Carreira

Ξ Deixe um comentário

Home Office – Você está preparado?

publicado por Fábio Cassanha

Figura - Home Office  – Você está preparado?Este artigo tem o objetivo de instigar a idéia e porque não fazer com que as pessoas pensem e olhem para uma tendência que pode vir a colaborar em muito com as empresas, as pessoas e meio ambiente .

O HOME OFFICE – também chamdo de Teletrabalho, é tido por muitos como forma de não trabalhar, de ficar até mais tarde na cama, de enganar o chefe, ou uma forma de trabalho por “funcionários enroladores”. Aqueles que pensam desta forma ou nunca trabalharam com tal modalidade ou não tem a mínima condição de trabalhar desta maneira. O  HOME OFFICE é a nova proposta da metodologia de trabalho de modo inovador, com uma proposta de negócios para ser utilizada por empreendedores brasileiros, funcionários, líderes (porque chefes não existem) e empresas. Um fator importante direcionado neste artigo e que determinará o sucesso da modalidade é que somente se os envolvidos acreditarem em seu potencial e revisar constantemente seus resultados em função das mudanças que ocorrem no dia-a-dia do Mercado, Negócios e Pessoas .

Este Artigo visa apresentar um novo conceito de forma de trabalho, mostrando que os antigos paradigmas podem ser superados, e também idealizar uma grande inovação das formas tradicionais de trabalho. Posso falar por  experiência própria em relação a esta nova forma de trabalho e a minha idéia é evoluirmos o tema com novos artigos e trocando experiências.

No início do século XIX, desde a Revolução Industrial, a tendência nos países em processo de industrialização foi centralizar os locais de trabalho. À medida que as indústrias cresciam, cresciam também o trânsito congestionado em grandes cidades fazendo com que o trabalhador, logo de manhã, chegue estressado ao escritório, após longo tempo de viagem desde sua casa. São problemas que algumas grandes cidades estão hoje resolvendo com utilização de soluções polêmicas, como rodízio de veículos e horários especiais. Além disso, atualmente, a grande extensão territorial de algumas cidades torna muitas vezes longa à distância entre as casas dos trabalhadores e as empresas em que trabalham, tornando as viagens demoradas e custosas.

Por outro lado, a concentração dos centros comerciais faz com que as despesas com a manutenção de espaço do escritório ou da própria empresa como um todo se torne cada vez mais crítica. Como conseqüência, as empresas por uma busca incessante de reduções operacionais, visando diminuir os custos pela redução de suas instalações, uma vez que os empregados podem realizar as atividades diversas, são deslocados para as instalações de seus clientes ou por que não, passam a trabalhar em suas residências, abrindo a modalidade de Teletrabalho.

Hoje com o mundo Globalizado, com a crescente concorrência do mercado, as inovações são obrigatoriedades para as empresas e uma questão de sobrevivência. Cada vez mais existe a busca por melhores condições de trabalho e de colaboradores mais motivados. O aumento da produtividade, a preocupação com o meio ambiente e a vida familiar, vem pesando nas decisões empresariais. Mas não deixam de ser pontos difíceis de ser equilibrados não somente pelas empresas mas em alguns casos pelos funcionários.

A adoção do HOME OFFICE, conhecido também como teletrabalho, tende apenas a aumentar, talvez dramaticamente, nos próximos anos. Aumentar a produtividade, reduzir os custos elevadíssimos da manutenção Predial, promover reestruturações empresariais, considerando questões sócioambientais, constituem forte motivação para o incremento do uso do teletrabalho. Essa solução pode ser aplicável a uma boa parte da  maioria das entidades e funções, porém deve existir um preparo. Não basta simplesmente ser implantado, deve ser tratado como um projeto operacional da empresa com envolvimento de várias áreas, funcionários e lideranças. Deve existir o planejamento, a análise, implantação e validação, como qualquer outro projeto.

A mais de 10 anos, mais precisamente em 1997, onde segundo Nilles (1997), o teletrabalho se transformará na característica essencial da economia em 2010. A razão de sua expansão é que seus benefícios atingirão os empregados, os empregadores e as comunidades. Aumentando a competitividade global, possibilita mais vantagens que outras formas de trabalho, pois independe dos locais onde se encontrem trabalhador e empregador.

Estudos mostram que empregados mais satisfeitos, tem melhores resultados; a proximidade da família, a vantagem de não enfrentar o trânsito das capitais e a possibilidade de trabalhar de qualquer local, traz grandes vantagens para ambos os lados (empresa e funcionário), e que pesa muito na qualidade dos trabalhos realizados .

Várias leituras  afirmam que o teletrabalho se configura como uma prática organizacional que proporciona flexibilidade em relação ao local e ao horário e a  implantação do teletrabalho requer uma mudança em aspectos culturais e organização estrutural para os envolvidos ou seja empresa, funcionário e família.

As pessoas tem como maior desafio não no aspecto tecnológico, mas organizacional e humano , mas aqui cabe uma nova discussão em um próximo tema .

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Fábio Cassanha SISE - System Integrator / Staff Engineer at HP Brasil Email: fabio.cassanha@gmail.com Site: http://br.linkedin.com/pub/fabio-cassanha/0/40b/17

Fábio Cassanha

Comentários

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.