Carreira

Ξ Deixe um comentário

Ética: Quais os valores de um Gerente de Projetos

publicado por Emmanuel Carvalho

Ética: Quais os valores de um Gerente de ProjetosVivemos um período de eleições. Notícias e escândalos sempre vem à tona em uma época em que, na minha visão pessoal, o mais importante seria exaltar as qualidades e valores de cada candidato, assim como seu plano de governo. O Brasil não é um país onde a ética seja seguida ou discutida com exatidão, pois há barreiras culturais enraizadas tão profundamente que fica difícil identificar as atitudes não éticas. Tendo isso em vista, faço duas perguntas:

  • Como Gerente de Projetos, quais são os seus valores?
  • Você é um Gerente de Projetos ético?

O dicionário Michaelis define “Ética” como um “Conjunto de princípios morais que se devem observar no exercício de uma profissão“. O PMI, talvez a instituição de maior prestígio atualmente em gerenciamento de projetos, define 4 valores principais em seu Código de Ética e Conduta Profissional: ResponsabilidadeRespeitoEquidade e Honestidade.

  • Responsabilidade é ter ciência e responder por suas decisões. Saber do que somos capazes e sermos idôneos quanto às nossas habilidades. Um Gerente de Projetos deve ter habilidades suficientes para gerir qualquer tipo de projeto, mas um Gerente de Projetos de TI saberia atuar num projeto de pesquisa de medicamentos? Talvez. Cabe ao profissional saber suas limitações e ser idôneo quanto a elas. Proteger informações sigilosas, cumprir compromissos que foram assumidos, não participar de ações ou procedimentos ilegais também fazem parte da nossa responsabilidade.
  • Respeito é o nosso dever de demonstrar uma elevada consideração por nós mesmos, por outras pessoas e pelos recursos confiados a nós, sendo esses recursos: humanos, financeiros ou de qualquer outro tipo. Agir de forma profissional com todos, entender o ponto de vista dos stakeholders e resolver conflitos diretamente com as partes envolvidas neles, também são questões de respeito. Agir em desacordo com a cultura dos envolvidos em um projeto também pode ser considerado desrespeito, mesmo que em outras culturas essa ação não seja vista como tal. Chamar um Indiano Hindu para uma churrascaria para comemorar o sucesso de uma entrega, por exemplo, não seria de bom tom. 🙂
  • Equidade é o nosso dever de tomar decisões e agir de forma imparcial e objetiva. Equidade é manter a nossa neutralidade nas questões, sempre mantendo um senso de justiça, agindo sem favoritismos, nepotismo ou discriminação. É também tomar decisões levando em conta os interesses de todas as partes interessadas, sabendo dosar com imparcialidade e objetividade e chegar a um denominador comum. Evitar conflitos de interesses, fiscalizar para que não ocorram e, caso existam, ser proativo e ajudar a resolvê-los também são questões éticas. Prover de forma clara e objetiva as informações sobre o projeto a todos que tem autorização para essas informações, inclusive durante contratações, não favorecendo nenhum dos concorrentes durante um processo de licitação também são regidas por esse princípio.
  • Honestidade é o nosso dever com verdade e com agir de maneira verdadeira tanto em nossas comunicações como em nossa conduta. Informar as partes interessadas sobre os detalhes do projeto de maneira clara e objetiva, com números reais e métricas confiáveis. Aos olhos de muitos, dizer que um projeto está atrasado poderia ser um “tiro no pé”, mas o nosso dever quanto à ética é o de informar as partes interessadas sobre o atraso, assim como as ações corretivas que serão tomadas, junto com um novo prazo correto e coerente, dando insumos suficientes para as decisões que necessitam da aprovação do conjunto. Qualquer comportamento, declaração ou informação (falsa, incorreta ou incompleta) que tenha como objetivo enganar outras pessoas está em desacordo com a honestidade.

Em muitos aspectos esses valores se confundem e em muitas questões não saberemos a quais deles estaremos nos sujeitando, mas o que importa é que temos uma base a seguir, na qual podemos confiar e formar nosso caráter como profissionais e pessoas. Não se deixe levar pelo chamado “jeitinho brasileiro” ou “mas todo mundo faz assim”. É possível participar de projetos bem sucedidos sem artifícios ou maquiagem, de maneira ética e correta.

[Crédito da Imagem: Gerente de Projetos – ShutterStock]

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Formado em Gestão de Tecnologia da Informação e Certificado em Gerenciamento de Projetos pelo PMI (Project Management Professional - PMP®), trabalhando desde 2001 em Tecnologia da Informação com Desenvolvimento de Softwares e Soluções em Business Intelligence. Também é Fotógrafo Profissional e atua em eventos sociais.

Emmanuel Carvalho

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.