Cloud Computing

Ξ Deixe um comentário

Como aumentar a qualidade do software sem acréscimo no tempo e no custo do desenvolvimento?

publicado por Andrea Rodacki

Neste segundo artigo da série “Green Hat: conhecendo esta aquisição da IBM que revolucionará o mercado de testes” começamos com um questionamento que nos incomoda diariamente: a necessidade de aumentar a qualidade do software sem aumentar o tempo e o custo de desenvolvimento.

Mas como vamos atender a estes requisitos se temos sistemas cada vez mais complexos, que se comunicam através de vários protocolos e serviços de mensageria e interagem com diversas tecnologias e sistemas?!

Esta demanda empresarial está forçando as equipes de desenvolvimento a fornecer aplicações em um menor período de tempo, levando uma necessidade de mudança ao mundo dos testes. Melhorar a qualidade do software e a agilidade do desenvolvimento se tornaram normas para o sucesso neste mundo em constante mudança.

Um dos fatores importantes para garantir a qualidade do software é assegurar que os testes reflitam todas as funcionalidades do sistema em produção e também a interoperabilidade com os demais sistemas. Neste sentido, e pensando no modelo de desenvolvimento ágil, quanto mais cedo o sistema for testado no ciclo de desenvolvimento maior a garantia da qualidade.

Tecnologias avançadas, como a virtualização e a “nuvem” permitem o teste de integração contínua em todo o ciclo de vida do sistema. Além disso, é possível realizar os testes de integração de aplicações compostas, em ambientes heterogêneos complexos, muito mais cedo no ciclo de desenvolvimento.

Desta forma, a solução Green Hat VIE (Virtual Integration Environment) tem o objetivo de endereçar os questionamentos deste artigo, ou seja, aumentar a qualidade do software, diminuir o custo de construção do laboratório de testes e entregar o produto com maior agilidade para o mercado.

Com a solução GH VIE a equipe de desenvolvimento e/ou testes pode virtualizar componentes (HTTP, WebSphere MQ, SAP, web services, BPM, bancos de dados, HL7, SOAP, SWIFT, XML, mainframe) e assim realizar testes que muitas vezes seriam de alto custo, seja devido ao alto valor a ser pago quando da necessidade de acesso a sistemas de terceiros ou por causa da “janela” de disponibilidade de um sistema crítico.

O processo de virtualização é muito simples, não é necessário codificação e os serviços virtualizados ficam armazenados em um repositório central o qual pode ser acessado por todos os desenvolvedores e analistas de testes, que podem configurar seus cenários de teste independente da plataforma de desenvolvimento que estejam usando, como Eclipse ou .NET, pois tudo que é necessário é um navegador web.

A solução GH VIE é parte da suíte GH Tester e fornece um espectro completo de recursos de virtualização.

Quando o GH Tester começa um teste, ele pode iniciar automaticamente os serviços virtualizados que são necessários para garantir que dependências “não resolvidas” possam ser satisfeitas. O analista de teste tem a visibilidade de quais aplicações virtualizadas são utilizadas, o que permite que uma grande variedade de situações diferentes possa ser modelada, dependendo do cenário de teste.

 

A figura abaixo mostra a arquitetura do GH VIE:

1. Trigger – o testador envia uma mensagem para o sistema em teste o qual precisa interagir com outros sistemas.

2. A aplicação virtualizada recebe o pedido do sistema em teste e confirmar que a mensagem foi recebida conforme esperado.

3. A aplicação virtualizada decide como vai responder à mensagem (por exemplo: erro, esperando um argumento, timeout).

4. O sistema responde ao pedido original e o GH Tester pode validar se a resposta enviada como retorno está correta.

O GH VIE pode ser usado em vários cenários. O uso de aplicativos virtualizados não se restringe a testes executados através do GH Tester: analistas de testes e desenvolvedores também podem usufruir dos benefícios da virtualização já que o GH VIE pode ser utilizado em qualquer cenário de teste ou em ambiente de desenvolvimento.

Continue acompanhado a série “Green Hat: conhecendo esta aquisição da IBM que revolucionará o mercado de testes” pois serão expostos alguns casos referência e detalhes sobre as soluções.

Para mais informações, contate arodacki@br.ibm.com

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

ANDREA RODACKI é formada em Ciência da Computação na PUC-PR, com Mestrado em Informática pela UFPR. Ministrou diversas disciplinas relacionadas a Gerencia de Informação e Banco de dados em cursos de graduação e pós-graduação em universidades no Paraná. Atuou no Bamerindus Seguros, como Analista de Sistemas; no CITS – Centro Internacional de Tecnologia de Software, como Gerente de Projetos; e, no HSBC como Auditora de Informática e Analista de Suporte. Na IBM, foi DBA, gerente dos programas Academic Initiative e Smart Professional no Brasil e atualmente atua na área de vendas Rational Green Hat, recente aquisição da IBM que oferece uma solução de virtualização de testes.

Andrea Rodacki

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.