Segurança da Informação

Ξ Deixe um comentário

Backup baseado em imagens: desvendando seus mitos

publicado por Luís Montanari

Backup baseado em imagens: desvendando seus mitosTire agora suas dúvidas sobre o serviço de TI!

Sem dúvida, os backups baseados em imagens estão longe de serem o padrão ideal para a rotina dos Provedores de Serviços Gerenciados de TI. Durante anos, essa prática foi considerada comum no setor. Entretanto, os profissionais da área necessitam de recursos completos sem as ineficiências internas.

Isso significa que, os armazenamentos em vários locais podem gastar muito o seu tempo procurando resolver problemas e complexidades desnecessárias. Mas, sabemos como o tempo de trabalho da equipe é um recurso valioso na vida dos MSPs e, também, sua maior despesa.

Conforme os Prestadores de Serviços Gerenciados de TI começam a crescer e ter mais maturidade em relação aos seus negócios, precisam entregar um serviço de alto nível sem a necessidade de fazer altos investimentos.

De fato, o backup é um recurso especialmente maduro para melhorar a eficiência da maioria dos MSPs. Visto que, padronizar, priorizar a nuvem e escolher os produtos ideais, fazem uma grande diferença.

Pensando nisso, hoje trouxe um conteúdo completo para tirar as suas dúvidas em relação ao backup baseado em imagens.

Continue a leitura para saber mais!

Definição do Backup baseado em imagens

Podemos definir como a criação de uma “imagem” do disco, ou da unidade, fazendo o backup de uma mídia inteira de armazenamento.

Porém, mudar para a nuvem se tornou a melhor opção, visto que a prática pode consumir até cinco vezes menos armazenamento para o mesmo número de pontos de restauração. Dessa forma, podemos chegar a conclusão de que o backup baseado em imagens não é mais eficiente.

Para tornar tudo mais prático, gastando menos tempo do seu dia, os MSPs precisam de uma maneira de mover menos dados para os seus clientes.

Mesmo que a desduplicação e a compactação de dados sejam comuns, muitos não percebem os benefícios que isso gera no processo de backup.

Vou te dar um exemplo: um software baseado em imagens, costuma processar uma taxa de alteração de 6% a 10% entre os backups incrementais. Isso torna esses aumentos muito maiores do que os realizados na nuvem.

Ou seja, continuar usando soluções baseadas em imagem, requer mais de 5,6 vezes a quantidade de armazenamento, e acaba limitando o número de pontos de restauração.

Sua abordagem demonstra que ele foi criado pensando em uma era diferente, quando os servidores e dispositivos ficavam lado a lado em um único data center, onde a maioria das empresas tinha a noite toda para realizar os backups diários.

Além disso, o recurso criado para a pré-nuvem, na época, não precisava ser tão eficiente.

O Backup para MSPs

Como sabemos, as necessidades em relação aos Prestadores de Serviços Gerenciados, diferem quando nos referimos a esses recursos.

De muitas maneiras, seu trabalho é mais difícil do que os realizados por profissionais de TI internos. Por conta dos vários ambientes e premissas de diferentes clientes para oferecer suporte, ser eficiente é algo crítico.

Desvendando os mitos mais conhecidos

Agora que já falei com mais detalhes sobre os backups baseados em imagens, chegou a hora de contar quais são os mitos mais ouvidos sobre esse processo, para te impedir de fazer uma escolha errada em relação ao armazenamento dos dados e informações de seus clientes.

Mito 1: São a única maneira de obter a recuperação completa

Com certeza, você já deve ter ouvido algo do tipo, certo?

Mas, a realidade é outra. É necessário que você tenha os backups em nível de arquivo 90% do seu tempo. Sem a necessidade de percorrer uma imagem por completo para extrair o que você precisa.

Nos dias de hoje, contamos com soluções mais modernas que oferecem backup em nível de arquivo e com sistema de filtragem avançado, para que você restaure somente aquilo que realmente necessita.

Assim, não causa sobrecarga por trazer informações desnecessárias, como arquivos temporários de internet. Com o estado completo do sistema, você obtém com mais facilidade a recuperação quando precisar.

Mito 2: O backup tradicional baseado em imagens é mais rápido

Como alguns arquivos de backups incrementais baseados em imagens são maiores, enviá-los para a nuvem leva mais tempo do que julgamos necessário, limitando a frequência que você pode fazer backup, afetando diretamente o trabalho que pode ser oferecido aos seus clientes.

Se está realizando esse processo uma vez por dia, uma interrupção pode resultar na perda de 24 horas de dados, da sua produtividade e do seu cliente também.

Sendo assim, uma abordagem que prioriza a nuvem, torna os backups incrementais apenas uma pequena fração dos dados protegidos. Dessa forma, mover esses dados torna-se uma prática mais rápida e frequente.

Mito 3: O envio para a nuvem não é viável onde a conectividade com a internet é lenta

Nesse caso, dependendo da solução usada para realizar o backup de imagem, isso pode ser uma verdade. Entretanto, essa pequena fração, direto na nuvem, pode demorar cerca de cinco minutos para ser concluída.

Usar uma solução que foi criada desde o início para realizar essa transferência em nuvem, pode remodelar o armazenamento remoto de impraticável, para simples e rotineiro.

Mito 4: Consomem menos armazenamento

Posso te garantir que esses tipos de backups não são os mais eficientes quando entramos no assunto “recursos”. Pois, mudar para o armazenamento em nuvem, significa consumir até cinco vezes menos armazenamento, assim como citei acima.

Além do custo em armazenamento, há uma chance maior de ocorrer erros humanos, sem falar na perda de dados, devido a sua complexidade desnecessária de gerenciar várias soluções de backup.

A chave para confiança e tranquilidade, começa na escolha da melhor solução para garantir a proteção, restauração e arquivamento dos dados.

Mas, uma coisa é fato: na medida em que o volume e a criticidade dos dados evoluíram, nem todos do mercado conseguiram acompanhar o ritmo. Essa mudança, além de diminuir os custos que a sua empresa poderia ter, resulta em uma proteção de dados mais eficiente e confiável para seus clientes.

Gostou desse conteúdo e quer mais dicas sobre backup seguro? Então, te convido a assistir nossa gravação do Dia Mundial do Backup.

Garanto que vai sanar todas as suas dúvidas e mostrar que uma ferramenta mais robusta pode mudar a realidade da sua prestação deste importante serviço de TI!

Autor

Especialista em Marketing e Vendas para Empresas de TI e MSPs. Sou pai da Helenna e da Cecília, Comunicólogo, Marketeiro e Vendedor. Além de um profundo apaixonado por tecnologias e boas cervejas. Tenho mais de 10 anos de experiencia em vendas e gestão de pessoas, sendo os últimos 8 dedicados ao mercado de Tecnologia e Serviços de TI. Ao longo dos últimos anos, me especializei no mercado MSP e ajudei dezenas de empresas à redesenharem processos, seus serviços e suas ofertas. Atuo como líder dos times de Marketing, Eventos, Pré-vendas e Vendas da ADDEE, trabalhando para transformar Empresas de Suporte em verdadeiros MSPs!

Luís Montanari

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade



Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes