Tecnologia Social

Ξ 7 comentários

“Co-Creation” e “CrowdSourcing” nas Redes Sociais

publicado por Paulo Carmo

Gostaria de relembrar aqui as 04 principais motivações das pessoas ao acessarem a Internet (Web 2.0): Informação (Conteúdo Relevante), Lazer, Relacionamento (Mídias Sociais) e Vídeos. Todos aqueles que se envolvem de forma direta ou indireta com as novas Mídias Sociais, seja de forma profissional ou apenas pessoal ou mesmo para lazer, sempre se deparam com inúmeros “jargões”, os quais são cada vez mais disseminados na rede, entre eles: engajamento, influência, compartilhamento, social media, viralização, ROI, relevância, experiência, Mídias, On-Line x Off-Line, reputação, inteligência coletiva, bem como “Co-creation” e “CrowdSourcing”, e é exatamente sobre a diferença entre estes dois últimos termos que eu gostaria de aqui ligeiramente me aprofundar.

Ainda objetivando melhor entender tais conceitos ou “jargões”, precisamos iniciar discutindo o conceito de Criatividade e os seus 03 conjuntos de variáveis (Cognitivas, Ambientais e de Personalidade). Na sequência, vamos então tratar dos 04 tipos de “Co-cretion” (Crowd of People, Community of Kindred Spirits, Club of Experts e Coalition of Parties), buscar entender os 05 princípios fundamentais do “Co-creation”, bem como conhecer as 04 grandes áreas de importância (Direct results, Direct Spinoffs, Future results e Future Spinoffs).

Somente então poderemos tratar diretamente dos 05 modelos mais conhecidos de “CrowdSourcing (Criação, Invenção, Organização, Predição e Financiamento), tornando claro cada uma dos modelos e seus objetivos centrais.

Vamos lá !

Cada vez mais as empresas buscam pela Criatividade (interna ou externa) na criação e/ou geração de novos produtos ou serviços, e com o uso da variável Cognitiva é possível apostar em ações mais efetivas em busca das idéias criativas que residem na Web 2.0. Podemos destacar, no entanto, 03 conjuntos de variáveis que fariam parte daquilo que se considera Criatividade:

. Variáveis Cognitivas: inteligência, conhecimento individual, habilidades técnicas e talentos individuais ;

. Variáveis Ambientais: fatores político-religiosos, fatores culturais, fatores sócio-econômicos, fatores educacionais ;

. Variáveis de Personalidade: motivação interna, confiança, não-conformismo, criatividade traço.

Mas então, a partir do conceito de Criatividade, o que seria então “Co-creation” ? De acordo com a Consultoria Fronteer Strategy, é a prática de desenvolvimento colaborativo de produtos e serviços. A Co-criação é uma forma de inovação aberta que acontece quando as pessoas de fora da empresa, como fornecedores, colaboradores e clientes, associam-se com o negócio ou produto agregando inovação de valor, conteúdo ou marketing, e recebendo em troca os benefícios de sua contribuição por meio da Inteligência coletiva, sejam eles através do acesso a produtos customizados ou da promoção de suas idéias. Surgem então aqui alguns conceitos:

Inovação aberta – (open innovation ) A inovação aberta se refere a um fluxo aberto, no qual os recursos se movem facilmente na fronteira porosa entre empresa e mercado. De maneira oposta, closed innovation (ou inovação fechada) refere-se ao processo de limitar o conhecimento ao uso interno da empresa e não fazer uso ou somente pouco uso do conhecimento exterior.

Inteligência coletiva – É uma inteligência distribuída por toda a parte, incessantemente valorizada, coordenada em tempo real, que resulta em mobilização efetiva das competências. A base e o objetivo da inteligência coletiva são o reconhecimento e o enriquecimento mútuo das pessoas.

Existem, portanto, 04 tipos de “Co-creation”, que devem ser utilizados a depender dos desafios e dos objetivos estratégicos de cada empresa:

. Crowd of People

. Community of Kindred Spirits

.Club of Experts

.Coalition of Parties

Para entender cada um dos 04 tipos de “Co-creation”, basta analisar a figura abaixo, avaliando o cruzamento do Ownership x Openness (vide abaixo):

Aprofundando um pouco mais nossa discussão, podemos aqui destacar os 05 princípios fundamentais do “Co-creation” (vide abaixo):

 

. Inspirar a Participação: estimular as pessoas à participarem dos desafios no dia-a-dia ;

. Selecionar os Melhores: vc precisa das melhores idéias bem como das melhores pessoas para lidar com questões complexas ;

. Conectar mentes criativas: vc tem que permitir que pessoas compartilhem idéias uns com os outros, On-Line e Off-Line ;

. Mostrar Resultados: é essencial desenvolver as pessoas e encontrar o jeito e o caminho certo para fazê-lo, sempre compartilhando os resultados ;

. Continuar a Desenvolver: vc estará estabelecendo um compromisso de longo-prazo, dentro e fora da empresa. Só então os resultados efetivos aparecerão.

Neste momento, já temos plenamente compreendido o conceito de Criatividade, o conceito e os 04 tipos de “Co-creation”, bem como os 05 princípios fundamentais que o regem. Mas e quanto à real importância deste processo para as empresas, considerando uma Inteligência coletiva maior via Web 2.0.

O “Co-creation” cria e agrega valor em 04 grandes áreas (vide abaixo):

. Direct Results: valor econômico gerado pelas idéias trazidas via colaboradores ;

. Direct Spinoffs:contatos com participações, colaborações futuras, advogados de Marcas, propaganda boca-a-boca, etc ;

. Future Results: lucro com o lançamento de novos produtos e serviços, criação de novas famílias de produtos, etc ;

. Future Spinoffs: mudanças ainda não previstas em produtos e serviços, até o momento.

CrowdSourcing – (termo criado por Jeff Howe) é um modelo de produção que utiliza a inteligência e os conhecimentos coletivos, além de voluntários espalhados pela Internet para resolver problemas, criar conteúdo ou desenvolver novas tecnologias. Parece muito próximo do conceito de “Co-creation” mas se distinguem entre si pela forma de atuação da Inteligência Coletiva e seus objetivos.

Podemos destacar, aqui, alguns modelos mais conhecidos de CrowdSourcing, entre eles:

. Criação: geração de conteúdo que pertence e/ou é mantido pelos próprios leitores. Criação de conteúdo por solicitação (Ex: FIAT Mio) ;

. Invenção: geração de fontes de idéias, com ranking das melhores (Ex: My Starbucks Idea) ;

. Organização: conteúdo filtrado pelos próprios usuários na Internet (Ex: Digg) ;

. Predição: previsão de tendências a partir da submissão de idéias e votação via Internet ;

. Financiamento: também conhecido como Crowdfunding – conceito para angariação de fundos. É simples: um grande número de pessoas (a multidão) investindo pequenas quantias de dinheiro até acumular-se em um investimento grande o suficiente (Ex: Shows e Eventos).

Outros exemplos do uso do “CrowdSourcing nas empresas:

1) My Starbucks

Com o objetivo de estreitar laços com seu público, a empresa criou uma página na qual os usuários podem contribuir com idéias e sugestões para a marca e seus produtos. As sugestões podem ser votadas e comentadas pelos próprios usuários e, depois de ranqueadas por votação popular, são analisadas pela equipe Starbucks. As melhores idéias são implementadas e publicadas no blog da empresa.

 

2) Fiat Mio

Portal onde os usuários opinam sobre como deveria ser cada detalhe para um futuro modelo dos carros da Fiat. Neste ambiente, os usuários falam sobre o que gostariam em um carro Fiat e compartilham com outras pessoas na web. Total de 1,5 milhão de visitantes; 15,3 mil cadastrados de mais de 100 países, 10 mil idéias enviadas que geraram mais de 3 mil desenhos dos designers da empresa.

 

3) Dell –IdeaStorm

Fórum de sugestões no qual os usuários se manifestam livremente sobre os produtos da empresa, sugerem novas funcionalidades, configurações, recursos e instalações.Os visitantes podem votar nas sugestões, promovê-las ou discuti-las com os moderadores da Dell.

A idéia mostra como a empresa está preocupada em se adaptar aos clientes, estudando seus comportamentos, anseios e desejos.

4) Zooppa

Provedora norte-americana de publicidade gerada por usuários (crowdsourcing advertising). Por meio de um site de rede social (formada por publicitários, profissionais de marketing, estudantes e comunicadores), 70 mil membros (dos quais 6 mil são brasileiros) postam idéias, peças gráficas, vídeos e concorrem a prêmios. As melhores são escolhidas pelos membros da rede, pelo cliente e pelo conselho da própria Zooppa.

 

Espero sinceramente que este artigo tenha ajudado a sanar algumas dúvidas iniciais sobre os conceitos importantes do “Co-creation” e do “CrowdSourcing”. Além deste, existem inúmeros documentos tratando do tema na Web 2.0. Caso vc conheça algum, compartilhe na rede conosco !

Segue abaixo Link para mais 03 cases de “CrowdSourcing” no mundo:

Link.: (.http://on.mash.to/hT2w8Y.)

– Ben & Jerry’s “Do the World a Flavor”

Dunkin’ Donuts’ “Keep It Coolatta 2: Flavor Boogaloo”

Vitaminwater’s “Flavor Creator”

Nos vemos em breve !

: ) 0

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

- Professor do Curso de Pós-Graduação em "Gestão Estratégica da TI" na Universidade FEI - SP (Campus Tamandaré - Liberdade) nas disciplinas de "Governança de TI" e "Marketing em Redes Sociais". - Consultor Especialista em Governança de TI e Social Media Marketing pela EGV Consultoria (www.egvconsultoria.com.br). - Palestrante em Governança de TI, Social Media e Gestão de Projetos (PMO). Twitter: @pacarmo / @EGVCONSULTORIA Linkedin: http://br.linkedin.com/in/paulocarmo Facebook: http://www.facebook.com/pages/EGV-Consultoria-de-TI/101861886542995?created A EGV Consultoria (@egvconsultoria) atua em projetos de GaaS (Governance as a Service, Gestão de Projetos e PMO, palestras e projetos de Comunicação via Mídias Digitais).

Paulo Carmo

Comentários

7 Comments

  • Paulo,

    Realmente cada vez mais as empresas buscam pela Criatividade interna ou externa, concordo!! Principalmente no que diz respeito a produtos e serviços.
    Parabéns pelo texto.

    Grande abraço, Fabiana Segatto

  • Excelente artigo Paulo.
    Vc fez uma abordagem abrangente da questão. Entretanto, gostaria de enfatizar sua referência à inteligência coletiva.
    Sou autor e apaixonado pelas possibilidades da Inteligência Corporativa. O individualismo foi uma constante na minha geração. Voces mais jovens são mais dados ao senso coletivo.
    Acho que as soluções do futuro, sem detrimento da continuidade de surgimento de gênios como Stephen Hawking e outros, vai repousar na criatividade e inteligência coletivas.
    Participei pessoalmente de muitas conquistas da FIAT e sou admirador do mille on line.
    O volume de informações da atualidade é imenso. Ninguém sózinho, nem os gênios, conseguem lidar com elas. E até os gênios da atualidade precisam de equipes.
    Espero participar desta discussão e quem sabe redigir algo a respeito.
    Sds. Ivan

  • Obrigado desde já pelo seu feedback em relação ao meu artigo postado no TI Especialistas.

    Nos vemos no próximo artigo !

    Paulo Carmo
    EGV Consultoria
    Twitter: @pacarmo / @egvconsultoria

  • Ivan,

    Obrigado pelos seus comentários sobre o meu artigo.

    Concordo que é chegada a hora da Inteligência Coletiva, algo que vm se aprimorando na Web 1.0, Web 2.0 e na própria Web 3.0. Cada vez isto se torna mais e mais importante nas empresas e no mundo como um todo. Não somos seres isolados, mas sim seres coletivos. Nada novo como já dizia meu grande amigo e meste Gil Giardelli (@gilgiardelli).

    Mas vale lembrar aqui os 05 passos do Engajamento e Colaboração na Web: Observação / Replicação / Comentário / Geração de Conteúdo e Curadoria (via Charlene Li)

    Caso deseje discutir mais o tema, me encontre no Linkedin onde possuo Grupo de Discussões sobre Marketing em Redes Sociais.

    Abs.

    Paulo Carmo
    EGV Consultoria
    Twitter: @pacarmo / @egvconsultoria

  • Caro Paulo, muito esclarecedor seu artigo, mas ainda não ficou clara a diferença entre inovação aberta e co-criação

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes