Redes & Telecom

Ξ Deixe um comentário

Telescópio Espacial Webb vai causar grande impacto na astronomia com o uso de inovações do setor de TI

publicado por Equipe da Redação

Fonte: Unsplash

A engenharia aeroespacial é uma das áreas que mais ganhou atenção nos últimos anos, seja com as experiências da SpaceX ou então com o recente lançamento do Telescópio Espacial Webb. Esse último aconteceu em dezembro de 2021, e foi bastante divulgado como algo que vai revolucionar a astronomia.

Entretanto, o que algumas pessoas não sabem é que esse novo telescópio já fez história na área de Tecnologia da Informação (TI), com algumas inovações que prometem causar impacto aqui na Terra. São funções que podem chegar aos computadores e aos smartphones nos próximos anos.

Desde que o lançamento do Webb foi realizado com sucesso, as pessoas começaram a se questionar entre as diferenças desse novo telescópio espacial com o tradicional Hubble. Com mais de 30 anos no espaço, é claro que as mudanças são grandes, como mostra o gráfico no artigo da Betway Insider.

Na questão do tamanho, por exemplo, o Webb ganha de lavada, pois tem 22 metros de comprimento e 11 metros de largura, enquanto o telescópio lançado nos anos 90 não passa dos 13,2 m x 4,2 m. Estamos falando de equipamentos bem diferentes.

Contudo, a maior diferença não está no tamanho, mas sim na tecnologia que o Webb levou para o espaço. Afinal, até mesmo o posicionamento desse telescópio será diferente por conta de algumas das características na parte de TI. Ele vai orbitar o Sol, a uma distância de 1,5 milhão de quilômetro da Terra.

O Hubble segue uma trajetória ao redor do nosso planeta, a cerca de 570 quilômetros. Isso é algo que só pôde ser realizado com o uso de tecnologias mais avançadas, um dos aspectos principais quando falamos de astronomia e também de inovações tecnológicas.

Os impactos na área de TI

Existem várias novas tecnologias aplicadas no Webb que podem ganhar espaço aqui na Terra, principalmente com mais desenvolvimento nos próximos meses. Uma delas, por exemplo, é a tecnologia conhecida como ASICs, os Circuitos Integrados de Aplicação Específica.

Essa é uma inovação que permite condensar uma unidade eletrônica em um pequeno pacote, uma função importante usada pela NASA desde 2009. Com foco na captura de imagens, os estão evoluindo rapidamente, e prometem causar impacto também nos dispositivos pessoais no futuro.

Outra tecnologia aplicada no telescópio espacial é o inovador refrigerador criogênico, que possui uma capacidade de resfriar os Instrumentos de Infravermelho Médio do Webb para uma temperatura de -266ºC, ou seja, apenas 7ºC acima do zero absoluto.

Isso é algo inovador, e promete trazer grandes mudanças no avanço de diferentes tecnologias, pois a temperatura de funcionamento de vários aparelhos costuma ser algo complexo.

Também poderíamos falar dos micro-obturadores e do sensor HAWAII-2RG, que possuem diferentes funções no telescópio, mas que foram dissolvidos por profissionais de TI para oferecer ao Webb funções mais completas e seguras.

Afinal, esses computadores mais inteligentes fazem com que as missões espaciais sejam mais seguras, assim como aumenta a capacidade das ferramentas na coleta de dados. Se compararmos com o Hubble, por exemplo, é um avanço de 30 anos na área de TI. Durante todo esse tempo aconteceram várias mudanças, e que agora estão sendo aplicadas na engenharia aeroespacial.

Mudanças 30 anos depois

Em entrevista ao site da Betway, site de cassinos online, o Dr. Steven Hawley compartilhou a experiência que teve como astronauta nos anos 90 nas missões com o Hubble. Ele conta que muitos dos trabalhos dos astronautas eram manuais, e que os monitores e computadores não ajudavam tanto.

Assim, durante a instalação do telescópio, ele afirma que a visão da janela era mais importante do que qualquer dado fornecido pelos computadores, algo que mudou com certeza nesses últimos anos.

O antigo astronauta da NASA ainda lembra que trabalhou como engenheiro de voo nas missões STS-31 Discovery e STS-86 Discovery, ambas envolvendo o Hubble. Ele lembra ser responsável por resolver problemas, além de auxiliar o piloto e o comandante durante os procedimentos de lançamento e entrada na Terra.

Uma função que ficou mais fácil nesses últimos anos, principalmente com o auxílio de inovações envolvendo os computadores.

A área de TI não causa impacto apenas na vida das pessoas, com computadores mais eficientes e modernos, mas também em setores mais complexos. O lançamento do Webb é a maior prova disso, pois mostra que a engenharia espacial pode ter uma grande evolução com computadores mais inteligentes.

Autor

Equipe da redação do TI Especialistas normalmente posta textos escrito por terceiros e enviados para o site com os devidos créditos.

Equipe da Redação

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade



Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.