Tecnologia Social

Ξ 1 comentário

Conheça a nova rede colaborativa da Petrobras

publicado por Flávio Mendes

Petrobras 60 anos

Como integrar mais de 130 mil empregados e colaboradores, localizados em locais tão diversos como uma plataforma de exploração no meio do oceano Atlântico, uma base no coração da Amazônia ou um escritório em pleno centro da cidade, no Rio de Janeiro? Como garantir que a estratégia de uma empresa presente em mais de 25 países alcance a todos, garantindo uma gestão transparente e ágil? Como permitir que engenheiros, geólogos, pesquisadores e técnicos colaborem no desenvolvimento de novas tecnologias? Contando com mais de 270 plataformas, 18 refinarias e mais de 32 mil quilômetros de dutos, a Petrobras é, hoje, a sétima maior empresa de energia do mundo. As descobertas dos campos de óleo do pré-sal farão com que a empresa cresça ainda mais nos próximos anos. Para suportar este e outros desafios, a Petrobras desenvolveu, com tecnologia IBM, um projeto único e extremamente ambicioso. Batizado de Conecte, o novo ambiente de colaboração da Petrobras é do tamanho da empresa e faz parte do plano de ter um ambiente de trabalho atualizado, dinâmico e extremamente flexível.

Para chegar ao atual patamar foram quatro anos de pesquisa, testes e avaliações. As principais soluções do mercado foram cuidadosamente analisadas tendo em vista o tamanho, a complexidade e as necessidades da empresa. No final, o IBM Connections foi selecionado como a plataforma sobre a qual a Rede Colaborativa da Petrobras seria desenvolvida. Neste post, compartilho as principais lições deste projeto.

Caso de Uso

Um projeto de Social Business deve ser suportado por casos de uso diretamente ligados ao negócio da empresa. Ao longo dos últimos anos, nos projetos em que tenho participado, as principais áreas demandantes deste tipo de solução são Comunicações, Marketing, Pesquisa e Desenvolvimento, e Recursos Humanos. No caso da Petrobras, a liderança coube à Comunicação Institucional, que buscava uma plataforma sólida para tornar a comunicação interna mais ágil, transparente, humana, colaborativa e dialógica. Ampliar a comunicação interna, facilitar a colaboração e a troca de experiência entre profissionais de áreas distintas, disseminar conhecimentos técnicos e debate a inovação no desenvolvimento de novas tecnologias são apenas alguns dos objetivos deste projeto.

O projeto foi totalmente liderado pela Petrobras e acompanhado por uma equipe multidisciplinar, composta por membros das áreas de Comunicação e de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Com reuniões semanais, a equipe da Petrobras, com o auxílio da IBM, estudava cada passo, cada detalhe da implementação, sempre pensando em seu público alvo, a força de trabalho.

Piloto

Depois da escolha da tecnologia, ao longo de um ano, a equipe planejou como seria a implementação do projeto. Para validar este trabalho foi realizado um Projeto Piloto que durou três meses, no final de 2012. A escolha dos participantes foi bastante cuidadosa. Buscou-se reunir profissionais de diversas áreas da empresa, de forma que as mais distintas atividades estivessem representadas. Desta forma, participaram do piloto cerca de 1300 pessoas que se encontravam em localidades diferentes e com missões distintas. Ao término do piloto, foram investidos mais alguns meses para analisar o comportamento e tirar lições a serem aplicadas diretamente ao projeto.

Adoção

Um dos principais cuidados do time do projeto foi com relação à adoção da rede de colaboração. A Petrobras tem profissionais de várias categorias diferentes, sendo uma grande parte com alta especialização. São engenheiros, geólogos, administradores, economistas, profissionais de comunicação e médicos, apenas para mencionar alguns. Cada um deles tem características e necessidades distintas. Foram investidas muitas horas em discussões com especialistas globais da IBM sobre técnicas de adoção. A idéia principal foi garantir que um plano fosse construido para garantir que a rede de colaboração pudesse agregar valor para cada participante. Para suportar o processo, várias inciativas foram tomadas como, por exemplo, a produção de um pequeno vídeo explicando os objetivos da rede. Também foi lançado o Manual de Uso dos Meios Digitais, destinado a orientar a força de trabalho sobre a atuação em ambientes digitais dentro e fora da companhia.

Liderança

Liderança executiva foi um capítulo à parte. Na IBM, nossa CEO, Jinny Rommetty, mantém um blog interno e se comunica com a força de trabalho através de nossa rede interna. No caso da Petrobras, a presidente, Sra. Graça Foster, enviou uma mensagem para todos os funcionários, em seu programa interno, chamando a atenção para a rede, antes da data em que ela entrou em produção. Desta forma, ficou claro para todos que esta não era simplesmente mais uma iniciativa isolada e, sim, um programa corporativo, um novo ambiente para colaboração.

Go Live

Finalmente, depois de longos meses, chegou a data do Go Live. A equipe toda estava de prontidão acompanhando, no início de setembro, a entrada em produção do “Conecte”. E não poderia ter ocorrido de melhor forma, sem sustos ou solavancos, em menos de dois meses mais de 35 mil pessoas da companhia já participam ativamente da rede criando comunidades de trabalho, compartilhando arquivos e experiências.

Acompanhamento e Próximos Passos

Petrobras 60 anos 2Durante os próximos meses um acompanhamento criterioso será feito. Uma rodada de health check e mais uma de adoção já estão previstas. Além disso, outros sistemas serão integrados com o Conecte para aumentar ainda mais a colaboração interna.

Os 60 anos recém completados pela Petrobras foram um marco para a empresa, para a indústria nacional e para o Brasil. Esta empresa, que tanto orgulho dá para todos nós, se rejuvenesce e entra no clube das grandes empresa globais que utilizam uma rede de colaboração para incrementar a cooperação com o objetivo final de ser uma empresa mais ágil, transparente e com um maior comprometimento dos empregadose colaboradores.

[Crédito da Imagem: Social Business – ShutterStock]

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Autor

Sou formado em Matemática / Informática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e tenho pós-graduação pela Faculdade de Economia e Administração da própria Universidade, além de pós no IBMEC-RJ e na Fundação Dom Cabral, de Belo Horizonte/Nova Lima. Trabalho na IBM há 19 anos dos quais 17 na área de Software, mais especificamente em Soluções de Colaboração. Nos últimos anos, especializei-me em Portais e em Redes Sociais. Participei de projetos na área de Colaboração em clientes das mais variadas indústrias e portes como, por exemplo, Petrobras, Vale, Embratel, Oi, Furnas, BNDES e SICOOB. Em todos eles tive a oportunidade de participar de equipes multidisciplinares. Também tive o previlégio de trabalhar com profissionais do mais alto nível, tanto técnicos quanto executivos. Atualmente sou líder para a América Latina para projetos envolvendo Portais, Colaboração e Redes Sociais. Sou um "power user" de soluções de Redes Sociais, por meio das quais mantenho contatos, agendo compromissos, participo de reuniões virtuais e faço palestras, dentre inúmeras outras atividades.

Flávio Mendes

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade


Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes