Carreira

Ξ 32 comentários

TI na Austrália: um Mar de Oportunidades

publicado por José Eduardo Slompo

Desembarquei em Sydney dia 22/02/2011, uma Terça-Feira, e no dia seguinte, 23/02/2011, já estava empregado. Como consegui isso?

A história é longa, mas pode ser resumida em três palavras: visto de residência. A Austrália sofre há muito tempo com a falta de profissionais de TI, e nem a crise econômica mundial mudou esse quadro. Desenvolvedores (principalmente Java, .Net, C e PHP) são os mais procurados, mas testers, arquitetos e gerentes também estão em falta. É claro que não é só comprar a passagem e sair mandando o CV. Também não adianta vir com o visto de estudante, que demora apenas um mês pra ser emitido, pois são raríssimos os casos em que as empresas contratam quem não tem visto de trabalho. O segredo é ter paciência e pensar no longo prazo: o processo para obtenção do visto de trabalho australiano leva pouco mais de um ano. Não é nada, considerando o futuro promissor que aguarda o profissional na terra dos cangurus!

Os salários são inacreditavelmente altos quando comparados aos do Brasil. Um desenvolvedor Java EE Pleno como eu, com 4 anos de formado, ganha, em Sydney, uma média de 150.000 dólares australianos por ano! Descontados os 10% que vão para a aposentadoria (aqui é chamada de Superannuation) e mais os impostos, sobram, líquidos, no mínimo 90.000 dólares por ano, o que dá em torno de 7500 dólares por mês. Se convertermos esse valor para reais usando o valor médio do dólar australiano, R$1,70, temos um SALÁRIO LÍQUIDO DE R$12750,00. Isso sem contar a restituição anual de impostos e também a aposentadoria, que você pode sacar quando voltar pro Brasil.

Parece mentira? Exagero? Comprove aqui: http://www.peoplebank.com.au/knowledge/pdf/si-mar-11/Peoplebank-IT&T-Salary-Index-Sydney-March-2011.pdf.

Esse último Salary Survey é de Março de 2011, é só olhar na coluna “Contract Rates” e ver que um desenvolvedor Java EE, por exemplo, recebe, em Sydney, de 550 a 750 dólares por dia, dependendo do seu nível. Aí é só fazer as contas e ver que os R$12750,00 mensais para um desenvolvedor pleno são a mais pura realidade. Para .Net, a faixa é ainda mais alta: de 600 a 800 dólares diários. Difícil de acreditar? A diferença é que aqui o profissional é verdadeiramente reconhecido pela sua formação e capacidade, ao contrário do que acontece no Brasil.

Vale lembrar que os altíssimos salários não são o único atrativo de Sydney: segurança, tranquilidade, povo educado, cidade limpa, nada de congestionamentos ou violência, parques em todo canto, infindáveis opções de turismo, praias maravilhosas e clima idêntico ao brasileiro, tudo isso aliado aos 150 mil dólares anuais, são características que fazem da cidade um lugar perfeito prá se viver.

Voltando à pergunta inicial: como consegui encontrar trabalho tão rápido? Antes de mais nada, tirei o visto de residência. Tentar sair mandando o CV sem ter tirado o visto não adianta nada, ninguém vai contratar um cara do outro lado do mundo baseado apenas em conversas por telefone e ainda por cima providenciar toda a papelada do visto, não importa o quão bom o cara seja. Quem quiser tirar a prova é só dar uma entrada no www.seek.com.au e no www.careerone.com.au, os maiores sites de vagas daqui, e analisar as vagas de TI: ninguém aceita CV de quem não é cidadão ou não tem visto de residência. Continuando: depois que estava com o visto na mão e com as passagens compradas, comecei a busca por empregos propriamente dita, exatamente um mês antes da data da viagem. Me cadastrei nos principais sites de recrutamento australianos e comecei a mandar meu CV para as vagas que pareciam se encaixar com o meu perfil. Todo dia eu recebia avisos de novas vagas e aplicava para as que considerava interessantes. Apliquei para um total de 93 vagas e obtive em torno de 40 respostas, tanto positivas quanto negativas (muitos nem me retornaram). Por fim, estava participando de 12 processos ainda no Brasil, fazendo entrevistas por telefone ou Skype. Dos 12 processos, 5 já tinham entrevista marcada para a minha primeira semana na Austrália.

Isso é a prova de que a demanda aqui ainda é altíssima e de que, pra quem tem a paciência de esperar pelo visto de residência, não há outro caminho senão o sucesso.

Quem quiser entrar em contato para perguntar sobre qualquer coisa (posso inclusive ajudar com o processo de visto!), por favor fique à vontade: duslompo@yahoo.com.br. É sempre um prazer poder ajudar e fazer novas amizades. Também mantenho um blog contando como é a vida por aqui: http://baririensenaaustralia.blogspot.com. Lá tem de tudo, de dicas de passeio a artigos sobre carreira e comportamento.

Grande abraço.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

PARA SABER MAIS SOBRE O DIA-A-DIA E O MERCADO DE TRABALHO NA AUSTRÁLIA OU ATÉ MESMO PARA TIRAR DÚVIDAS SOBRE O VISTO, SINTA-SE À VONTADE PARA ME MANDAR UM EMAIL: duslompo@yahoo.com.br E NÃO DEIXE DE ACESSAR MEU BLOG: http://baririensenaaustralia.blogspot.com. Desenvolvedor de aplicações Java EE, formado em Engenharia de Computação pela UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) em 2006, já passei por 4 empresas no Brasil (uma pequena, uma média e duas multinacionais), morei 3 meses em Shanghai, China, onde fui líder do time brasileiro em um projeto, e atualmente estou morando em Sydney, Austrália, com visto de residência e como consultor de desenvolvimento Java EE.

José Eduardo Slompo

Comentários

32 Comments

  • Australia e Canadá sçao os famosos paraísos para quem trabalha com tecnologia, morei 5 anos em londres onde fiz vários amigos australianos que sempre me falavam a mesma coisa, e olha que isso foi a 3 anos atrás, e ainda é verdade nos dias de hoje.

    Então para quem quer uma experiência fora do Brasil, a Australia como fala o nosso companheiro José Eduardo.

    Good luck and farewell!!!

    • Ola senhores,

      irei para gold coast no próximo março, em 2012, e trabalho com Oracle. Vocês conhecem esta área da TI?? Contudo vou como estudante para ralar e conseguir um IELTS 7, para posteriormente ir atrás de emprego. Rola um trabalho relativamente bacana meio período? Isso por que ficarei 7 meses como dependente, sendo que os 3 primeiros estudarei. Minha idéia é que após os 3 primeiros meses eu solicite a resiência… vocês acham que meu plano funciona?? tenho IELTS 5,5 hj!!

  • Um amigo meu foi trabalhar na Australia e ele realmente diz que não há do que reclamar. Já aqui no Brasil…

  • Igor e Álvaro,

    Legal ver os comentários de vocês corroborando tudo o que eu disse no artigo. Aqui a coisa está realmente fervendo! 🙂

    Abraços

  • Excelente post. Realmente a Austrália é um paraíso para o pessoal de TI e não apenas para Desenv. Mesmo os profissionais de Infra são muito bem aceitos aí por causa da nossa versatilidade e lidar com diversas situações e ambientes distintos.

    Tenho alguns amigos que foram e já voltaram e em todos os casos a experiência vivida por eles foi a mesma reportada por você.

    Boa sorte em sua estadia e aos colegas que resolvam se “aventurar” em novas terras.

  • Júlio,

    Legal seu comment, é mais um prá confirmar tudo o que eu disse no post.

    Obrigado!

  • Engraçado que esse post veio muito a calhar. Semana passada comecei a pensar em traduzir meu currículo e tentar pelo menos um estágio de 1 mês na Austrália.
    A diferença é que trabalho com infraestrutura, mais especificamente com roteamento e switching.

  • Legal o post Julio !

    Morei em Sydney, mais especificamente em Coogee, de 2007 à 2009 e trabalhava com Structured Cabling no Datacenter da Fujitsu em North Sydney. Só vim embora por motivos de família mesmo, e minha esposa foi nomeada pro Judiciário aqui no Brasil.

    Realmente é um ótimo lugar pra se viver e trabalhar. Experiência única.

    Boa sorte pra vcs por aí.

    Abraço

  • Fábio,

    Tentar arrumar trabalho estando no exterior é praticamente impossível. Você, como patrão, contrataria alguém do outro lado do mundo baseado apenas em conversar por telefone? Eu não! 🙂
    A melhor coisa a fazer é iniciar o processo de visto de residente. Se você quiser entrar em contato posso te ajudar.

    Anderson,

    Legal que você morou por aqui! Eu moro no centro, mas conheço Coogee – aliás, uma praia maravilhosa!!!
    Obrigado por ser mais um a confirmar tudo o que escrevi no post.

  • José, vou entrar em contato com você sim. Já dei uma fuçada total no seu blog.

    Com relação a contratação à distância, eu discordo um pouco de você. Tenho um amigo que foi contratado por uma grande operadora de Telecom de outro país somente baseado em análise de currículo e entrevista por telefone/skype. As certificações na área de infraestrutura fazem (quase)toda a diferença.

    Mas não é isso que eu quero não hehe, vou te enviar um email e te conto o que pretendo.

    Obrigado pelo retorno, um abraço e sucesso!

    PS: vi que você estudou na UFSCar, e eu faço pós-graduação lá. Ótima universidade.

  • Fábio,

    É, acho que generalizei demais. Vou me corrigir: na Austrália ninguém contrata uma pessoa que está em outro país e não tem visto. Agora ficou mais realista. 🙂

    A UFSCar é ótima! Bons tempos!

    Manda um email sim, vai ser um prazer poder ajudar.

    Abraço

  • Olá José,

    Um amigo meu de Vitória/ES comentou comigo a respeito do seu post no TI Especialistas, uma vez que estou em levantando documentos para ir morar na Austrália, pois minha atual namorada que vivê aqui no Brasil é Australiana.

    Já venho há alguns meses pesquisando, já conversei com consultores australianos e ainda estou no meio de toda essa papelada em busca do visto.

    Enfim, li sua matéria aqui e tive a impressão que ela deixou um ar de “pote de ouro” do outro lado do arco-íris, e como todos nós sabemos, esse tipo de coisa não existe.

    Marquei alguns pontos interessantes:

    Visto: O processo de obtenção de visto é muito criterioso, baseado em um esquema de pontuação e depende além da sua profissão estar relação deles de Skilled Migrants, também entram situações tais como seu score no IELTS (que vale a pena citar é um teste bem difícil), se você já viveu e estudou na Australia, se seu diploma brasileiro é aceito pelo orgão de IT da Autralia, seu tempo de experiência aqui no Brasil na área que vai aplicar entre outros detalhes.

    Salário: Acho um tanto quanto tolas as conversões que nós brasileiros fazemos de nosso dinheiro com o de outros paises. O raciocinio é bem simples: quando estiver ganhando no dinheiro deles lembre-se de que estará gastando também no dinheiro deles. Então aplicamos a mesma lógica do salário maravilhoso convertido para o pãozinho da padaria que aqui custa R$ 0,40 lá vai ser R$ 0,68 e assim por diante. Além do fato de morar num país maravilhoso desses com toda essa infraestrutura tem um custo, que é o tal “custo de vida” que obviamente é mais elevado lá do quem no Brasil.

    Quanto a qualidade de vida, segurança entre outras questões citadas aqui concordo plenamente contigo José.

    Espero entrar em contato contigo e quem sabe em um futuro próximos tomarmos um café juntos ai em Sydney. Abraços e sucesso.

    Cheers.

    Renato Medina.

  • Oi Renato,

    Legal seu comentário. Vamos lá:
    Sobre o processo do visto, ele tem sim alguns critérios a serem atendidos – isso é normal, é saudável ter algum tipo de filtro, afinal não é interesse da Austrália trazer mão-de-obra desqualificada! No entanto, o filtro é bem tranquilo para a faixa de profissionais que em geral lê esse artigo:
    – a partir de 25 anos;
    – for formado em um curso de 4 anos de duração (bacharelados em geral ou cursos de tecnólogo de 4 anos);
    – um ano de formado;
    – dois anos de experiência total (considerando antes, durante e depois da faculdade).
    Se você se encaixar, estará apto ao processo! Não é nem um pouco difícil.

    E mais: esse é o MELHOR CASO, mas quem não se encaixa nesse perfil TAMBÉM pode ter chances, dependendo de alguns outros fatores.

    Ter vivido ou estudado na Austrália NÃO é pré-requisito de maneira nenhuma, é apenas algo que pode te dar mais pontos no processo (nem eu e nem nenhum dos meus amigos brasileiros de IT que moram aqui tiveram esses pontos, e aqui estamos todos nós, com visto na mão e dólares na conta).

    Sobre o IELTS, não é nem de longe uma prova difícil. Acabou-se criando toda uma “lenda” em torno do IELTS. A grande questão é estudar voltado para a prova. Não adianta estudar inglês “geral”, não vai adiantar. Mas se você tiver um nível de inglês de intermediário pra avançado e estudar por uns dois meses especificamente para a prova, de modo a acostumar com o formato dela, vai conseguir 7 sem problemas. Um pouco mais de estudo e dá pra chegar no 8, nos casos em que é necessário. Tenho um material que usei pra estudar por 2 meses toda noite e tirei 8 no Writing, Reading e Listening. Só o Speaking que não tem como estudar sozinho, fui sem estudar e tirei 6,5 – mas nesse caso é só contratar um professor específico de conversação IELTS e já era. Caso queria o material é só avisar.

    Sobre a conversão da moeda e o custo de vida, é claro que eu levei em conta esse fator ao escrever o artigo. Mas analise minha situação: eu e minha namorada vivemos num apê no centro, carro, celulares, internet, comemos super bem, saímos direto, viajamos, só evitamos luxos desnecessários. Meu salário é de 7,5k líquido, ou seja, sobram 4,5k (uns 7 mil reais) todo mês prá engordar minha poupança. Isso porque sou um programador pleno, com 5 anos de experiência. A tendência é melhorar. Quando eu conseguiria ter uma vida boa no Brasil guardando 7 mil reais por mês? Talvez daqui uns 10 anos. Tudo isso sem contar que moro numa cidade limpa, seu poluição, sem congestionamentos, sem violência, sem corrupção, cheia de belezas naturais, praias, parques, povo educado, tranquilo e sempre disposto a ajudar, transporte público muito bom, clima idêntico ao brasileiro. É sim o pote de ouro, mas ele existe. 🙂

    Bom, acho que é isso. Espero ter esclarecido um pouco mais. Entendo que a princípio pode parecer tudo muito “suspeito”, mas acredite, é assim mesmo que é. Fique à vontade pra ver meu blog (http://baririensenaaustralia.blogspot.com) ou me escrever (duslompo@yahoo.com.br), vai ser um prazer poder ajudar.

    E logo nos vemos por aqui!

    Abraço

    • Oi José!
      Morei na Austrália um tempo entre 2009 e 2010.
      Você consegue realmente ter tudo isso que disse?! Pagar aluguel, ter carro, viajar direto, sair direto com a namorada e comer bem na Austrália com 2k por mês?
      Eu era estudante ai, e fazendo praticamente nada gastava mais que isso. Preco de imóvel então nem se fala…Era loucura.
      O custo de vida na Austrália é altíssímo…
      Manda a senha pra gente!!!

      Abs!!!!

    • prezado José Eduardo
      Tenho uma enorme Dúvida
      pois estou começando minhas pesquisas para tentar aplicar
      um visto de trabalho na australia.
      sou formado em tecnologia de desenvolvimento web pela universidade do sul de santa catarina a unisul
      uma graduação de tecnologia de 2,5.
      sou técnico em programação java pelo senai, um curso técnico de 1,5 anos
      e técnico em redes e telecom pela escola tecnica federal de santa catarina 1,5 ano .(esses dois cursos técnicos contam , pra aplicar ou não sevem pra nada, apesar de serem no brasil 2 instituições reconhecidas??)
      trabalhei 3 anos com infra de rede,
      2 anos como programador cobol
      e estou a 1 trabalhando com java
      tenho 33 anos (essa idade atrapalha na aplicação?)
      estou de viagem marcada pra inicio de 2014 ir a sao francisco ficar 6 meses estudando ingles e me preparar para ielts.
      mas a minha maior duvida é em relação a graduaçao de tecniologia, ela inviabiliza o visto de trabalho ou apenas dificulta??

      teria eu que voltar estudar e fazer um bacharelado
      pra conseguir visto de trabalho na australia?
      mesmo com os outros atributos???

      pois quando for aplicar vou ter 2anos de programaçaõ cobol e uns 3 de java web uns 35 ou 36 anos e se deus quiser ielts 9
      isso não a ajuda???
      bom obrigado pela ajuda
      abraço
      douglas
      douglasmanicka@yahoo.com.br

  • Fala Eduardo,

    Eu disse 3k, não 2k! Aluguel é realmente o que pega mais, gastamos 1600 dólares por mês. Mas com o resto é tranquilo: 400 dólares de supermercado (e olha que compramos de tudo), 200 com Internet, celulares e energia elétrica, 120 com transporte e 680 com extras (restaurantes, viagens, pubs etc).

    Essa é a minha planilha mensal de gastos. É claro que num mês o mercado vai um pouco mais, ou os extras vão um pouco mais, mas aí no mês seguinte a gente segura um pouco pra compensar. E é o que te disse, se olhar no meu blog vai ver que não paramos, todo fim de semana estamos fazendo algo.

    Você pediu a senha: é só questão de saber controlar o dinheiro e saber pra onde vai cada dólar. 🙂

    Abraço

  • José Eduardo, e para a área de suporte e infra como está? E o inglês precisa estar impecável ou dar pra ir arranhando no começo?

  • Fala Rogério,

    Cara, infelizmente pra sua área não pode aplicar pro visto, tem que ser ou desenvolvedor ou analista de negócios. Foi mal pelo balde de água fria.

    Abraço

  • Eduardo, eu sou formado em publicidade com MBA em gestão Empresarial. Estou fazendo Superior de tecnologia em sistemas para internet. Será que esse cursos eles “aceitam” aí? Mesmo se a pessoa tiver certificação Java ou DBA??

    Abraço!!

  • E o mercado de móbile? como android e cia?

    Está aquecido aí na Austrália??

  • Eduardo, atuo como Analista de Negócios em Automação Comercial e elaboro documentos de especificação funcional. Não tenho nenhuma certificação e inglês fluente.

    Sou formado em Administração de Empresas com ênfase em Análise de Sistemas, tenho 35 anos, casado, com filho.

    Você acha que com esse perfil tenho alguma chance de conseguir uma boa oportunidade na Austrália como você tem comentado?

    Grande abraço e parabéns pelo blog.

  • Oi Mauro,

    Olha, o seu caso é complicado por causa da sua formação. Se vc fosse formado em IT seria outra coisa, mas como é formado em Adm eu realmente não sei te dizer se vc teria chances de conseguir a residência. Dê uma pesquisada por aí, foi mal não poder ajudar.

    Abraço

  • boa noite José.
    como é o trabalho de DBA por lá?
    fiquei interessada.

    um abraço.

  • Oi Alexandra,

    A área de DBA também é muito boa por aqui. O grande xis da questão é conseguir o visto de residência. Depois que estiver com o visto na mão, inúmeras portas se abrem e aí é só alegria. 🙂

    Abraço

  • Boníssima tarde José! uma pergunta direta: Existe algum desfavorecimento para profissional que esteja com 40 anos,inclusive relacionado ao visto de trabalho? Quanto ao idioma, quem não tem inglês fluente tem alguma chance inclusive de espcializar-se em escola na austrália? Sou Analista de desenvolvimento/desenvolvedor, experiência técnica de 15 anos e graduado a nove anos em análise de sistemas, trabalho com a tecnologia Microsoft .NET.

    • Emerson, por algum motivo não recebi a notificação desse seu comentário, me desculpe, só hoje fui descobrir que tenho alguns comentários antigos sem resposta.

      Não existe desfavorecimento por parte das empresas e recrutadores, mas sim no processo do visto de residência, já que sua pontuação cai bastante de 40 anos pra cima.

      Se quiser mais detalhes, pode me escrever: duslompo@yahoo.com.br

      Abraço

  • Eduardo, parabéns pelo post. Te mandei um e-mail com algumas dúvidas.

    Um abraço!

    Felipe

  • Então José, visto das maravilhas que vc conta, a curiosidade aguça sobre a Austrália. Tenho uma colega que mora ai tbm, em Bisbarme, ou algo assim.

    A pergunta é, e o mercado de Servidores, Administrador de Unix/Linux e tbm a área de segurança, vc tem alguma noção da demanda?

    Grato desde já…

  • Olá José te mandei um e-mail gostaria que você respondesse se fosse possível, como é o mercado para desenvolvedor em java por aí? e você programa em que plataforma? outra coisa é possível ter algum contato com as empresas de TI como estudante enquanto o canudo ainda não sai? só falta um ano pra mim, estou cursando CC mas já trabalho efetivamente como java web Developer.
    Parabéns pelo post e pelo blog.
    Grande abraço!

  • PESSOAL,

    POR ALGUM MOTIVO DESCONHECIDO, NÃO ESTOU MAIS RECEBENDO NOTIFICAÇÕES DOS NOVOS COMENTÁRIOS, POR ISSO VÁRIOS ESTÃO SEM RESPOSTA. POR FAVOR ENVIEM EMAIL PARA DUSLOMPO@YAHOO.COM.BR AO INVÉS DE DEIXAR COMENTÁRIO.

    MINHAS DESCULPAS AOS QUE FICARAM SEM RESPOSTA, MAS COMO EU DISSE, É SÓ MANDAR UM EMAIL QUE DOU UM JEITO DE RESPONDER EM ALGUNS DIAS. 🙂

    ABRAÇO A TODOS E OBRIGADO PELA COMPREENSÃO!

  • wow. Cai nesse site por alguma razão misteriosa e nem li a matéria. fui rolando pra baixo e boom cai na sua foto. Sabia que vc me lembra o Loki do Thor\Vingadores? E isso é meio que um elogio porque todo mundo acho que gosta desse cara

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.