Carreira

Ξ Deixe um comentário

Novo de novo?

publicado por Ricardo Antoniassi

Novo de novo?Quando o assunto é novidade tecnológica, basta parar um minuto para respirar que a gente já fica ultrapassado. Talvez enquanto estou escrevendo ou enquanto você está lendo, algum novo modelo de alguma nova coisa está sendo lançado. Recentemente, escrevi sobre tornar-se obsoleto. Mas nesse texto, quero dar um outro foco à questão da novidade.

Mas olha como as coisas são engraçadas na vida da gente. Tenho certeza que a situação que vou relatar a seguir já aconteceu com você. A gente compra um celular novo e com o passar do tempo, nos acostumamos com a utilização, as funcionalidades, as cores, os macetes, enfim, dominamos o aparelho. Aí ele começa a ficar lento, trava e desesperadamente mudamos de aparelho. Passados dez minutos da alegria pelo novo aparelho, exclamamos: Porcaria de aparelho novo, está tudo diferente, que saudade do outro aparelho! E por alguns dias, lidamos com essa tensão entre o amor e o ódio. Praticamente igual àquelas vinhetas de novelas mexicanas: Novo aparelho de celular, uma relação de amor e ódio. Não perca o próximo capítulo…

Repetimos esse comportamento em quase todas as aquisições que fazemos, desde um carro novo até mudanças de maior impacto, como mudar de residência.

E quando o novo bate em nossa porta da carreira? Aí as coisas complicam um pouco mais.

Recentemente, passei por uma situação dessas. Atuando por anos como líder e depois como gerente de projetos na área de Business Intelligence e com projetos SAP, me deparei com um novo desafio, gerenciar uma equipe e um novo projeto em uma área técnica que não tenho domínio. De imediato, os pensamentos foram esses: “Meus Deus, e agora?”, “Será que sou capaz?”. Encarei o desafio. Com o passar do tempo, os pensamentos mudaram… pra pior… “Porcaria, se fosse com BI, eu saberia resolver de olhos fechados…”, “Ah que saudades do velho ranzinza alemão, o SAP!”. Divertido se não fosse triste!

Mas, em meio a esses conflitos, resolvi mudar a pergunta para: “E por que não?”. E por que não dar uma renovada nos desafios e enfrentar um novo estilo de gerenciamento? E por que não estudar um pouco mais, mesmo em um momento de maturidade profissional, e descobrir que posso agregar meus conhecimentos e minha equipe? E por que não vencer o medo, a dúvida, o cansaço e dar um passo “de fé” na carreira, para alcançar aquilo que estou buscando?
Posso afirmar que foi a melhor decisão que tomei e o reflexo foi imediato em muitos aspectos. Passei a me sentir realizado com o trabalho, a qualidade das entregas foi ao ápice, a motivação da equipe melhorou muito e a percepção do cliente reforçou esse posicionamento. E meus objetivos profissionais que já estão mapeados mantiveram-se intactos e no curso esperado.

Meu desafio para cada um que está lendo é que reflita em que fase da carreira você está. Está se sentindo como um celular velho, mas confortável com as funções, mesmo que lento? Está se sentindo cansado do velho, mas com medo do novo? Está se sentindo tentado ao novo, mas sem a disposição de pagar o preço da mudança? Então, faça o exercício da reflexão e se abra para essa renovação, mapeie quais são as oportunidades dentro da sua própria empresa e da sua carreira, observe o mercado e as tendências, levante os riscos e os impactos de uma mudança e busque essa mudança. Não se permita envelhecer. O novo é bom! Mudanças são boas! Transformação faz bem!

E o mais importante: aja!

Boa sorte e sucesso diante do novo. Vale a pena.

Abraços,

Ricardo Antoniassi, um profissional apaixonado pelo que faz!

Revisão do texto por Gustavo Gomes – SP

[Crédito da Imagem: Novo – ShutterStock]

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Ricardo Antoniassi, formado em Sistemas de Informação pela Universidade Paulista e MBA em Estratégia Empresarial pela Business School São Paulo – BSP, atua com gestão de projetos voltados para a execução da estratégia dos negócios e possui experiência na implantação de escritórios de gerenciamento de projetos – PMO, através do desenvolvimento e aplicação de metodologias de mercado – PMI, Scrum, ASAP, entre outras. Atuou em empresas nacionais e multinacionais de grande porte, principalmente em projetos de Business Intelligence, gerando indicadores de qualidade, Balanced Scorecard, Dashboards executivos e apoio à tomada de decisão.

Ricardo Antoniassi

Comentários

You must be logged in to post a comment.

botão emergência ransomware (1)

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.