os pares, chefes ou clientes, mais se conhece como cada um reage sob pressão, quando são sinceros e quais utilizam técnicas poucos lícitas.

Monta-se, paulatinamente, o quebra-cabeça da personalidade por traz da máscara corporativa de cada um, separando quem é bom e quem não é, quem é confiável e quem não deve ser levado a sério.

À primeira vista pode parecer estranho, mas o resultado desta intensidade de convivência é conhecer mais profunda e detalhadamente a personalidade e o limite das pessoas do convívio profissional.

Achamos que conhecemos os nossos amigos pessoais. Mas lembre-se de quantas amizades de longa data terminaram depois da tentativa frustrada de fazer uma sociedade. Erroneamente acredita-se que romper a barreira do pessoal suportado apenas por afinidades que raramente levaram a relação ao extremo será garantia de sucesso profissional. A prática mostra o contrário.

O que dizer de uma relação que começa no extremo do stress, onde ambos conhecem todos os limites alheios, e rompe a barreira do convívio corporativo invadindo a vida pessoal?

Não se trata de convites para festas de aniversários dos filhos nem de churrasco de confraternização. É levar o respeito e admiração profissional mutua para uma relação de amizade verdadeira.

Os avôs já diziam que amigos de verdade não enchem os dedos das mãos, Quantos amigos de verdade você tem e quantos destes foram feitos no ambiente de trabalho?

Se você tivesse que ligar para alguém em um momento muito difícil da sua vida e tivesse que expor seus limites, para qual amigo você ligaria?

Com certeza para aquele que sabe dos seus limites, conhece de verdade suas piores fraquezas, que, como poucos, sabe descrever suas maiores virtudes e, sem titubear nem julgar, simplesmente esticará a mão nos seus momentos mais difíceis, porque aprendeu, da mesma maneira que você, o valor de uma mão esticada quando mais se precisa dela.

 

[Crédito da Imagem: Amizade – ShutterStock]

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Fundador do : descomplicandocarreiras.com.br

Alberto Parada

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.