Posts by Tag: tablet»

Mobile

Planejando e projetando sua aplicação para o mundo móvel

Planejando e projetando sua aplicação para o mundo móvel

posted by Dilson Alkmim

A onda da mobilidade a que estamos assistindo atingiu o mundo corporativo como um tsunami de desafios e novas possibilidades. No Brasil, 36% dos celulares ativos são smartphones. Um em cada quatro habitantes acessam internet pelo celular e 82% dos donos desses aparelhos os utilizam no trabalho. A computação está no bolso dos usuários. Sua ubiquidade e recursos inovadores exigem que as empresas de software repensem a forma como entregam valor a esses usuários. Mas, para isso, é preciso que seja feito um planejamento de como levar seus sistemas para o mundo móvel. Não basta apenas produzir novas versões de suas aplicações, é necessário repensar conteúdo e forma: o que será entregue e como essa entrega será arquitetada.

Mobile

O Amor nos tempos do Capitalismo Informacional

O Amor nos tempos do Capitalismo Informacional

posted by Lígia Marques

Esta semana um assunto apareceu na mídia de forma ainda discreta, mas já revelando o seu alto potencial polêmico: o surgimento do aplicativo Bang with Friends.

Para quem ainda não sabe o que é, explico rapidamente: este aplicativo identifica e coloca em contato de forma rápida e eficiente pessoas que já se conhecem pelas redes sociais e se interessam em manter entre si apenas um contato sexual no mundo real. Em resumo: sexo casual entre amigos de redes sociais. Só quem fica sabendo dessas intenções são os próprios envolvidos após receberem um e-mail confirmando que houve também interesse do parceiro escolhido. Simples assim, em 15 dias pós-lançamento o aplicativo já obteve a adesão de 500mil usuários.

Mobile

BYOD: como as empresas devem avaliar e se precaver

BYOD: como as empresas devem avaliar e se precaver

posted by João Moretti

Você deve estar pensando. Mais um sigla para a nossa sopa de letrinhas, não é mesmo? Bom, o BYOD significa em inglês “Bring Your Own Device”, que em português fica “Traga seu próprio dispositivo”, e é uma tendência cada vez mais presente no ambiente corporativo. Só que como tudo na vida tem vantagens e desvantagens, as empresas já começam a avaliar isso no seu dia a dia e querem se precaver de problemas.

Mercado

Aplicativos para celulares – muito além do facebook

Aplicativos para celulares – muito além do facebook

posted by Caio Azevedo

Celulares inteligentes, os chamados smartphones, há tempos deixaram de ser uteis apenas para efetuar e receber ligações ou mesmo tão somente para acessar redes sociais. Seu poder computacional os transforma em verdadeiros computadores de mão,e cabe ao universo dos aplicativos fazer com que transformemos nossos aparelhos portáteis em dispositivos de fato “smarts”.

Aos profissionais de TI, estamos diante de um mercado enorme, com grandes desafios e mudanças de paradigma, vide excelente artigo do nosso colega Cezar Taurion, intitulado APPS: MONETIZAÇÃO.

Mobile

Apps: Monetização

Apps: Monetização

posted by Cezar Taurion

Há alguns dias participei de uma mesa redonda em uma universidade com diversos jovens empreendedores, que estavam muito motivados a criar negócios baseados em computação móvel, escrevendo apps. Aparentemente a fórmula para ganhar dinheiro com apps é simples: ter uma boa idéia, saberalguma linguagem de programação, como Java, desenvolver o aplicativo, colocá-lo na AppStore ou PlayStore, definir um preço baratinho, como 99 centavos de dólar e, pronto, agora é só esperar os milhões de downloads e aproveitar a grana. Afinal, segundo o Gartner, em 2011 as vendas mundiais de apps representaram 15 bilhões de dólares e deverá chegar a 52 bilhões em 2015.

Infelizmente a vida real não é tão simples assim. A imensa maioria dos aplicativos é grátis e aqueles que cobram tem que pagar uma comissão à loja virtual. Em média a loja fica com 30% da receita, e o desenvolvedor com 70%. O próprio Gartner estima que mais de 85% dos downloads feitos nas lojas virtuais são de aplicativos gratuitos. Uma pesquisa feita em eados de 2011 em cima da AppStore mostrou que as então 370.000 apps existentes tinham sido criados por 78.000 desenvolvedores (individuais ou
pequenas empresas), com um preço médio de US$ 2,52. E da lista dos top 100 mais vendidos, 43 eram games. Nenhum app vendido tinha tornado seu desenvolvedor milionário…A pesquisa mostrou também que 68% dos apps que não eram jogos, tinham preço US$ 0,99 ou US$ 1,99. O máximo de ganhos médio por aplicativo não passava dos 27 mil dólares. O relatório pode ser visto em http://gigaom.com/apple/the-average-ios-app-publisher- isnt-making-much-money/ .

Portanto, a discussão na mesa redonda voltou-se a questão de como gerar receita neste, aparentemente, promissor mundo dos apps.
Várias questões foram debatidas. Uma delas é básica: precificar o aplicativo.

Marketing & Tecnologia

Tornar a empresa móvel é obrigação

Tornar a empresa móvel é obrigação

posted by Thiago Assis

Agilidade, enriquecer a comunicação e prover o acesso a dados e informações relevantes são requisitos cada vez mais imprescindíveis para as empresas possam.

Mobile

A era dos Tablets

A era dos Tablets

posted by Mariano Gordinho

Quando comecei a escrever esse texto, que vai ser publicado em nosso blog essa semana, a primeira coisa que me veio a mente foi o significado da palavra Tablet.

Marketing & Tecnologia

Tablets: Microsoft x Apple

Tablets: Microsoft x Apple

posted by Leonardo Itao

Finalmente após 37 anos de empresa a Microsoft irá oferecer nada mais e nada menos que um … computador !

É evidente que essa decisão foi tomada visando a futura tendência do mercado global. Após a compra da Motorola Mobility pela Google (reforçando o O.S Android) e o lançamento do novo Ipad (potencializando a marca Apple), observamos que a Microsoft está ficando muito atrás no quesito ‘Inovação’, uma das principais vertentes do nosso mundo tecnológico.

Há pouco tempo a Microsoft disponibilizou seu novo sistema operacional (Windows 8) sendo executado em tablets da Samsung, ASUS e HP, talvez uma simples técnica de market para evidenciar que seu produto é totalmente compativel com os tablets com pré.req necessário do mercado.

Porém contra fatos não há argumentos, a Microsoft ainda é lider disparada no quesito Sistema Operacional e este lucro explicitamente está ligado a seus ‘parceiros’, fabricantes de hardware (a.k.a computadores domésticos/corporativos e servidores).

De qualquer forma a Microsoft possui um histórico mediano no quesito hardware. Em 2001 a empresa oficializou o lançamento do Xbox (console de videogame) no mercado americano, tornando-se um aparelho neutro, pois quando comparado com o Playstation II da Sony, perdeu totalmente a direção no mercado de games. Após alguns anos, em meados de 2005 a Microsoft lançou o Zune, o que deveria ser classificado como ‘Media Player portátil’ que acabou tornando-se seu grande fracasso.

Cloud Computing

Como integrar mobilidade na estratégia de TI

Como integrar mobilidade na estratégia de TI

posted by Cezar Taurion

Cenário: sala de reunião de uma grande empresa e o assunto era como integrar mobilidade na estratégia de TI que eles estavam desenhando. Tema bem quente!

Mercado

Informação em mobile: Pattern para aumentar o numero de acessos

Informação em mobile: Pattern para aumentar o numero de acessos

posted by Leonardo Marteleto

Com o avanço da tecnologia, e a crescente utilização dos dispositivos móveis para acesso a internet, empresas intensificaram a oferta de produtos a esse nicho de mercado, onde se tem um novo canal de comunicação B2P (Business to Person).

No entanto, não se pode ater somente a um determinado publico, ou seja, aqueles que utilizam os dispositivos moveis para acessar às redes sociais, trocar mensagens, baixar aplicativos para uso com fins de entretenimento, pois existe uma grande vertente que está associada à aplicações corporativas, para auxiliar em resolução de dúvidas ou orientação, mapas, marketing de produtos, dentre outros.

Com esse publico bem diversificado, observa-se uma difusão e disseminação de conteúdos para dispositivos móveis. Jornais, bancos, provedores de e-mails, varejistas, a cada dia aumentam seu marketshare para tais dispositivos, porém, em alguns casos, sem nenhum controle de crescimento ou planejamento da forma como vai ser publicado tal conteúdo.

Passo algumas horas do dia acessando conteúdos através do celular, e o que estou vendo é que alguns canais de informação não possuem uma interface customizada a tal dispositivo. Isso é, o mesmo look and feel que é mostrado para uma monitor de 19” também é apresentado para uma tela de 4”, sem falar nas imagens que são descarregadas sem nenhum tipo de filtro para o celular. Por mais que avancemos na rede móvel,com aumento de memória dos dispositivos móveis, facilidade de interação, ainda temos problemas de sinal de agente de externo estabilizado, onde depende da localização onde se encontra o aparelho, dificultando downloads dos conteúdos estáticos.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.