Gerência de Projetos

Ξ 2 comentários

O cliente também precisa ouvir um “Não”

publicado por Uilson Souza

Saudações,

Em meio a diversos projetos que tenho trabalhado, queria compartilhar com vocês um em especial.

Sem querer entrar muito no campo técnico, atuei no planejamento e implementação de um conjunto de servidores de Proxy e na parte técnica tudo correu conforme o planejado, mas, fora dela, sofremos com ingerências por parte de algumas pessoas ligadas ao cliente.

Todo o projeto foi pensado para melhorar o desempenho da estrutura atual, que, convenhamos, foi um tanto quanto mal pensada e estava nos causando dores de cabeça e horas incontáveis em atividades de troubleshooting.

Após dias de planejamento, uma das pessoas ligadas ao cliente nos impõe uma mudança que, segundo ele, visava melhorar o desempenho do ambiente.

Em momento algum nos negamos a analisar o pedido, mas, como executores do projeto e responsáveis pelo ambiente, entendemos que aquela solução não era a mais adequada.

A mudança envolvia alterações em ambientes fora de nossa responsabilidade e, um dos problemas que tivemos neste projeto foi justamente no momento em que precisamos da ação de outra empresa.

Após estes contratempos, me lembrei do primeiro artigo que escrevi neste site…lembram? “Vários fornecedores, uma única TI…”. Tudo isso só fortaleceu minhas opiniões sobre o que escrevi.

Solicitamos ao cliente que, se fosse insistir naquilo, que ao menos envolvesse os responsáveis que deveriam nos ajudar, pois, conforme meus dois últimos artigos aqui o planejamento é o segredo do sucesso, não só em TI, mas, em tudo na vida.

O cliente se negou a envolver os responsáveis, a oura empresa cobraria pela presença na reunião. Mediante esta postura, decidimos por manter o que estava planejado e não aceitar algo que poderia ser arriscado ao nosso trabalho e a nossa credibilidade dentro da empresa.

Apesar do mal estar gerado por nossa decisão, hoje o ambiente está funcionando perfeitamente, da forma como fora planejado.

O que quero deixar para vocês com esta história é:

Se você é gestor e contrata um serviço de uma determinada empresa, não se intrometa naquilo que não é de seu expertise. Posso estar sendo indelicado ao dizer isso, mas, se você pagou por um serviço, pagou também pela garantia de funcionamento e um SLA. Portanto, confie no seu fornecedor, você paga por isso. Cobre dele os resultados e não os métodos.

Se você é fornecedor, como eu, faça o melhor que puder, mostre os prós e contras em tudo o que vai oferecer. A satisfação do cliente é muito importante, mas, ela tem que estar inserida dentro dos limites do contrato que você firma. Se tudo o que o cliente quiser for feito a toda hora, você passa a ser visto como o ponto focal de tudo aquilo que é seu e também do que não é seu.

Conforme falei, satisfação do cliente tem limites e você também precisa crescer e aumentar mais o seu leque de serviços. O fornecedor deve sempre deixar bem claro ao cliente tudo o que está dentro do pacote e o que não está. O que estiver fora do acordo, deve ser estudado e justamente cobrado.

Finalizando, o famoso jargão “o cliente tem sempre razão” deve ter seus limites e para o bem do próprio cliente, ele deve aprender a ouvir e entender um “Não”.

Abraços

Uilson

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Compare preços de Uber, 99 e Taxi

Minimum Way

Autor

Formado em Tecnologia em Processamento de Dados pela UNIBAN. Analista de Projetos de TI, atua no design, planejamento e implementação de projetos de tecnologias Microsoft, tais como ISA Server, Forefront TMG, servidores Windows, Windows Clustering e Hyper-V. Também trabalhou como IT Specialist na IBM e como Consultor de TI em empresas como Alcoa, Credicard, Bradesco Seguros, Unilever, Caterpillar e Banco Merril Lynch. Profissional certificado como MCTS em ISA Server, participa do grupo MTAC (Microsoft Technical Audience Contributor), publica artigos técnicos em seu blog no endereço http://uilson76.wordpress.com e também no portal TechNet Wiki (http://social.technet.microsoft.com/wiki) Linkedin: http://www.linkedin.com/in/uilsonsouza Twitter - http://twitter.com/usouzajr

Uilson Souza

Comentários

2 Comments

  • Parabéns!

    Não é por que estou envolvida no assunto acima que estou dizendo isso, mas, gostaria de ressaltar 2 pontos importantes antes de dizer não ao cliente:

    1 – Esteja tecnicamente embasado e documentado e devidamente alinhado com seu chefe para se proteger dos famosos escalations.

    2 – É preciso analisar com calma, se dizer não para o cliente, é business da empresa em que se trabalha também. Quero dizer que há empresas que crescem por estarem sempre dentro dos seus padroes e procedimentos e apresentando resultados a longo prazo. Existem empresas que presam por recursos a curtíssimo prazo, e sempre que os desejos dos clientes gravidos surge, elas enxergam um potencial de faturamento adicional, ainda que ridículo diante do stress do desejo concedido.

    • Olá!!! Obrigado pela participação!!! Concordo com vc…tem que ser analisado!
      Eu sempre sou a favor de fazer algo a mais, quando vemos potencial de se implementar algo que ainda não existe no cliente, mas, ambos sabemos que a situação exposta no artigo não era o caso..rs..rs
      Abraços e continue participando e se precisar corrigir algo…fique a vontade!

You must be logged in to post a comment.

Busca

Patrocínio

Publicidade




Siga-nos!

Newsletter: Inscreva-se

Para se inscrever em nossa newsletter preencha o formulário.