TI Corporativa

Ξ 3 comentários

Como vender bem o TI para a diretoria

publicado por Cláudio José Franz

Como vender bem o TI para a diretoriaA pergunta que muitos CIOs e Gestores de Tecnologia se fazem diariamente é relacionada a como convencer a alta diretoria da importância das ações do departamento de TI e justificar os investimentos que são colocados anualmente nestas contas.

Um amigo de TI dizia que “cantar” o ovo é fundamental. Quando não se “canta” fazemos o mesmo que a pata ao colocar seus ovos. Não canta e acaba fazendo com que ninguém aproveite um ovo maior, mais nutritivo e interessante para todos. A galinha, por outro lado, ao colocar seus ovos sai “cantando” o que faz com que todos saibam que está na hora de encontrar seu produto.

Pode parece estranho, mas é exatamente o que ocorre em grande parte de nossos trabalhos da área de tecnologia. Tradicionalmente temos a dificuldade de comunicar as ações de maneira mais tangível e levando em conta o marketing positivo de cada projeto. Como o departamento de tecnologia basicamente é formado por um centro de custo que apenas recebe investimentos e possui despesas, fica fundamental ao seu gestor saber como “cantar” os ovos de ouro colocados pelo setor para a diretoria e o alto escalão da empresa.

Uma das melhores maneiras para se realizar esse processo é mostrando os números que geralmente não são tratados nas planilhas e painéis de acompanhamentos. Um exemplo moderno é quando o departamento consegue mensurar que valor está sendo economizado mensalmente com as ferramentas de vídeo conferência, voip, monitoramento e/ou acesso remoto. O valor hora que pode ser reduzido pela metade ou o custo operacional que despencará quando não houver mais deslocamento, manutenção, hospedagem, etc.

Já imaginou um painel de acompanhamento de ganhos produzidos pelo TI ser o ponto inicial de suas reuniões com o conselho, antecedendo a solicitação de verba para investimentos milionários em TI? Certamente o clima de espera por más notícias será quebrado e os conselheiros iniciarão um novo olhar sobre o que pode ser economizado em curto, médio ou longo prazo, ao ser realizar investimentos em tecnologia na empresa.

Outro fato, não menos importante que o anterior é relacionado aos gestores pares do CIO. Muitas vezes acostumados a não visualizarem em seu demonstrativo de resultado os custos com tecnologia, costumam achar fácil solicitar serviços, ampliações e demandas de equipamentos ao TI, analisando no máximo, a contratação do serviço, ou o custo do equipamento.

Se a organização conseguir demonstrar a composição do custo que inicia pelo valor rateado de equipamentos de comunicação, no uso de cada porta LAN de voz ou dados. Considerando os custos de licenças de software, uso do espaço em disco, memória e processador e diversos outros que cada usuário corporativo subtrai dos investimentos TI sejam repassados no ato de uma solicitação, ou rateados mensalmente no imobilizado e nas despesas dos centros de custos específicos, ficará mais fácil de monetizar os benefícios de boas compras e contratos bem acordados e mais obviamente mais justo, afinal, o gestor passa a ter um olhar sistêmico de suas solicitações que vai da quantidade de softwares instalados eu um computador à disponibilidade de portas na central telefônica.

Sabemos que a cúpula de nossas empresas gosta da gestão realizada pelos gráficos dos editores de planilhas, não importando se nosso esforço foi para implantar o melhor ERP do mercado. Infelizmente ainda somos dominados pela necessidade de muitas cores em nossos slides, sempre torcendo para que o vermelho seja a cor que menos predomine. Disso tudo, podemos tirar uma ótima lição. Temos que gerar nossos gráficos, planilhas, painéis ou nossos simples relatórios com o maior número possível de indicativos verdes.

Para pintarmos de verde nossos resultados precisamos sair dos indicadores tradicionais em busca destes fatores intangíveis muitas vezes escondidos, ou podemos dizer esquecidos dentro de nossos OPEX e CAPEX? Fica a dica: CIO que se relaciona, principalmente no ramo de atuação de sua empresa, tornando-se referência estando sempre presente em grupos de discussão de outros gestores, tem maiores chances de trazer novas ideias e melhorar sua posição e conceito como profissional. Quer vender bem o TI sem antes saber vender a si mesmo? Vamos lá, mão na massa!

[Crédito da Imagem: TI – SHutterStock]

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Cláudio José Franz é Especialista em Liderança e Comportamento Organizacional (Faculdade Meridional IMED); Gestor de Tecnologia da Informação (UNISINOS); Atua como Especialista em Projetos da Faculdade Meridional IMED nas cidades de Passo Fundo/RS e Porto Alegre/RS. É Vice-Presidente de Relacionamento do Grupo de Gestores de Tecnologia da Informação do Interior do Sul do Brasil – GTISUL. Atua como Coordenador de Gestão em T.I. do Programa de Qualidade RS – PGQP no Comitê da Produção e é representante regional da SUCESU/RS no Planalto Norte. Possui 15 anos de experiência na área de Tecnologia da Informação como gestor de departamento; gerente de projetos com foco em implantações de ERP, como o RM-TOTVS, Projetos Web, Políticas e Auditoria de TI. Neste período realizou a gestão de obras em projetos de construção de edifícios comerciais. Atua como consultor na área de gestão empresarial, com experiência na implantação de departamentos comerciais; gestão e mudança de cultura organizacional; criação de grupos empresariais, capacitação de gestores e lideranças. Elaboração, acompanhamento e execução de Projetos Internacionais para visitas técnicas ou de negócios.

Cláudio José Franz

Comentários

3 Comments

  • Uma lástima a pessoa falar “o ti” e querer escrever artigo. Observe o vício de linguagem antes de publicar algo. “A TI”, “A área de Tecnologia da Informação”, “A tecnologia da informação”.

    • Uma “lástima” o comentarista, ou deveria dizer “o comentaristo”? Ah, não muda… dizia que é uma lástima este aí ser tão prepotente e arrogante.
      Eu até gostaria de entrar no mérito da discussão: O TI ou A TI, com seus termos e significados subjetivos, mas percebi que o texto está muito bom, a intenção e o sentido do mesmo não me permitiram questionar/criticar a utilização dos termos.
      Acredito senhor José, deves escrever muito e a impecabilidade de seus textos me deixaram com muita curiosidade e vontade de lê-los. Quem sabe o senhor publique-os ou indique o lugar em que estão publicados, se tiver alguma relevância e agregar algo em minha vida profissional, fica tranquilo que não serei desagradável em comentar algum erro na utilização de termos.
      Caro autor, seus textos possuem grande poder motivacional, por favor continue escrevendo!

  • A TI e O TI possuem significados diferentes, A TI, como disse o Jose, é a área, enquanto O TI é o profissional, mas não estamos consultando o dicionário. Parafraseando o Velho DeITADO: “Para um bom entendedor, um texto vale mais que uma palavra”, não importa como foi utilizado o termo, o que importa é que você entendeu e aprendeu com esse esplêndido artigo do Claudio. Jose, por que não escreve um artigo sobre o assunto e compartilhe com todos, assim todos poderemos aprender com o que você tem a oferecer.
    [- Descubra sete erros ou mais -]

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.