Carreira

Ξ 1 comentário

O profissionalismo começa na universidade

publicado por Alexandre Manoel da Silva

Sempre pensei que a universidade seria algo especial e diferente em minha vida. Amizades mais verdadeiras, maiores cobranças dos professores, um aprendizado superior ao que foi no ensino médio, dificuldades que fariam meu crescimento ser mais valorizado. Uma vida completamente diferente da que levava, estava ansioso por essa nova aventura. Mas nem tudo que pensamos acontece de verdade.

Comecei a graduação em Engenharia de Computação, simplesmente pelo fato de ter facilidade em matemática. Entrei no curso sem saber completamente nada do que um profissional dessa área faz, não sabia se trabalharia com maior ênfase em engenharia e toda sua parte de cálculos ou desenvolvimento em TI. Atualmente estou no terceiro semestre do curso, até o presente momento oitenta por centro das disciplinas estudadas estão na área de cálculo. Claro que todos nós já sabemos que os dois primeiros anos da graduação em Engenharia são voltados em sua grande parte para cálculo, física, álgebra, trigonométrica e etc.

Tudo maravilhoso, pode-se dizer que tirei a sorte grande de ter escolhido esse curso. Porque quando se faz algo que realmente sentimos prazer, tudo aquilo acontece com uma maior naturalidade. Logo de cara conheci muitas pessoas inteligentes, com capacidade e vontade. Tenho até alguns colegas com uma idéia de produzir um software para consultoria, nada que esteja avançado ainda, mas já é um começo. Pois bem, nem tudo é como deveria ser, uma sala com quarenta alunos aproximadamente, e pelo que vejo mais de sessenta por cento não seguirão em frente, por um lado é bom e por outro lado não, mas essa não é a questão.

O que queria relatar nesse artigo é a falta de maturidade de muitas pessoas que estão na faculdade ou universidade, como preferirem. Particularmente passo o dia trabalhando para chegar à noite na faculdade e ter uma noite tranquila de estudos para entender o assunto proposto pelo professor, mas algumas pessoas que não se importam apenas atrapalham o andamento do curso, já vi de tudo em minha sala, nada que seja necessário dizer aqui até porque acho que todos já passaram por algo parecido.

Muitos dizem que o Brasil não tem profissionais qualificados nessa área tão ampla como é a área de TI, outros dizem que as universidades não têm curso qualificado, que não se preocupam em formar minimamente bons profissionais. Mas acredito que mais de setenta por centro desse problema deve-se aos hoje alunos que estão cursando alguma área em TI, com pensamentos ainda pouco maduros de que só porque pagam a mensalidade irão ao final do curso conseguir o tão esperado diploma. Diploma ao qual não terá nenhum valor e quem perde com isso são aqueles que como eu e a maioria dos universitários que estão lendo esse artigo não conseguem ter um bom rendimento hoje na universidade e futuramente maiores dificuldades em conseguir posições melhores nas grandes empresas.

Para finalizar esse artigo, em resumo o que eu queria expressar já está descrito no texto acima, porém sempre temos algo a mais pra dizer, espero a cada dia poder evoluir mais para poder compartilhar com vocês meus aprendizados e as dificuldades.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Atualmente trabalho com desenvolvimento de aplicações para mainframes, curso 4º semestre de Engenharia de Computação no centro universitário FIEO (UNIFIEO).

Alexandre Manoel da Silva

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.

Artigos Recentes