Mercado

Ξ 1 comentário

Os benefícios do outsourcing

publicado por Paula Almeida Ribeiro

Aumentar o foco no core business e eliminar preocupações com contratação e gestão pessoal especializada em operações de sistemas, suporte e infraestrutura é questão primordial de muitas empresas. Terceirizar pode ser a melhor solução.

O Account Manager da Atos, Rogério Sampaio, fala que primeiramente a empresa deve levar em consideração fatores como qual é a importância de TI para seu negócio; o que pode ser terceirizado, o que vale a pena e o quanto isso significa na operação.

Em questão de segurança da informação, Sampaio explica que deve se tomar muito cuidado. “A empresa provedora precisa garantir a segurança e a confidencialidade dos dados e a empresa contratante precisa acreditar nisso”. Quando se opta pela terceirização, a empresa contratante terá a garantia da empresa contratada que será atendida por um profissional especializado e capaz.

O maior benefício para uma empresa terceirizar sua área de TI é poder focar no próprio segmento de mercado sem se preocupar com área de tecnologia. A empresa fica isenta de encargos trabalhistas e pode dispor de profissionais sempre que possível para resolver seus problemas. “Afinal, existe um contrato para garantir o atendimento dentro do prazo estipulado (SLA) e a qualidade de serviços prestados”, explica ele.

Na relação custo-benefício, deve ser medido o objetivo final do cliente e não apenas em valores financeiros. Seja através de novas tecnologias trazidas pelo provedor, pela redução de custos obtida, pela customização de processos internos ou pelo desenvolvimento/customização de softwares, a atividade do cliente deve ser sempre impulsionada para frente.

Sampaio arrisca dizendo que “a terceirização da infraestrutura ainda está no começo, porém com o surgimento do cloud computing (e com tudo o que envolve) este é o passo final do processo de entrega da área de TI para quem entende realmente de TI”.

“O mais importante é que fique claro que terceirizar uma área de TI significa que a empresa provedora (contratada) precisa se comportar como uma parceira de negócios e não apenas como uma empresa fornecedora de serviços. Isto é o que irá tornar a parceria um sucesso”, conclui Sampaio.

Autor

Estudante do terceiro ano de Jornalismo na Universidade Católica de Santos. Atuo na área de assessoria de comunicação para a PRIMEHOST do Brasil. Empresa especialista em serviços de Data Center que atua especificamente nas camadas IaaS e SaaS para ambientes corporativos de alta disponibilidade. Saiba mais sobre a empresa e os serviços oferecidos no site www.primehost.com.br

Paula Almeida Ribeiro

Comentários

1 Comment

  • Olá , muito boa a matéria mas acho que esqueceram de detalhar a questão da terceirização, será que as empresas que prestam este serviço estão garantindo a qualidade do serviço prestado? Será que, com a demanda de profissionais é possível garantir que o mesmo profissional que está hoje na empresa tem a mesma qualidade do próximo.
    Estas questões deveriam ser discutidas, procurar qualidade e eficiência pode ser as vezes uma armadilha.

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade



Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.