Gerência de Projetos

Ξ 1 comentário

Projetos, Projetos e mais Projetos

publicado por Silvio Bogsan

Notaram minha ausência por aqui ? Espero que sim !

Eu andei bastante ocupado com uma série de projetos no trabalho que acabaram “encavalando”. Parte por coincidência, parte por problemas e atrasos e parte pelo dinamismo do negócio. As empresas hoje precisam cada vez mais velocidade de seus times de Tecnologia. Na minha opinião, se a área de Tecnologia não consegue imprimir um ritmo bom, desejado pelo negócio, é quando o “C-level” começa considerar a hipótese de terceirização, offshore ou outras atitudes semelhantes.

Uma parcela do problema fica na responsabilidade da própria área de Tecnologia das empresas. Muitas vezes, a área não se preocupa em gerenciar seus projetos. Não mantém um controle do Portfolio de Projetos da área e nem mesmo se preocupa com o “pool” de recursos.

Esta é a linguagem do Gerenciamento de Projetos. Uma área que ganhou muita importância mas tem sido relativamente negligenciada pelas empresas. Nesse ponto, vejo que as grandes consultorias de Tecnologia possuem áreas inteiras organizadas em função dos porjetos dos seus clientes. Uma vantagem competitiva que favorece a decisão de terceirização.

Não estou aqui defendendo o modelo de terceirização, nem o modelo de internalização. Apenas constatando vantagens e desvantagens de cada forma de trabalho. O que eu tenho observado é as empresas sem know-how em gerenciamento de projetos sofrerem dos males já bem conhecidos na área de Tecnologia. Atrasos nas entregas, problemas com a qualidade do que é entregue e preços fora de controle. Estes são os fatores do tripé do gerenciamento de projetos: prazo, custo e qualidade. Como todo tripé, chutar um dos “pés” faz com que o projeto caia, falhando em cumprir com o que a empresa esperava. Mais frustração.

E isso não depende do tamanho da empresa. Qualquer projeto é afetado diretamente por isso. E com o mercado em ebulição, mais projetos precisam ser realizados e em menos tempo. Assim, retro-alimentamos o problema. Nós da área de Tecnologia devemos ser os primeiros a assinalar esta deficiência para o CFO. E a partir daí, traçar um plano de ação para resolver o problema pode ser estabelecido. Ou com ajuda de consultorias, ou desenvolvendo o conhecimento internamente, ou ainda terceirizando os projetos para empresas de serviço. O que não pode acontecer é a área de Tecnologia achar que a vida é assim mesmo e que problemas deveriam ser sempre esperados em projetos. A norma é que um projeto tenha sucesso. E não o contrário. Pensem nisso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Graduação em Administração de Empresas, Especialização em Análise de Sistemas, Pós-graduação em Qualidade do Software, Mestrado em E-Business, MBA em Gerenciamento de Projetos. São 25 anos dedicados à area de Tecnologia, atuando como gerente, analista, programador, especialista técnico e professor. Vivência dentro e fora do país, em grandes, médias e pequenas empresas. Trago muita vontade de trocar experiências. Tenho 41 anos, sou casado, meus 2 filhos adolescentes são o Projeto mais importante da minha vida. Coleciono Jogos de Tabuleiro, leio muito. Quero fazer um doutorado em breve.

Silvio Bogsan

Comentários

1 Comment

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.