Carreira

Ξ 1 comentário

Criatividade – Fatores Motivacionais e Inibidores

publicado por Ruggero Ruggieri

Introdução
A atual era do conhecimento em que estamos vivendo é marcada pelas mudanças rápidas e grandes transformações, onde é fundamental e decisivo o papel da criatividade para a sobrevivência das organizações. A procura por inovações e a capacidade de tomar decisões imediatas é crescente. Essas habilidades são cada vez mais exigidas dos executivos que desejam manter-se líderes no ambiente cada vez mais competitivo que estamos inseridos. Desenvolver o potencial criativo dos colaboradores de uma organização de modo que haja um ganho real de eficiência e desempenho tornou-se foco as empresas de sucesso. Nesse cenário, fazer uso de normas existentes está se tornando inviável. Novas formas de pensar e o cultivo de diferentes atitudes que impliquem em coragem de correr riscos, experimentar e criar constituem-se prioridades.

Objetivo
Mostrar a importância crescente da criatividade nas organizações. Apresentar características e atributos da personalidade criativa. Apontar o perfil das organizações criativas. Detalhar o clima que favorece o comportamento criativo.

Problema
As instituições conseguem manter-se competitivas sem o desenvolvimento do comportamento criativo entre os seus colaboradores?

Fundamentação Teórica
A diversificação de produtos pode facilitar a sobrevivência da organização, quando novas tecnologias tornam obsoletos certos produtos. Caso da indústria de relógios da Suíça que demitiram cerca de 50.000 dentre 65.000 funcionários com o lançamento do relógio digital de fabricação japonesa. Essa diversificação pode salvar uma empresa no caso de queda de necessidade de um produto por motivo de mudanças de costumes e valores da sociedade. Exemplo: máquinas de costura domésticas.

Conceituação de Criatividade
A palavra criatividade está relacionada ao termo criar, do latim creare, que significa “ dar existência, sair do nada, estabelecer relações até então não estabelecidas pelo universo dos indivíduos, visando determinados fins” (PEREIRA, et al.,1999:4).

Criatividade “é um processo que resulta na emergência de um novo produto (bem ou serviço), aceito como útil satisfatório e/ou de valor por um número significativo de pessoas em algum ponto no tempo” (ALENCAR, 1996:15).

Estágios do Processo Criativo
Definição do problema: fase que envolve o “sentir” e compreender o problema ou desafio. Geração de soluções alternativas: várias técnicas de produção idéias, como o brainstorming ou a relação de verbos. É considerada a parte mais difícil, no estilo “1% de inspiração e 99% de transpiração”. Avaliação de todas as idéias: refinamento das propostas e escolha da mais apropriada. Implementação da solução: deve ser planejada cuidadosamente, visando o seu sucesso. Avaliação da solução implementada: deve-se checar se a implementação foi efetivamente bem sucedida.

Perfil da Personalidade Criativa

Intenso envolvimento no trabalho realizado. Otimismo aliado à coragem para correr riscos. Flexibilidade pessoal, abertura à experiências e tolerância à ambigüidade;
Autoconfiança, motivação e iniciativa. Persistência.

Perfil de uma Organização Criativa
Capacidade de se adaptar e responder rapidamente às mudanças do mundo competitivo. Treinamento contínuo dos colaboradores. Valorização dos funcionários. Administração orientada para o futuro. Valorização das Idéias Inovadoras. Promoção da autonomia e flexibilidade na estrutura organizacional. Tolerância e aceitação das diferenças e diversidade.

Bloqueios à criatividade
Influência poderosa das forças adversas presentes na nossa cultura e criação que nos impendem de desenvolver e realizar o nosso potencial criativo. Alguns das clássicas frases de bloqueios de criatividade:
– Não vai dar certo!
– Isso não tem a menor lógica;
– Siga sempre as normas;
– Cuidado para não pagar um mico;
– É proibido errar;
– Brincar é falta de seriedade;
– Isto não é da minha área, cada macaco no seu galho;
– Eu não quero mudar! Time que está ganhando não se mexe;
– Eu não sou criativo;
– É impossível. Não dá para fazer!

Tipos de Bloqueios

Mentais
Resultantes da aprendizagem de cada um, que leva ao controle e mesmo negação de emoções, resguardar curiosidade, evitar situações que podem causar perdas ou fracasso, ou seja, impera a uniformização do comportamento e expressão, desencorajando a originalidade e a diversidade.

Perceptuais

Tem a ver com a maneira como as pessoas processam os dados que recebem do mundo exterior através dos sentidos. Forma-se um padrão que passa a influenciar a percepção de experiências similares.

Bloqueios à criatividade
Emocionais;
Apatia;
Pouca tolerância à mudança;
Excessivo desejo de segurança e ordem;
Falta de tolerância à ambigüidade;
Insegurança;
Medo de parecer ridículo, de fracassar e de cometer erros;
Relutância em experimentar e correr riscos; e
Sentimento de Inferioridade

Clima que Favorece a Criatividade
-Autonomia, liberdade dada às pessoas para expor idéias e tomar iniciativas;
– Sistema de Recompensa por Desempenho e Competência;
– Suporte à Criatividade: apoio da organização;
– Aceitação das Diferenças;
– Envolvimento Pessoal;
– Apoio da Gerência.

Importância da Criatividade nas Organizações
Uma idéia criativa aliada à motivação, conhecimento e recursos materiais resulta em INOVAÇÃO, que traz vantagem competitiva e outros benefícios.

Exemplos de inovação nas organizações:
– Um novo produto para o mesmo mercado;
– Um novo produto para um novo mercado;
– Um mesmo produto para um novo mercado;
– Um novo método de trabalho ou novo processo;
– Um novo serviço ou aprimoramento de produtos e serviços.

Conclusão
O aprimoramento da qualidade dos produtos e serviços está diretamente ligado à satisfação dos clientes cada vez mais exigentes e preocupados com qualidade, valor agregado e preço dos produtos e serviços.

Antecipar os desejos dos usuários tornou-se fundamental para as empresas líderes de mercado.

O compromisso com a qualidade e inovação faz com que as organizações invistam em treinamento contínuo dos funcionários que formam o seu capital intelectual.

Criar um ambiente propício a novas idéias e a concretização delas é condição primordial para que as empresas sejam pró-ativas e se adaptem ao cenário globalizado e fortemente competitivo.

Para que as mudanças ocorram, as empresas precisam se transformar em um ambiente favorável às mudanças, com o encorajamento das pessoas para a inovação e criatividade;

Essas mudanças devem ser planejadas e envolver todas as gerências, com a participação de todos os níveis da organização;

As empresas devem ter uma visão focalizada de suas metas, que precisam ser comunicadas de forma clara a todos para que se transformem em agentes ativos da mudança;

O programa de inovação e melhoria contínua da qualidade e produtividade deve ser assegurado.

Referências Bibliográficas
ALENCAR, E. S. de. A gerência da criatividade. São Paulo: Makron Books, 1996.
CHIAVENATO, I. Os Novos Paradigmas: Como as Mudanças estão mexendo com as Empresas. São Paulo: Editora Átlas, 1996.
KAO, J. A arte e a disciplina da Criatividade na Empresa. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1997
LEONI, G.L.R.. Gestão de Carreira e Empreendedorismo. Apostila Gestão de Tecnologia da Informação – Pós-Graduação em Gestão de Tecnologia da Informação – Fiap, 2007.
PREDEBON J. Criatividade Hoje: Como se Pratica, Aprende e Ensina. São Paulo: Editora Átlas, 1999.
TRIMBLE, C.; GOVINDARAJAN, V. Os 10 Mandamentos da Inovação Estratégica. Rio de Janeiro: Elsevier Editora Ltda, 2006.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Gerente de Projetos SR., atua há mais de 20 anos na área de TI no seguimento do Governo do Estado de São Paulo. Desenvolveu atividades de desenvolvimento de Software para empresas brasileiras e multinacionais, tendo participando no Brasil e no exterior em projetos de TI de diversos segmentos como Educacional, Financeiro, Saúde, Tributário e Terceiro Setor. Professor de Pós-Graduação na UNINOVE nos cursos de Qualidade, Gerencia de Configuração, Requisitos, Gerenciamento de Projetos e Processo de Desenvolvimento Ágil Formado na PUC de Campinas, Pós-Graduação em Administração Hospitalar (Univ.São Camilo), Gerenciamento de Projetos (UNICAMP), Projetos Estruturados (USP), Ciência, Tecnologia e Inovação (USP). MBA em Gestão de TI na FIAP e Programa de Desenvolvimento Gerencial com foco em liderança estratégica - FIA, atualmente aluno de MESTRADO da UNINOVE na área de Gestão do Conhecimento. Formado em COACH para SBC - Sociedade Brasileira de Coaching e Master COACH pelo escola RICCOACHING.

Ruggero Ruggieri

Comentários

1 Comment

  • Prezado Ruggero,

    Muito interessante o seu artigo e um assunto que realmente está em pauta mundial depois da pesquisa feita pela IBM com 500 líders mundiais. A resposta foi únime: precisamos de “Liderança Criativa”.

    Para mim esse fato vem a ser uma grande realização pois essa foi a mimnha tese de mestrado a quase 10 anos atrás. Venho trabalhando, com modelos próprios, e dando aula sobre esse assunto a 8 anos.

    Quero só aderir a sua perspectiva que:
    1. criatividade é capacidade de conectar coisas, segundo pesquisa em trêa anos na Harvard,
    2. criatividade é também um processo, não sómente um produto,
    3. pessoas criativas existem em todas as organizações e não é sòmente um dom artistico,
    4. o processo criativo exige transparência, feed-back contínuo e milhões de contratos entre as pessoas que participam desse processo
    5. o MAIS IMPORTANTE, a criatividade está diretamente em relação a VISÂO

    Tenha um bom dia!
    José Luiz

You must be logged in to post a comment.

botão emergência ransomware (1)

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.