Mercado

Ξ 1 comentário

Mobilidade é apenas moda ou uma tendência inevitável?

publicado por Francisco J S Fernandes

Como muitas novidades tecnológicas, os dispositivos móveis vieram para ficar. Não é modismo. É uma tendência natural, evolucionária, que nós, seremos humanos, estamos experimentando com tanto gosto. O aumento da venda de smartphones em 2012 comprova a tese de que cada vez mais estamos investindo em termos um gadget com recursos avançados conosco 24 horas por dia. Fomos seduzidos pela mobilidade e seus encantos. Por estar disponível 24 horas por dia, e não apenas através de chamadas telefônicas. Queremos que os serviços nos encontrem, sejam pró-ativos. Que em nossos bolsos e bolsas tenhamos um amigo faz tudo: tira fotos, paga contas, conversa com amigos, nos ajude a encontrar um endereço e efetivamente nos leve até lá, faz compras, substitui o papel com cupons, cartões de embarque, carteirinhas, etc., faz chamadas de vídeo, acha um bom restaurante num lugar desconhecido e talvez, quem sabe, também faça ligações 🙂

No geral, a venda de celular em 2012 caiu. Não era pra ser o inverso? Não! A maior fatia deste mercado ainda é dominado pelos aparelhos mais básicos, os chamados feature phones. E a venda destes aparelhos caiu mais de 19%.  São os aparelhos mais simples, onde sua função principal, e uma das poucas, é fazer e receber chamadas. A maior parte da população ainda pilota um destes, desprovida da inserção digital que a era da mobilidade vem pregando. Estes aparelhos são mais frágeis, quebram mais fácil, e o preço baixo permite que sejam quase descartáveis. Muita gente nunca vai deixar de optar por estes modelos. Simplesmente porque querem apenas usar o telefone como telefone. E muitas vezes o smartphone transforma a tarefa de fazer uma simples chamada em algo complicado!

Os números demonstram claramente uma mudança no comportamento do consumidor de telefonia móvel. O interesse por aparelhos mais caros e com mais funcionalidades cresceu. E como o investimento muitas vezes é alto, a rotatividade tende a cair. A tecnologia avança, mas não requer uma troca de aparelho todo ano. Eu mesmo uso o mesmo aparelho há 2 anos, e vale a pena ressaltar que não apenas porque é moderno, mas também porque é resistente e já sobreviveu a várias tentativas de assassinato por parte do meu filho de 4 anos. Com isso, cresce o numero de pessoas que resolve fazer um investimento e adquirir aparelhos melhores, com mais recursos, e que permitam aproveitar um mundo novo tão alardeado.

Assim como aumenta o interesse dos consumidores, as empresas também estão de olho nesta tendência. Em muitas indústrias, disponibilizar acesso aos seus produtos e serviços via dispositivo móvel já é obrigatório. As aplicações mais simples, como a simples disponibilização de uma aplicação WEB em código nativo (IOS, Android, Windows Phone, etc)  com utilização dos recursos nativos, já deixaram de ser novidade. É meio que obrigação. O consumidor hoje espera inovação. A utilização de recursos nativos como GPS e NFC, entre outros, possibilita a criação de produtos e serviços inéditos, possíveis apenas pela junção de mobilidade, inteligência de dados e localização geográfica.

Definitivamente não estamos falando de um modismo, mas de um campo que ainda tem  muito a ser explorado. Um campo onde até a empresa do Eu Sozinho, pode aparecer. Onde para vender uma ideia, basta coloca-la na Loja de aplicativos. A era da mobilidade também é a era da oportunidade, do descobrimento, do talento, da inovação. Da ótica do consumidor, é a transição dos dispositivos fixos (desktops e laptops – sem polêmicas!) para os móveis (smartphones e tablets). Da ótica das empresas, é a chance de se diferenciar e ser reconhecida como inovadora. Num  mundo web onde todo mundo parece se igual, a mobilidade traz a oportunidade de diferenciação. Quanto aproveitarão esta oportunidade? Em breve veremos! Até mais!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Profissional de IT e apaixonado por tecnologia, Francisco é Arquiteto de Soluções com mais de 25 anos de experiencia no mercado de TI em diversas empresas como BID, HP, EDS, Fininvest, Unibanco, Banco Nacional e Sul America Seguros. Escrever é um dos seus hobbies e, além de tecnologia, é aficionado por música, viagens, fotografia e futebol. Meus contatos são: LinkedIn: http://br.linkedin.com/in/franciscojsfernandes E-mail: kikofernandes@gmail.com Twitter: @kikofernandes71

Francisco J S Fernandes

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.