Carreira

Ξ 3 comentários

Vai uma certificação ai???

publicado por Roberto Queiróz

O que estamos assistindo “ao vivo” no mundo de TI ultimamente é algo preocupante e estarrecedor!
Empresas que contratam algumas consultorias estão sendo enganadas.

Produtoras de softwares, tais como : Oracle e Microsoft estão sendo lesadas na medida em que certificam como “Partner” empresas cujos profissionais são “certificados”, porém na verdade os famosos TK´s estão sendo disseminados dentro de algumas empresas de consultorias no intuito de enganar o cliente e lesar os produtores de softwares.

Digo lesar porque a empresa tem o seu representante, no caso a consultoria, como uma fonte de profissionais qualificados, no mínimo problema em que um “profissional qualificado” deste é designado para resolver uma determinada situação e não consegue, o software é qualificado como “difícil e inapropriado” na medida em que um “profissional qualificado, certificado e com experiência” não conseguiu resolver tal situação.

Por outro lado, as consultorias que adotam esse modelo de certificar profissionais desta maneira tiram oportunidades daquele bom profissional que, por qualquer situação, não tem condições financeiras de se certificar honestamente e com capacidade.

Dias desses conheci uma pessoa. Ele tem no seu currículo um invejável cartel de certificações, mais de 20! Outro amigo deste está quase lá, 12 certificações.

Esse número de certificações, não generalizando, é claro, mas é no mínimo suspeito na medida em que esses profissionais não atua diretamente na área, apenas “estuda muito, é curioso e pimba!” tira a certificação em institutos consagrados como Pearsonvue e Prometric!.

Colega, você que está lendo e não tem tantas certificações, assim como eu, não se preocupe!
Como diz o ditado : Quantidade não representa qualidade.

Gerentes e diretores de T.I. que lêem este artigo, não ajude a proliferar a “prostituição da T.I.”, se certifique antes de contratar empresas aplicando testes práticos, conversas técnicas profundas, não se deixe enganar e não ajude a área da qual você é um representante e responsável se tornar volúvel.

Profissionais que tem certificações falsas : Não se engane, não engane as empresas, um dia “a casa pode cair”. Mais vale a honestidade e sinceridade do que a picaretagem explicita.

Profissionais corretos: Continuemos na luta, vencendo cada obstáculo com honestidade, assim a nossa carreira será inconfundível.

Empresas de softwares: Cuidado, o seu parceiro de negócio pode estar te enganando e maculando o seu produto no mercado!

É isso ai!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Autor

É formado em Ciência da Computação pela Faculdade SPEI – PR com Pós-Graduação em Administração de Banco de Dados e MBA em Gestão Estratégica de Negócios, pela FIA-SP. Com certificações Oracle (OCP), Oracle Exadata 11g Certified Implementation Specialist, Oracle 11g Service Oriented Architecture 11g Sales Specialist Assessment e Oracle 11g Service Oriented Architecture Specialist 11g Support Specialist Assessment. Como consultor de banco de dados Oracle, tem trabalhos desenvolvidos em grandes empresas, entre elas: Ágora Investimentos, Carrefour Brasil, Deutsche Bank, Embratel, Exxon Mobil (Texas), Fly Emirates (Dubai, EAU), Gol Linhas Inteligentes, GVT Telecom, HSBC GLT, Interchange, Oi Telecom, Petrobras, Oracle do Brasil, Rede Globo, TAM, Vivo - SP e Vodafone (Alemanha).

Roberto Queiróz

Comentários

3 Comments

  • Estimado Queiróz! Satisfação em acompanhar mais uma das tuas colocações que nada mais nada menos reflete com transparência a péssima realidade que nos acompanha. Trabalho na área comercial, onde me identifico com o mundo Oracle. Certamente que trabalhei suado para conseguir estas certificações para algumas disciplinas das quais muitas busco oferecer à carteira de clientes que atendo. Vejo como péssimo, no meu caso, por dois motivos: 1. os clientes já perderam o parâmetro de nível destes profissionais para as contratações e 2. Profissionais como em nosso caso lutam dia-a-dia pelo crescimento e pela profissionalização mútua, acaba sendo nivelado como: “… Será que este cara entrega bem aquilo que se propõe …” – Uma verdadeira guera de nervos…Acredito que a única forma seria que as brands (marcas) buscassem qualificar e certificar os profissionais e as empresas num formato mais profissional. Sem isso, continuaremos no mesmo desvio de conduta que massacra e contamina o nosso mercado. Um abraço e espero ter contribuído um pouco com o seu sempre bem-vindo “post”.

  • Infelizmente, todas as empresas parceiras de fabricantes adotam a certificação em massa como uma prática comum. Não há muitas exceções. Você precisa “entregar” um número de certificações para sua empresa, para que ela se mantenha gold, platinum, e por aí vai. Isso não é só no mercado brasileiro, se você fizer uma pesquisa nesses sites de dump (TKs), vai ver pessoas que trabalham em consultoria no mundo afora, como: USA, Alemanha, India, são só alguns exemplos. Isso não é de hoje e não vejo mudança a vista. Sendo que as vezes você se vê forçado a realizar uma prova por semana. Os fabricantes e empresas parceiras sabem muito bem disso. A mudança deveria vir de cima também, creio que mudando o método de realização da prova, melhore um pouco o nível do profissional.

    • Pois é bem isto mesmo, caro Tiago.

      Creio que o caso seja bem mais contundente do que podemos imaginar e os impactos são: Falhas nas entregas (quando há!), desqualificação do bom profissional pois a certificação deste também ficará em dúvida. É muito mais sério do que possamos imaginar.

      Obrigado pela sua colocação e um abraço,

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade



Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes