Carreira

Ξ 11 comentários

“Muito prazer, sou Consultor em T.I. especializado em…”

publicado por Fábio Borges

Acredito que todos os companheiros que trabalham com tecnologia da informação já tenham tentando explicar a parentes e amigos no que trabalham e sabem o quanto é complicado explicar no que realmente trabalhamos, nossas especialidades, claro que existem os poucos “sortudos” que nunca precisaram explicar…

O termo consultor em tecnologia da informação é muito abrangente, encontramos consultores em desenvolvimento, melhoria de processos, infraestrutura, projetos e também os que possuem conhecimentos gerais, em todas as áreas.

Da mesma maneira que temos diversas áreas para especialização, o médico por exemplo, é especialista em alguma área da medicina (cardiologista, endocrinologista, pneumologista, clínico geral, etc.) e é fácil para ele em menos de 10 segundos, falar a sua profissão, sem ter que explicar a fundo para que entendam o que ele faz.

Quando alguém se apresenta ou é apresentado como médico, geralmente se pergunta a especialidade dele (quando ele mesmo não fala), se ele for um cardiologista por exemplo, todos entendem que ele trabalha com coração, se é pneumologista, todos entendem que ele trabalha com doenças respiratórias.

Quando me apresento como consultor em tecnologia da informação, na grande maioria das vezes, literalmente enxergo um ponto de interrogação em cima da cabeça da pessoa, se continuo informando as especialidades (infraestrutura, segurança e projetos), aparecem mais pontos de interrogação.

O consultor em tecnologia, como o médico, também é especialista em alguma ou mais áreas da computação (processos, projetos, sistemas, suporte, segurança…), a diferença é que a grande maioria da população desconhece as áreas, por não precisar delas diretamente. O interessante é que todos utilizam os nossos serviços quando eles vão aos supermercados, bancos, lojas, utilizam um atendimento por telefone, chat, fazem compras online, etc.

Por que então não entendem a nossa profissão como entendem a do médico por exemplo? Do meu ponto de vista é simples: ainda não fomos direcionados para usuários domésticos, sempre somos direcionados para trabalhos em empresas.

Para usuários domésticos, se acontece algum problema no computador, o famoso “deu pau”, tudo o que eles precisam é de um técnico ou de uma assistência técnica em computadores. Pelo menos por enquanto, é raríssimo um usuário doméstico procurar por um consultor em tecnologia especializado em segurança, visando uma melhor segurança de sua rede doméstica e dos seus dados por exemplo, mas acredito que em um futuro próximo as nossas especialidades serão bem conhecidas por todos, como as de um médico.

Os profissionais da tecnologia da informação em muitos casos, são vistos como técnicos em informática, por ser mais fácil do ponto de vista do usuário doméstico, entender o que fazemos. Quantas vezes os parentes e amigos falam dos problemas que possuem em seus computadores, vendo você como um salvador de todos os problemas relacionados ao computador, só porque você trabalha o dia todo com computadores? Quem nunca visitou um parente ou amigo e ele aproveitou a sua visita para falar daquela lentidão que está acontecendo? Ou aquela travada estranha?

Até hoje sou técnico em informática pelos olhos dos meus parentes e amigos, por ser muito mais fácil finalizar a tentativa de explicação com o famoso: “sim, sou técnico em informática, conserto computadores” do que explicar que sou especialista em tecnologia da informação com experiência em projetos, infraestrutura, segurança e telecom.

Vale registrar aqui que não tenho absolutamente nada contra a profissão de técnico em informática, afinal de contas, o meu início em tecnologia foi como técnico. Não irei cuspir em prato que comi.

Como conseguir explicar então no que trabalhamos, de uma maneira que todos irão entender, em menos de 10 segundos, como um médico? Na minha opinião: impossível neste momento. Todos usam os nossos serviços e muitos segmentos dependem dos nossos serviços, mas para o usuário final, não interessa como funciona, como é feito ou quem fez, o que importa para ele é que funcione como ele precisa.

Neste artigo referenciei muito aos usuários domésticos, mas não é difícil encontrar empresas de diversos portes que procuram assistências técnicas ou técnicos em informática para realizarem todos os trabalhos ligados a tecnologia da informação: o técnico passa cabo, clipa os cabos de rede, monta máquina, conserta monitor, ajuda o usuário com uma dúvida do Office, corre para subir o servidor que deu pau, cria usuários no AD, starta o backup, tem restore para fazer, novo projeto a ser iniciado… Enfim, exploram totalmente um determinado recurso, o que é ruim para os dois lados: o recurso não consegue ser especialista em nenhuma área e a empresa, como não procurou especialistas, coloca todo o ambiente em risco, pois o recurso além de sobrecarregado, não é especialista em todas as áreas em que ele atua. Mas esse assunto com certeza irei abranger em outro artigo.

Fiquem à vontade em comentar este artigo, abraço a todos e até o próximo.

  •  
    2
    Shares
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Consultor em tecnologia da informação com mais de 18 anos de experiência. Sólida experiência na área de redes corporativas, gerenciamento de projetos de infraestrutura, processos, segurança da informação e coordenação de equipes de suporte. Também atua como perito judicial em tecnologia para a comarca de Uberlândia - M.G. e é colunista do portal TI Especialistas. Trabalha sob as normas ITIL desde 2003, com atuação em empresas nacionais e multinacionais de grande porte. Possui habilidade de negociação, visão estratégica, inglês fluente e atualmente cursa Gestão da Tecnologia da Informação na UNIP. LinkedIn: http://www.linkedin.com/in/fabioborges Twitter: http://twitter.com/fabioborgesbr Facebook: http://www.facebook.com/fabioborgesbr

Fábio Borges

Comentários

11 Comments

  • Excelente ! Não perco tempo, pra meus familiares, sou técnico de computador, e infelizmente agora não posso verificar a sua lentidão … rsrs . Aguardo o tema desenvolvido no final, pois trará grandes espaços para boas discussões !

  • Excelente Matéria! Realmente todos nós que trabalhamos com TI vivenciamos com nossos familiares, amigos e clientes esta dificuldade em detalharmos a nossa profissão. Acredito que temos o árduo dever de orientá-los para que possamos em um futuro próximo sermos reconhecidos em cada área de atuação e termos o devido respeito… ou vocês acreditam que um cardiologista irá tratar uma doença nos pulmões!? Ele tem a formação básica, mas não a informação específica necessária.

  • Muito boa a reportagem, todos sabemos como é explicar a um parente que nem sempre estamos disponíveis para resolver um problema no micro.
    Creio que muito destes problemas estão associados ao fato de esta, comparada a outras áreas, ainda é uma área muito jovem e terá que evoluir no que diz respeito as leis que regem nossa profissão, especializações e demais. Creio que na área de desenvolvimento de software já houve um progresso maior afinal, fica bem mais fácil dizer aquele parente “escrevo programas para computadores “.

    Abraço

  • Acertou em cheio. TI, especialistas, usuários domésticos e empresas sem recursos. Esses somados à cultura do brasileiro de dar um jeitinho aqui e fazer uma gambiarra ali compõem o dilema do profissional de TI no Brasil. Todos enxergam o estereótipo do “cara do computador”, o famoso Severino. As pessoas acham que sabemos de tudo. As empresas nos contratam se acham que quebramos o galho. Somos uma elite invisível que tenta sobreviver em uma terra de cego onde quem tem um olho, ninguém vê. Talvez nossos filhos um dia entendam nosso trabalho, porque nossos pais, tios e até mesmo irmãos só entendem se forem nossos colegas. O reconhecimento do profissional de TI depende muito mais da educação dos nossos clientes do que de nossas certificações nas assinaturas de email.

  • Fabio, muito bom parabéns, hoje em dia muitos profissionais destacam-se quando realmente tornam-se especialista em várias ramificaçãoes de sua formação, o que a grande maioria das pessoas e ou algumas empresas tem dificuldade é de entender é selecionar o profissional adequado para determinada atividade e acabam dando o famoso geitinho, continue assim divulgando e detalhando sobre os profissionais de TI e suas especificações…Um grande abraço.

  • Parabéns Fábio, ficou muito bom. A parte sobre os parentes acredito que já aconteceu com todo mundo que trabalha na parte de TI, até com a namorada, as vezes da até raiva da pessoa mencionar “Ele meche com computador, concerta computador”, mais na maioria das vezes não adianta tentar explicar pois do que adianta se não vão intender!
    Abraços!

  • Acredito que nossa profissão ainda é muito obscura para “olhos externos”, já que praticamente a maioria dos usuários domésticos nunca tenham tido contato com um ambiente corporativo. Infelizmente o usuário final busca comodidade, onde tudo deve ser resolvido com apenas 1 click, não importando para ele como tudo ocorre. Mas não podemos força-los a entender, pois assim como nós por exemplo, não precisamos saber tecnicamente como um cirurgião faz um transplante de rins, pois não somos especialistas no assunto.

    Abraços!

  • É, meu amigo, dê uma lida na minha matéria aqui mesmo no tiespecialistas, pois essa situação encontramos inclusive entre nosso pares. Trabalhei com uma pessoa assim, que me perguntou durante um mês qual minha especialidade, e por mais que respondia e explicava, ele sempre fechava com “mas você é programador, né?” Dificil!!!!!!

  • É muito comum as empresas pegarem um cara bom de TI e “jogar” nas costas dele toda a infraestrutura, sistema , etc, sem dar as devidas condições para a boa execução dos trabalhos. O que ocorre é que realmente o profissional passa a ser um “clínico geral” e acaba não se especializando em nenhuma das áreas. Neste caso concordo com o autor que perde tanto o profissional que fica sem conhecimento específico, quanto a empresa que acaba ficando amarrada ao profissional. A ilusão de economia com mão de obra a longo prazo pode custar caro!
    Carlos Matos
    IT Manager

  • cara como eu faço pra me tornar um Consultor TI especializado….????

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.